Reviews Testes

devialet phantom

Yahoan Yang dirigiu a sessão auditiva remotamente a partir do portátil (click to enlarge).

Yaohan Yang, da Devialet, voou de Paris a Lisboa para apresentar as Phantom e trouxe na bagagem o ‘Original ‘d’Atelier’ 900, a edição especial gourmet da série Expert.


Do Phantom (Silver) ao D-900 (Gold)

A audição das Silver Phantom, na configuração estéreo com o router Dialog, foi conduzida por Yaohan Yang, num dos auditórios da Imacustica – Lisboa.


Durante cerca de 1 hora ouvi ininterruptamente excertos de dezenas de faixas de todos os géneros musicais e tendências acústicas, do registo natural à música eletrónica, que é hoje dominante no mercado, diga-se, a partir do vasto acervo de cópias de CD no disco rígido do portátil de Yaohan, sem um único soluço e com resposta imediata.

E só não continuámos tarde fora, porque ele tinha de ir apanhar o avião para Paris, depois de uma curta visita de trabalho de dois dias às lojas da Imacustica do Porto e Lisboa, fazendo-se acompanhar por Ricardo Franassovici.


Numa loja dedicada ao highend, foi preciso libertar-me primeiro dos preconceitos audiófilos, de forma a apreciar as Phantom de espírito aberto, pois há várias formas de as ouvir - e olhar.


Numa perspetiva cínica e preconceituosa, as Phantom serão a versão chique e modernaça do tradicional ‘ghettoblaster’, aqui designado por Implosive Sound Center (até os nomes são criativos) e o design é tudo menos discreto, podendo mesmo considerar-se futurista, no melhor estilo dos Storm Troopers da Guerra das Estrelas. Também podemos ser mauzinhos, e confundi-las com um sofisticado robot de …aspiração doméstica.

A configuração estéreo ou multi até 24 ‘bolas’(!) já exige a utilização do router Dialog, que se vende em separado. E foi assim que as ouvimos.

A configuração estéreo ou multi até 24 ‘bolas’(!) já exige a utilização do router Dialog, que se vende em separado. E foi assim que as ouvimos.

A minha primeira exposição pública à tecnologia Phantom aconteceu em Munique, no HighEnd 2015, onde a Devialet exibiu uma instalação composta por oito ‘bolas’, que foi muito visitada e requisitada pela malta nova. Foi uma festa!...


Admito que não fiquei cliente, mas eu sou um ‘velho do Restelo’, embora tenha ficado impressionado com ‘tanto som que vinha de uma coisa tão pequena’, sobretudo ‘baixos’, ao ponto de me despertarem a curiosidade e o desejo de as ouvir com mais tempo, o que só agora se concretizou na Imacustica - Lisboa.

As Phantom apresentam-se em duas versões: a propriamente dita c/750W e a Silver, o topo-de-gama ora testado, com as cúpulas dos woofers em alumínio polido, uns inacreditáveis 3000W de pico declarados e 105dB de pressão sonora máxima! Uma autêntica discoteca de bolso em casa: pobres vizinhos…


Claro que isto só é possível somando-se o contributo do duplo circuito ADH (Analog/Digital Hybrid) da Devialet (ver White Paper em pdf) que inclui processamento SAM e alimenta separadamente as secções de médios/agudos ACE (Active Cospherical Engine), cuja grelha só pode ter sido concebida por uma impressora 3D; e o duplo woofer em tandempush-push’ (HBI, Heart Bass Implosion). 


Os altifalantes partilham um centro acústico comum, de forma a funcionarem como a proverbial ‘esfera pulsante’ – a perfeição teórica - cujo movimento longo de pistão (26mm!) é hipnótico e desloca uma impressionante quantidade de ar, a partir de uns meros 12 litros de volume interno (apenas 25 cm de largura e altura por 34 de fundo).


Estamos, assim, perante uma coluna de som ativa de elevada potência e pequeno porte, com DACS integrados TI PCM 179X; que interage com fontes de som digitais portáteis e pode ser atualizada por firmware; se apresenta com um design moderno e original; é construída em material sintético ultra resistente (policarbonato reforçado com fibra de vidro) sobre um núcleo em alumínio (pesa 11 quilos), e que se vende à unidade ou aos pares, sendo ideal para sonorizar espaços públicos e domésticos.


A Devialet chegou a apresentar a Phantom como a melhor coluna de som do mundo e, de facto, as especificações e a inovação tecnológica podem de algum modo sustentar esta arrojada afirmação.


Mas e a tocar, também é a melhor do mundo?


Não é preciso sair da loja da Imacustica para conhecer a resposta a esta pergunta. Por outro lado, não se deve comparar alhos com bugalhos. E, se somarmos o valor dos amplificadores, DACs, colunas e cabos (a Phantom é composta por 10 elementos e não utiliza um único fio de ligação, além do cabo de potência de sector!), a concorrência não se esgota, mas reduz-se drasticamente.

Mais simples é impossível: um par de bolas, um router e um Pc portátil. C'ést tout...(click to enlarge).

Mais simples é impossível: um par de bolas, um router e um Pc portátil. C'ést tout...(click to enlarge).

Em termos absolutos, como é óbvio para qualquer ouvinte educado na antiga escola da audiofilia, às Phantom poderá faltar subtileza, finesse e neutralidade tímbrica, o que sobra em ataque, projeção, impacto dos graves e macrodinâmica, que são hoje exigidos para a reprodução da música eletrónica - a que se vende, de facto, no mundo real. Et pour cause, é também o tipo de música que, por natureza, soa tudo menos…uh… natural.


Eu teria optado por uma frequência de corte mais baixa entre os graves e o médio-agudo, mas tenho consciência de que lhes roubaria corpo e poder. Embora a Devialet alegue que é capaz de reproduzir frequências até 16Hz, violando todas as leis da física acústica, não é por acaso que a ‘zona de impacto’ se situa na zona de influência do kickdrum: 60/100Hz .


O poder da música que está no poder


A Phantom foi criada para reproduzir o poder da música que está no poder, leia-se, a que vende milhões de cópias e ganha prémios, e em cuja produção a opção pelo conceito purista de neutralidade tímbrica seria, no mínimo, estranha, quando não mesmo contraproducente, pois iria alterar o ADN do processo musical em curso (veja as listas dos TOPs atuais para perceber onde eu quero chegar: consta algum disco de música clássica acústica ou gravação purista?).

Yaohan Yang, area sales and marketing manager da Devialet, representa bem a juventude global, que é o público alvo das Phantom

Yaohan Yang, area sales and marketing manager da Devialet, representa bem a juventude global, que é o público alvo das Phantom

Se é verdade que a imagem estereofónica das Phantom não tem dramatismo cenográfico, até o simples facto de a Devialet propor originalmente a sua utilização a solo (os concertos ao vivo são reproduzidos com som monofónico) prova que o objetivo nunca foi cativar os audiófilos, uma tribo em vias de extinção, mas os outros 99% de ouvintes jovens educados no som das discotecas, que partilham gostos musicais no Facebook e no You Tube, e para quem a música é uma festa - e não uma sessão analítica de psiquiatria aplicada.


Ora, nas festas, em todas as festas, quer sejam públicas ou privadas, a imagem da excitação é mais importante que a excitação da imagem. E a reprodução musical das Phantom é isso mesmo: excitante.


Quando o próprio Zuckerberg coloca um like numa notícia sobre as Phantom, a Apple as vende nas suas lojas e o Daily Mirror, o Financial Times e as revistas tecnológicas de grande consumo publicam testes elogiosos, tudo fora do circuito restrito das revistas áudio da especialidade, isto significa que o áudio entrou numa nova era, por muito que custe admitir aos audiófilos ortodoxos, e tenta agora a sua sorte num mercado global, na tentativa de escapar à morte há muito anunciada – com algum exagero, diga-se.


A Imacustica, o principal distribuidor de áudio highend em Portugal, é também o representante oficial da Devialet, logo comercializa as Phantom nas suas lojas de Porto e Lisboa, onde pode assistir a uma demonstração sem compromisso, como eu fiz.


Porque para acreditar no futuro é preciso aceitar as diferenças, e não nos fecharmos nos limites dos nossos próprios preconceitos audiófilos.


Preço:


Phantom Duo + Dialog: 3 679 euros


Silver Phantom Duo + Dialog: 4 279 euros


Nota: Podem comprar-se à unidade:


Phantom 750W branco: 1690,00


Phantom 3000W silver: 1990,00


Preços podem variar: contacte a Imacustica (abrir janela do Distribuidor em Destaque).


 


Original d’Atelier

O 'Original d'Atelier' D900 Expert actuou no auditório principal da Imacustica com as Alexia e o compatriota Metronome Calypso

O 'Original d'Atelier' D900 Expert actuou no auditório principal da Imacustica com as Alexia e o compatriota Metronome Calypso

Yaohan Yang trouxe também na bagagem (literalmente, pois são transportados numa enorme caixa de madeira) um par de Devialet 900, aka Original d'Atelier, uma edição limitada de apenas 100 unidades (este era o nr.100 e, portanto, já não há mais…), que se distingue pelo banho de ouro e por alterações ao nível da fonte de alimentação, da dissipação térmica e da filtragem de ruídos parasitas, que lhes permite debitar 900W, mantendo as mesmas dimensões dos 800 (abrir press-release).

Original d'Atelier D900 c/ controlo remoto e banho de ouro

Original d'Atelier D900 c/ controlo remoto e banho de ouro

Cada par de 900, também designados por Original d‘Atelier, é assinado pelo engenheiro responsável pelo controlo de qualidade e, incluindo o remoto também em dourado, custa 30 000 euros, o que o torna no mais exclusivo produto da Devialet.


Na breve audição que se seguiu, os 900 alimentaram um par de Wilson Audio Alexia (com configuração SAM instalada), tendo como fonte um leitor-CD Metronome Calypso, igualmente gaulês e dourado, revelando o habitual controlo e extensão do grave e as características acústicas que colocaram praticamente toda a crítica internacional a seus pés.

Yahoan Yang dirigiu a sessão auditiva remotamente a partir do portátil (click to enlarge).

A configuração estéreo ou multi até 24 ‘bolas’(!) já exige a utilização do router Dialog, que se vende em separado. E foi assim que as ouvimos.

Mais simples é impossível: um par de bolas, um router e um Pc portátil. C'ést tout...(click to enlarge).

Yaohan Yang, area sales and marketing manager da Devialet, representa bem a juventude global, que é o público alvo das Phantom

O 'Original d'Atelier' D900 Expert actuou no auditório principal da Imacustica com as Alexia e o compatriota Metronome Calypso

Original d'Atelier D900 c/ controlo remoto e banho de ouro