Notícias

Octave actua no palco da Ultimate

UAE_Octave MRE220.jpg

Octave Audio é a nova representação da UAE. A Octave é uma marca de origem alemã conhecida pela sua paixão pela válvulas, e tendo como única concessão os circuitos híbridos de apoio à tecnologia do vácuo.

Tenho acompanhado a evolução da Octave Audio, nos últimos 30 anos, sempre que vou fazer a cobertura do HighEnd Show. É uma marca icónica da indústria áudio alemã, também pelo seu design particular com recurso à decoração com granito, mármore e madeira natural das fachadas centrais dos prévios e amplificadores da linha Jubilee, que ficam sempre bem na fotografia.

Highend 2019 - Sala da Octave Audio - apresentação mundial dos Octave Jubilee 300B

Highend 2019 - Sala da Octave Audio - apresentação mundial dos Octave Jubilee 300B

Assim, mesmo não sabendo eu que a Octave estava em conversações com a Ultimate, não deixei de registar a sua apresentação no Highend Show 2019, com a ‘actuação’ dos novos Jubilee 300B, como aliás faço todos os anos.

Quando se pensava que já estava tudo inventado no campo das válvulas, eis que a Octave patenteou uma solução nova para permitir ligar em paralelo tríodos de aquecimento directo, como as 300B.

Normalmente, evita-se a corrente alterna (50Hz) no aquecimento, porque produz demasiado ruído (hum), substituindo-se por DC. Contudo, o aquecimento por corrente directa reduz drasticamente o potencial sónico das 300B.

Octave Jubilee 300B

Octave Jubilee 300B

A Octave desenvolveu um gerador de AC de 7Hz, que alimenta de forma independente cada uma das três 300B do andar de potência e permite ligá-las em paralelo, ao mesmo tempo que elimina a interferência RF e as flutuações de corrente.

Os Jubilee 300B (30W em Classe A pura) ainda não chegaram à UAE (provavelmente só por encomenda, pois custam 56.000 euros o par!...), mas devem soar fantásticos com as Avantgarde Trio+Basshorn, outra das representações da UAE. Não que haja por lá falta de ‘tríodos’ de qualidade…

Auditório principal da Ultimate Audio - Benfica. Gryphon Ethos - Octave HP700+MRE220 - Raidho TD3.8 - cabos Tellurium Statement

Auditório principal da Ultimate Audio - Benfica. Gryphon Ethos - Octave HP700+MRE220 - Raidho TD3.8 - cabos Tellurium Statement

Auditório principal da Ultimate

Mas os monoblocos a válvulas MRE220 (18.900 € par), esses, pelo menos, já chegaram. Acolitados pelo prévio HP700 (11.900 €), estavam a alimentar um par de colunas Raidho TD3.8 (88.000 €) no auditório principal da UAE – Benfica, na jornada de apresentação da Octave em Portugal a que o Hificlube assistiu para manter os leitores de todo o país (e arredores) informados sobre a cena audiófila em Portugal.

Octave HP700

Octave Audio HP 700 (prévio a válvulas)

Octave Audio HP 700 (prévio a válvulas)

Um prévio modular a válvulas, com fonte de alimentação separada; tripla selecção de ganho, para melhor ajuste da relação volume/eficiência das colunas; selecção de impedância (e corrente de saída) para melhor adaptação à capacidade e resistência (comprimento) dos cabos e ao amplificador associado.

Andar phono com elevada precisão da igualização RIIA; equilíbrio entre canais em passos de 1dB; controlo de tonalidade de graves e agudos, com 0,3dB de separação entre canais para não perturbar a reprodução espacial.

Octave MRE 220

Octave Audio MRE220 (monobloco). À esq. a Black Box

Octave Audio MRE220 (monobloco). À esq. a Black Box

Tal como o modelo RE290, no qual se baseia, o monobloco MRE220 foi especificamente projectado para as válvulas KT120. Tal como o nome indica, a potência sobre 4 Ohm é de 220W, com uma largura de banda de 20Hz-70kHz. Segundo a Octave, o MRE220 é estável mesmo com impedâncias de 2,5 Ohm. O amplificador pode ser equipado com transformadores nas entradas balanceadas, eliminando ruídos ‘de terra’.

(Super) Black Box

Trata-se de um booster externo para aumentar a capacidade de armazenamento de energia da fonte de alimentação por um factor de 4X ou 10x na versão super, que é uma espécie de ten-pack, não de cervejas, mas de condensadores.

Rui Calado demonstrou os MRE220 com e sem e a diferença não é subtil. Com a Black Box, o som tem mais dinâmica, separação e articulação (no grave), mas perde-se o ‘romantismo’ das válvulas, que é mais relaxante e confortável para o ouvinte.

Tellurium Q Statement cables

Mais uma nova representação da Ultimate Audio. Os Statement são o topo de gama e custam uma pipa de massa. Não sei em que medida influenciaram a qualidade do som que se ouviu. Só sei que, no que diz respeito a cabos, ‘não ter influência nenhuma’ paga-se caro…

Raidho TD3.8

Raidho TD3.8

Raidho TD3.8

As Raidho sempre se distinguiram visualmente pelos baffles estreitos e os correspondentes woofers de pequeno diâmetro, com o volume interno compensado pela profundidade da caixa. Ora o diâmetro e a massa de ar que é possível pôr em movimento estão intimamente relacionados.

Assim, quando optou por unidades de graves de 8 polegadas para as novas TD3.8, o projectista Benno Baun Meldgaard, que veio da Gamut, teve de ‘alargar a fachada’ para as albergar.

O resultado é uma Raidho com o melhor equilíbrio de sempre entre estrutura e harmonia. Os cones dos altifalantes, tanto os de graves como os de médios de 5 polegadas, são fabricados a partir de tântalo com vaporização de pó de diamante, que garante a rigidez, logo a velocidade e a dinâmica.

O tweeter de fita, apoiado pelos dois médios, numa configuração d’Apollito, foi melhorado na sensibilidade (+2dB) com um motor mais potente, assim como a câmara traseira para eliminar os reflexos das ondas estacionárias.

Gryphon Ethos

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler com tampa de gaveta aberta

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler com tampa de gaveta aberta

A fonte digital do sistema era outra das grandes novidades na UAE: o leitor-CD (c/ DAC/Upsampler) Gryphon Ethos, que foi apresentado em estreia mundial no HighEnd 2019. Mas aqui deixem que seja o próprio Rune Skov a apresentá-lo aos leitores, num vídeo que o Hificlube.net publicou integrado na longa reportagem de Munique, de que podem recordar em Artigos Relacionados o episódio exclusivo relativo à Ultimate Audio Elite.

Gryphon Ethos by Rune Skov

Sexo na cidade

De um sistema desta categoria (e preço), não seria de esperar outra coisa que um grande som. E ouviu-se de tudo um pouco: do jazz, à música clássica e às bandas sonoras.

Por isso, os leitores devem ter achado estranho que eu tenha seleccionado para ‘sonorizar’ o vídeo uma captação feita ‘ao vivo na sala’ de um registo raro, também ele feito ‘ao vivo e ao ar livre’ (até se ouvem os grilos!) por Mark Levinson, the man himself, que acompanha ao contrabaixo a sua grande paixão da altura, Kim Catrall (aqui a declamadora), essa mesmo, a ‘malandreca’ da Samantha de ‘Sex and the City’, uma série de culto, que ainda hoje é possível ver na TV.

The Art of Female Orgasm

E porquê? Porque o, então, apaixonado casal Levinson (o divórcio foi feio e caro), eu e Rui Calado temos uma história em comum (honi soit qui mal y pense), relacionada com um livro que Mark publicou com a ‘prestimosa’ colaboração de Kim Catrall, com o apropriado título ‘Satisfaction: The Art of Female Orgasm’, que se debruça, é o termo, sobre:

‘…todos os pormenores necessários para obter um bom desempenho – na cama como na sala de audição. Entre diagramas para melhor colocar o ‘subwoofer’ ou igualizar o som, explicam-se as técnicas para ultrapassar o egoísmo masculino e os receios femininos que interferem com a máxima satisfação sexual...

Entrevista para Pulitzer

E também com uma entrevista que correu mal (to say the least), que fiz a Mark Levinson, quando visitou Portugal com a bela Kim Catrall, nos idos da Expo98. Mark Levinson nunca teve papas na língua, e agora não estou a falar de sexo mas da entrevista desassombrada que me deu. Com declarações tão polémicas que, se eu fosse americano, me teria valido uma candidatura ao Pulitzer…

Sobre esta questão publiquei no DN, em 04/12/2001, um artigo onde se fala do livro e se narra em pormenor tudo o que se passou. Podem (re)ler aqui em pdf ou podem abrir no final da página. Absolutamente a não perder!

Auditório 2

Auditório 2 da Ultimate Audio - Octave V80SE+B&W 802 D - Fonte Digital: Aries Cerat Helene DAC - Aurender ACS10 - Luxman D06u (transporte)

Auditório 2 da Ultimate Audio - Octave V80SE+B&W 802 D - Fonte Digital: Aries Cerat Helene DAC - Aurender ACS10 - Luxman D06u (transporte)

Nem só de topos de gama vivem os distribuidores, pelo que, no Auditório 2 da UAE, Jorge Gaspar estava ao volante de um sistema ‘utilitário’ pelos padrões do high end, composto por: um par de colunas B&W 802D, alimentadas por um integrado Octave V80SE (9.900€), com válvulas KT150.

Para mais informações: Ultimate Audio Elite

UAE Octave MRE220

Highend 2019 - Sala da Octave Audio - apresentação mundial dos Octave Jubilee 300B

Octave Jubilee 300B

Auditório principal da Ultimate Audio - Benfica. Gryphon Ethos - Octave HP700+MRE220 - Raidho TD3.8 - cabos Tellurium Statement

Octave Audio HP 700 (prévio a válvulas)

Octave Audio MRE220 (monobloco). À esq. a Black Box

Raidho TD3.8

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler

Gryphon Ethos - CD Player - DAC - Upsampler com tampa de gaveta aberta

Auditório 2 da Ultimate Audio - Octave V80SE+B&W 802 D - Fonte Digital: Aries Cerat Helene DAC - Aurender ACS10 - Luxman D06u (transporte)

O Sexo e a Música - DN 04/12/2001 - pdf

Mark Levinson e KIm Catrall em Portugal