2005

Linn Chakra Na Nova Loja Transom De Cascais



Sob o pretexto entusiasmante da apresentação dos novos amplificadores Linn «Chakra», visitei pela primeira vez a nova loja da Transom em Cascais, sita na Av. Nossa Senhora do Rosário, Lote 1, junto à Praça de Touros de Cascais, longe do bulício da vila e sem problemas de estacionamento, na exacta posição das duas horas, se considerarmos a praceta o mostrador de um relógio.
Transom: fachada da loja de Cascais


Trata-se de um novo edifício, em tom ocre, de que a Transom ocupa a loja A2750, um espaço nobre - e um investimento de risco se considerarmos o preço por metro quadrado na zona e o actual estado vegetativo do mercado de electrónica.
Carlos Moreira recebeu-me com um sorriso aos pés da escada


Mas Carlos Moreira é um optimista nato, apesar de cultivar um estilo introspectivo, e acredita no elevado potencial económico dos residentes num raio de cinco quilómetros, e no grande empreendimento habitacional previsto para o espaço da velha e decrépita praça de touros, que vai animar ainda mais aquela zona.


A aposta não é só no áudio e no vídeo mas «em soluções integradas de entretenimento» que incluem a domótica e a informática aplicada ao som e à imagem e até a decoração.
Aspecto do interior da loja


A loja é ampla e luminosa e tem em exposição na sala principal de entrada os ubíquos e inevitáveis plasmas que fazem as delícias da classe média alta (e não só: no outro dia numa rusga policial a uma barraca, vi sair de lá um 50 polegadas da última geração!...) e equipamentos AV com base em electrónica Onkyo e colunas BW e Linn, as novas Unik, por exemplo.

Num corredor lateral, vários expositores carregados de NADs (a nova versão do T-763) e Onkyos, de preços acessíveis para os iniciados.


Sendo eu de Cascais, regozijo-me pelo facto de o Carlos Moreira ter apostado no potencial adormecido desta área privilegiada e desejo-lhe sorte e sucesso.


LINN EM EXCLUSIVO


Em duas salas dedicadas, demonstra-se a electrónica Linn em regime de exclusividade. Neste caso particular, com a presença já habitual de Andreas Manz, que se deslocou propositadamente de Barcelona para demonstrar a superioridade da nova tecnologia Chakra da Linn.
Sala principal com equipamento Linn: prévio Exotik, amps 2250 e Chakra, colunas Ninka


Os Chakra utilizam um curiosa topologia híbrida no andar de saída monolítico/bipolar. Quando as necessidades de corrente são baixas, toda a potência de saída fica a cargo do monolítico, maximizando a velocidade e a linearidade; para necessidades de corrente elevada entram os bipolares em acção. O segredo parece estar na técnica de transição.


A fonte de alimentação é, claro, comutada como acontece já com todos os produtos Linn, no cumprimento da legislação europeia. O que significa que temos muita potência e pouco dispêndio de energia a partir de amplificadores peso-pluma.


A série Chakra é composta pela linha 100, sendo que o 100 se refere à potência e o primeiro número: 2 100, 3 100, etc. ao número de canais; e 200, seguindo a mesma lógica numérica.


O novo Chakra, acolitado por um prévio Exotik e colunas Ninka, não dá uma «banhada» no «velho» 2250, utilizado na comparação, que me soou mais coeso (talvez por estar mais «queimado»), apesar de Andreas ter aproveitado uma saída minha de cena para os trocar de posição para avaliar até que ponto eu estava atento. Maroto...
Carlos Moreira propôs aos convidados uma prova simultânea de sons da Escócia e vinhos do Alentejo: les beaux esprits...


Mas não restam dúvidas no meu espírito (havia na ocasião uma agradável prova simultânea de vinhos do Alentejo, mas eu agora ando a água...) que a nova tecnologia confere mais lucidez, claridade e foco à gama média, e torna o grave e o extremo agudo muito mais definido: uma primeira audição prometedora a exigir continuação no meu habitat natural logo que o Chakra, apresentado este ano em Las Vegas, esteja disponível.
João Cancela conversa animadamente com Andreas Manz


Presentes estavam também João Cancela, da Esotérico, e Thomas Saheicha, Director de Vendas e Marketing, da Linn, que me explicou a origem do nome Chakra: «Ivor é um ferveroso adepto do ioga, e «chakra» significa «ponto de energia, de poder». Voilá! E, claro, a palavra tem o imprescindível «K»...


Esclareceu também Thomas que Chakra não é apenas um novo modelo da Linn, é uma nova tecnologia patenteada de amplificação que pode ser retroaplicada a outros amplificadores da marca, como é o caso do Klimax Chakra 500 Twin.


Para mais informações: TRANSOM