2008

Ces 2008_parte 12_ As Sobras Do Grande Banquete Do Áudio



ANTHEM

Statement D2/A5, corrector digital de salas de 7.1 canais, no bom estilo Lyngdorf, com processamento profissional de video, e amplificador multicanal. A Delaudio que representa (ainda?) a Anthem tem aqui uma boa oportunidade para colmatar uma lacuna no seu catálogo.


CAYIN

SP Series, com mangas de protecção/decoração em madeira polida. Não adianta nada para a qualidade do som, mas aumenta (?) o WAF, creio.


EBEN RAIDHO

Este é o modelo Ayra C3, que custa uns meros 35 000 dólares. Sinceramente nunca tinha ouvido: altifalantes de metal, tweeter de fita, construção soberba e acabamentos requintados. Foram utilizadas para demonstrar as potencialidades do super cabos Odin, da Nordost...


EMINENT TECHNOLOGY

Modelo LFT-16: tecnologia “magnetic planar”, tal como as famosas Magnepan, mas híbridas neste caso.

Nunca vi nada tão feio, mas o som é bonito...


ESOTERIC

Depois de vos ter mostrado o novo amplificador a válvulas da Esoteric e a sempre crescente bateria de fontes digitais, eis uma visão de conjunto da sala da Esoteric, incluindo as colunas.


EVENTUS

Nada de novo na frente italiana: as Nebula acolitadas por electrónica Soulution já tinham sido apresentadas o ano passado, no mesmo local à mesma hora.


GERMAN PHYSICS

As Carbon MK IV, como o nome indica, utilizam materiais à base de fibra carbono no altifalante de médios e na caixa hexagonal, além claro do DDD Driver omnidireccional. Alimentadas por belissimos McIntosh soaram muito melhor do que parecem. No universo gastronómico, são uma espécie de trufas negras: raras, caras e com um sabor único.


GENESIS

Mais uma marca americana com pergaminhos nas mãos de comerciantes asiáticos, cujo negócio não é o som, são os números. Creio que Arnie Nudell faleceu recentemente. De desgosto, talvez...


INDUCTION DYNAMICS



Uma americanada do Kansas, do tipo “we take no prisoners”, para aplicações AV com som de sala de cinema a sério. Eu dispenso, mas há quem goste e não os critico por isso - aquilo sopra, my man!...


LYNGDORF

Com a ânsia de vos mostrar o novo corrector de salas D-1 e o amplificador TDA-2300, esqueci-me de vos falar no conjunto de colunas AV utilizado pela Lyngdorf no Venetian, que parecem ser uma variante das DP-1. Podem ver aqui um video da demonstração. Very impressive indeed!...


MICROPURE

As lilliputianas Kotaro Silver custam 3 000 dólares, e são aquele tipo de produto esotérico incensado por revistas online americanas, como a Enjoy The Music, que alega ter propriedades medicinais: sound healing technology, whatever that is.... Eu fico sempre de pé atrás com estas coisas. Não me curaram da constipação mas também não me fizeram mal nenhum...


NUFORCE

Do miniamplificador Icon I já vos tinha falado aqui, logo em directo de Las Vegas.


Mas ainda não vos tinha mostrado a sala onde actuaram os Reference V2 com as colunas S-9. Mantenho tudo o que disse o ano passado na CES 07.


OPERETTA

São fabricados pela Jaton Audio. Mais uma marca em busca do El Dorado americano e de distribuidores no resto do mundo. Não estavam a tocar mal com as B&W.

O mais curioso é que o jovem simpático meio asiático/meio europeu que me atendeu se chamava Henriques. Por onde terão andado os meus antepassados?...


ORACLE

É sempre um prazer para os olhos e para os ouvidos entrar na sala da Oracle que tinha em exposição activa, com a colaboração de um par de colunas Usher, toda a sua “brilhante” gama de produtos.


PRIMA LUNA

A Prima Luna (ou o seu distribuidor) recorreu a um par de colunas Focal/JM Lab para dar música aos visitantes.

Os mais atentos, além do excelente som, teriam reparado que no chão estava, entre outros, um par de monoblocos Dialogue 7.


SONUS FABER

Alguns leitores perguntaram-me: então e a Sonus Faber, não estava lá? Sim, claro, e na mesma sala do ano passado, só que as Cremona M já tinham sido exibidas em Munique e...no Porto, na Imacústica.


TOTEM

Um marca canadiana com som e preços honestos que utiliza a cultura dos povos nativos para decorar as suas salas e dar nome à suas colunas. Não são de perder a cabeça como indiciam os motivos decorativos pendurados nas paredes, mas também não custam os olhos da cara...


VANDERSTEEN

Deve ser a marca americana de qualidade com mais “low profile”. O som das Carbon 5A, acolitadas pelos excelentes Joule Electra e pelos Aesthetix estava divino como sempre. Só que as Vandersteen exigem que o visitante se sente, pois a dispersão vertical das colunas com correcto alinhamento de fase geométrica é limitado.

A Ajasom devia explorar melhor esta excelente representação: o som tem uma compostura e uma naturalidade únicas. O problema é ser tão discreto num mundo de “show-off”...


VOLENT

Mais um exercício asiático de inexequibilidade comercial. Mas mais vale um pássaro na mão nos EUA que um bando de pássaros a voar no nosso depauperado mercado nacional. Para investirem largos milhares de dólares no aluguer de uma sala enorme no Venetian, eles lá devem saber porquê...


VTL

Concerto ao vivo dos novos VTL MB 450 II “Smart Tube”. Eu não sei se as válvulas são inteligentes mas o som das Wilson Audio Watt Puppies estava ao seu melhor nível. O controle e poder dos VTL tem de ser ouvido para ser acreditado.


ZANDEN

Quem gosta do esoterismo pelo esoterismo não precisa de ir mais longe. A sala da Zanden tinha todos os condimentos: música e ambiente zen.

E um par de colunas a condizer: Cessaro Horn Alpha I. Dignas de figurar na sequela do filme O Quinto Elemento.