Reviews Testes

Ferrum Hypsos by HEM– poder universal

Ferrum Hypsos - poder universal.jpg

Ferrum Hypsos é uma fonte de alimentação híbrida linear/comutada universal para substituir com vantagem os ‘transformadores’ que acompanham grande parte dos DAC, Head-Amps e Streamers de pequeno porte e baixo custo – e não só.

Mark Levinson defendia que 80% da qualidade de som de um amplificador devia-se à qualidade da sua fonte de alimentação.

A Ferrum Hypsos, fabricada pela empresa polaca HEM, pretende elevar a qualidade de som de todas as fontes, digitais na sua maior parte, mas também analógicas, que se ligam à corrente de setor através de um pequeno transformador, ou fonte comutada de parede, substituindo-os assim com vantagens elétricas e acústicas.

Ovo de Colombo polaco

A ideia é genial, um verdadeiro Ovo de Colombo.

E, sendo de origem europeia (a Polónia é terra de muitas revistas HiFi, fabricantes de áudio e de um show hifi em crescendo antes do Covid19), tem já garantido um Prémio EISA de Acessório do Ano ou de Inovação Tecnológica. Eu sei, porque tenho um dedo que adivinha…

A caixa com as dimensões de 216 x 58 x 228 mm é construída em metal e pesa 2,9 Kg, que na sua maior parte se fica a dever ao toroidal de 100VA, que suporta as tensões de saída de 5 a 30V da fonte de alimentação comutada controlada por microprocessadores; e os 6A de corrente contínua para garantir que não há quebras de tensão perante cargas difíceis ou mais exigentes, como as dos amplificadores que têm de alimentar auscultadores de baixa impedância.

Se não sabe, não mexa…

Toda esta potência tem de ser tratada com respeito. Se o utilizador ‘for deixado à solta’ (passe aqui a falta de respeito) pode ligar-lhe um equipamento previsto para 9 ou 12 V e, utilizando, o botão rotativo/pressão no painel frontal, selecionar inadvertidamente a tensão errada: 24 V, por exemplo. A partir daí, tem 10 segundos para reverter o processo antes de ‘fritar’ o DAC!

O fabricante pensou nisto, claro. E a Ferrum Hypsos vem de fábrica com parâmetros pré-instaladas para 100 produtos, podendo procurar o seu na lista alfabética, que surge no ecrã OLED.

E se o meu DAC/HeadAmp/Streamer, etc. não constar na lista?

Aí tem duas opções: ou procura um modelo da mesma marca com as mesmas especificações, como eu fiz com o DAC Magic 200M (selecionei o DAC Magic 100M, que utiliza a mesma tensão de 12V, e está na lista); ou então, insere manualmente a tensão correta (e ainda pode fazer fine tuning: 12,2V, por exemplo. É aqui que tem de ter mais cuidado. Com os presets de fábrica, já tem a papinha toda feita. E é mais seguro.

A potência não se perde na resistência do cabo

Painel traseiro da Ferrum Hypsos. A saída de corrente contínua exige um cabo especial fornecido com o equipamento: o cabo utiliza a tecnologia 4TSD (Sensing Design) para garantir que a tensão na ponta do cabo é exatamente a selecionada na fonte

Painel traseiro da Ferrum Hypsos. A saída de corrente contínua exige um cabo especial fornecido com o equipamento: o cabo utiliza a tecnologia 4TSD (Sensing Design) para garantir que a tensão na ponta do cabo é exatamente a selecionada na fonte

O Hypsos traz um cordão umbilical para o ligar ao aparelho que precisa de alimentar. O cabo e as fichas são de excelente qualidade, ao contrário daqueles ‘fios capilares’ dos tranformadores, e logo aí já tem uma vantagem substancial.

Mas não é só isso. O cabo utiliza a tecnologia 4TSD (Sensing Design) para garantir que a tensão na ponta do cabo é exatamente a selecionada na fonte, ultrapassando o problema da resistência elétrica do cabo, para garantir melhor resposta a transitórios. Para isso o cabo tem 4 condutores: dois para a fase e neutro da corrente contínua; e dois para comunicar com o sensor.

Todos os equipamentos que utilizam fontes comutadas de muito alta frequência (1MHz, no caso da Hypsos) emitem RF. Mas a Hypsos utiliza SSM (spread spectrum modulation) para reduzir a interferência da frequência de funcionamento. Pode desativar esta função, mas passe com um rádio ligado por cima da Hypsos para perceber que não o deve fazer. A SSM funciona mesmo.

Quando a Ferrum Hypsos chegou, comecei a olhar à volta para concluir que não tinha nada para lhe ligar. Tenho dois DAC da Chord (Hugo 2 e Mojo), mas estes são portáteis. Posso utilizá-los ligados à corrente mas as baterias internas funcionam como buffers. Não iria notar grande diferença. Se fosse o Qutest ou o TT2 já dava – e constam da lista.

E, logo por azar, tinha acabado de devolver o candidato mais óbvio: o HeadAmp/DAC iFI iDSD Neo, que testei com diferentes tipos de PSU e respondeu sempre às melhorias na fonte de alimentação.

António Almeida veio amavelmente trazer-me a casa de propósito um Roon Nucleus. Mas um Hub streamer não tem grande necessidade de picos de corrente, pois tem um funcionamento regular e estável, pensei. Portanto, não é o equipamento ideal para ouvir diferenças óbvias.

Alimentado pela Ferrum Hypsos, o DAC Magic 200M deu um 'salto no espaço', se não sideral, pelo menos digital...

Alimentado pela Ferrum Hypsos, o DAC Magic 200M deu um 'salto no espaço', se não sideral, pelo menos digital...

O confinamento obriga-me a recorrer aos serviços de entrega personalizados e, desta vez, foi Rui Calado que passou por cá e deixou um Cambridge Audio Magic DAC M200 de 500 euros.

O M200 é também um HeadAmp, e aí sim: com um par de Hifiman HE1000 a sorver corrente do DACMagic, ao sabor da amplitude do sinal musical, a Hypsos manteve-se firme e estável e fez a diferença em relação ao transformador que o acompanha:

O som tem menos grão, é mais fluido e o silêncio é mais negro, logo há uma sensação de maior dinâmica e também de mais ‘ar’. Tonalmente, as cores são mais saturadas, menos ‘esbotadas’, com os contornos mais definidos. E o grave é mais robusto. Dei comigo a subir o volume mais e mais, sem sentir distorção ou desconforto.

The million dollar question

A pergunta de um milhão de dólares, perdão, de mil euros, é: justifica-se pagar 1000€ por uma PSU Universal híbrida, por muito bem concebida e extremamente versátil que seja, cujas vantagens são mais óbvias com equipamentos que custam metade do preço?

…a Hypsos eleva o som do seu HeadAmp/DAC até ao nível de outro com o dobro do preço…

Como sempre, vai ter de ouvir por si próprio. Mas pense no seguinte: a Hypsos eleva o som do seu HeadAmp/DAC até ao nível de outro com o dobro do preço. E, quando o trocar, ela lá estará para fazer o mesmo milagre com o próximo – e o seguinte…

A Hypsos fica, os DACs mudam, ao sabor da tecnologia digital, em constante evolução. Mas vão sempre precisar de uma boa alimentação.

Dobra robota, que em polaco significa: bom trabalho!

Produto: Ferrum Hypsos by HEM PSU Universal 

Preço: 995€

Distribuidor: AJASOM

Ferrum Hypsos poder universal

Painel traseiro da Ferrum Hypsos. A saída de corrente contínua exige um cabo especial fornecido com o equipamento: o cabo utiliza a tecnologia 4TSD (Sensing Design) para garantir que a tensão na ponta do cabo é exatamente a selecionada na fonte

Alimentado pela Ferrum Hypsos, o DAC Magic 200M deu um 'salto no espaço', se não sideral, pelo menos digital...


AbsoluteSounds950x438
Publicidade