UltimateAudioElite_950x225
Delaudio950x225
Publicidade


Reviews Testes

Bryston BDA-3 - Darwinismo digital

Bryston BDA-3 Converter.jpg

Read full review in English here

O processador digital de estado-da-arte Bryston BDA-3, de 2016, impressionou JVH por ter resistido ao teste do tempo, conseguindo manter-se no topo em 2022.

Ao contrário dos amplificadores (ou as válvulas nunca teriam resistido até hoje), os DACs são os componentes mais propensos à obsolescência num sistema de som. Um DAC na moda hoje é notícia antiga daqui a um ano.

Só os mais aptos sobrevivem, segundo Darwin.

O Bryston BDA-3 é um processador D/A que remonta a 2016. Pelas leis da natureza (e do mercado), já deveria estar morto. E no entanto, continua jovem, porque nasceu com genes perfeitos.

Melhor é impossível

Olhando para as medidas do meu colega JA da distorção, resolução e jitter, não me lembro de ter visto nada melhor do que isto nos últimos anos. Não há sequer um resquício de ruído induzido pela fonte de alimentação. Estas são medições sem mácula com muito baixo ruído e distorção harmónica, resolução soberba, totalmente isento de jitter, resposta plana na banda áudio e uma pendente suave até 100kHz com sinais de alta resolução via USB. Melhor é impossível.

O BDA-3 era o estado da arte em 2016, e ainda o é hoje. Para um componente digital, isto é um autêntico prodígio.

Além disso, o BDA-3 oferece PCM 32/384 e DSD 256 com USB, e isso é ainda hoje a resolução mais elevada respetivamente dos formatos DXD e DSD nativo, sendo que DSD 512 e 1024 são nada mais do que ‘fogo-de-artifício digital’ resultante de ‘upsampling’.

Conversor bit-perfect e upsampler

O BDA-3 também funciona como "upsampler". O conversor interno faz ‘upsampling’ de 44,1kHz e 88,2kHz para 176,4kHz. Neste modo, o LED acende a cor âmbar. Todas as amostras de áudio digital de 48kHz e 96kHz são ‘puxadas’ para 192kHz e os LEDs verdes acendem. Quando desactivado, o LED não se acende. A função ‘upsample’ não afecta o HDMI ou USB, apenas o SPDIF.

Ouça (copie) SACD com HDMI

O BDA-3 tem uma característica única: pode receber tanto PCM até 24/192 como DSD 64 em áudio de dois canais através da entrada HDMI.

O que significa que, se possuir um Leitor Oppo BDP 93/103 com saída HDMI, também pode converter o conteúdo digital dos SACD.

Algo que a Sony se esforçou por evitar, embora também tenha sido possível durante algum tempo com as primeiras PS3, até que a Sony descobriu que tinha dado um tiro no próprio pé e desativou a função.

Quando o formato de entrada é DSD nativo, o LED acende na cor âmbar.

Quando o formato de entrada é DSD nativo, o LED acende na cor âmbar.

DSD Nativo

O BDA-3 processa tanto DSD nativo como DoP com DACs AKM de 32 bits (circuitos independentes para cada um deles) enquanto o sinal do relógio do fluxo de dados digital é ‘reclockado’ com o seu relógio interno de alta precisão.

Quando o formato de entrada é DSD nativo, o LED acende na cor âmbar. Quando o formato de entrada é DoP (DSD over PCM, o LED acende-se a verde.

A resolução mais elevada só está disponível através da entrada de ligação assíncrona USB 2.0 Tipo B; todas as outras (RCA coaxial, BNC, AES-EBU XLR e HDMI estão limitadas a 24/192 e SPDIF óptico a 24/96).

O BDA-3 tem 10 entradas digitais: 4 x HDMI, 2 x  USB, 1 x  AES-EBU, 1 x ótica (Toslink), 1 x RCA (SPDIF coaxial) , 1 x  BNC. Saídas RCA  e XLR (balanceadas) e saída HDMI.

O BDA-3 tem 10 entradas digitais: 4 x HDMI, 2 x USB, 1 x AES-EBU, 1 x ótica (Toslink), 1 x RCA (SPDIF coaxial) , 1 x BNC. Saídas RCA e XLR (balanceadas) e saída HDMI.

JRiver ou Foobar 2000

Para o funcionamento com USB, é necessário instalar um driver Asio (apenas se utilizar um PC), e também é necessário um Media Player como JRiver ou Foobar 2000 (gratuito).

…o BDA-3 soa transparente, dinâmico, detalhado e neutro…

Ao utilizar JRiver, escolha sempre Asio no menu. O driver WASAPI não deixa passar DSD nativo apenas DoP, enquanto o Direct Sound engata o misturador de áudio do sistema, desativando a reprodução ‘bit-perfect’.

O BDA-3 soa transparente, dinâmico, detalhado e neutro - não acrescenta nem omite nada.

Ligado à cabeça

Liguei-o ao meu sistema habitual que inclui amplificação Naim e altifalantes Sonus faber. Ainda assim, dei uma volta com ele num sistema tipo 'lupa' constituído por um Ferrum Oor/Hypsos conduzindo um par de Hifiman HE1000. O detalhe é de tal ordem que com discos bem gravados é possível ver/ouvir dentro da mistura até ao infinito.

‘Soou’ como a imagem de uma Tv Oled com silêncio preto de breu, gradação suave de cores saturadas e detalhes finos e naturais.

O BDP Player foi ligado ao BDA-3 com cabo coaxial Siltech SPDIF e HDMI. Para o portátil (driver Asio instalado), utilizei USB para reproduzir ficheiros de alta resolução via JRiver 28 até PCM 384 e DSD 256 mais streaming a partir de Tidal/Roon. Reproduz ficheiros MQA apenas como renderizador: até 96kHz.

Precisa de USB para reproduzir ficheiros de alta resolução via JRiver até PCM 384 e DSD 256 mais streaming a partir de Tidal/Roon.

Precisa de USB para reproduzir ficheiros de alta resolução via JRiver até PCM 384 e DSD 256 mais streaming a partir de Tidal/Roon.

…a função ‘Upsample’ limpa ainda mais o som...

Com o coaxial (apenas), descobri também que a função ‘Upsample’ limpa ainda mais o som proporcionando melhores detalhes e um baixo ainda mais controlado mas ainda assim não chega ao nível de qualidade da alta resolução nativa.

Três palavra singelas: Dominique Fils-Aimé

Se quer saber do que o BDA-3 é capaz, em termos de detalhe e microdinâmica, de envolvimento e sensualidade, oiça o álbum ‘Three Little Words’ de Dominique Fils-Aimé (Tidal 88,2kHz).

Aprecie a naturalidade da voz de Dominique, sussurrando-lhe ao ouvido, envolta num coro de vozes femininas de uma pureza incrível, que soam como borboletas esvoaçando à volta da nossa cabeça, e que são todas representações dela própria, como descobri mais tarde, cantando por vezes vezes quase a capella, com um mínimo de acompanhamento instrumental e percussão etérea, palmas e murmúrios, explorando as vozes como instrumentos. A vibração das cores da vida como ela própria as define.

Poderia dar-vos dezenas de exemplos de fixas que ouvi. Mas, por favor, apressem-se a ouvir "Three Little Words" num sistema como o que sugiro aqui e sentir-se-ão como uma pessoa melhor.

O álbum fecha com uma ‘cover’: ‘Stand By Me’, de Ben King - voz, piano e baixo. Com o BDA-3, Dominique estava de facto ali ao meu lado. Há muito tempo que não ouvia um álbum do princípio ao fim. E repeti.

O facto de a Bryston e Dominique Fils-Aimé serem ambos do Canadá é uma feliz coincidência. 

'Oh, Canada, I could drink a case of you, darling'

                                                   Joni Mitchell

A Exaudio distribui em Portugal tanto o Bricasti M3 como o Bryston BDA-3. O Hificlube.net concedeu ao M3 o ' DAC 2021 DAC Award'. É notável que outro modelo de 2016 - o Bryston BDA-3 - esteja agora na minha lista de seleção para o 'DAC 2022 Award'. Parece que a perfeição é o melhor antídoto para a obsolescência.

Produto: Bryston BDA-3 Converter

Preço: € 4.216 

Distribuidor: EXAUDIO

Bryston BDA 3 Converter

Quando o formato de entrada é DSD nativo, o LED acende na cor âmbar.

O BDA-3 tem 10 entradas digitais: 4 x HDMI, 2 x USB, 1 x AES-EBU, 1 x ótica (Toslink), 1 x RCA (SPDIF coaxial) , 1 x BNC. Saídas RCA e XLR (balanceadas) e saída HDMI.

Precisa de USB para reproduzir ficheiros de alta resolução via JRiver até PCM 384 e DSD 256 mais streaming a partir de Tidal/Roon.


UltimateAudioElite_950x225
Delaudio950x225
Publicidade