Reviews Testes

Advance Acoustics Playstream A5 – you ain’t heard nothing yet!

DSCF0575-transPlaystream A5 front bokeh.jpg

O Playstream A5 cumpre com garbo a função de reproduzir a música desmaterializada dos tempos modernos, sem esquecer o eterno LP, exibindo um estilo clássico, no qual os vuímetros de agulhas dançantes são protagonistas. Tudo sem atingir o patamar psicológico dos 1000 euros.

Quando Delfin Yanez me telefonou, dizendo que tinha um novo brinquedo especial para eu ouvir, pensei logo num recém-chegado modelo da Pass, ou num DAC/Streamer da Esoteric. Afinal, eu sou conhecido por gostar de ‘caviar audiófilo’, pelo que não é conveniente servirem-me ‘pasta de sardinha’.

Na verdade são mais as vozes que as nozes: o Delfin já me conhece há demasiados anos, e sabe que não é o luxo que me cativa mas a performance musical, dando de barato o ‘prestígio’ de escrever sobre coisas caras ou raras, como o fotógrafo de moda rodeado de beldades inatingíveis.

‘Le roi c’est moi!’

Acontece que eu já tenho prestígio que chegue, e assim posso ‘dar-me ao luxo’ de escrever sobre o que me apetece e agrada, não tendo que prestar vassalagem, ou dar satisfações seja a quem for.

No Hificlube.net ‘le roi c’est moi!’, quanto mais não seja porque sou eu que lanço os foguetes, apanho as canas e toco a música…

Se um componente áudio, independentemente do preço ou da fama que o precede, tem a capacidade para me fazer companhia agradável durante um período mais ou menos longo de tempo - ou enquanto escrevo, por exemplo, que é a melhor prova de que não me incomoda -  sem que eu tenha o desejo de o desligar de imediato, qualifica-se para uma audição crítica, caso contrário volta para o sítio de onde veio. É que nem me dou ao trabalho de o analisar em profundidade, pois não tenho tempo para aturar ‘ruim defunto’. Há pessoas que confiam no meu trabalho e eu não as posso desiludir.

Delfin Yanez: o tempo e o modo

Delfin Yanez posa junto das Monitor Audio Bronze, na nova loja da Delaudio, em Lisboa

Delfin Yanez posa junto das Monitor Audio Bronze, na nova loja da Delaudio, em Lisboa

O mesmo se passa com o Delfin, que anda nisto há tantos anos como eu, e encomendou já umas dúzias de Playstream A5, porque, segundo, ele é um amplificador integrado de 80W/canal, bem construído, concebido em Paris e montado no Oriente, e por isso acessível (989 euros c/recetor Bluetooth incluído), adaptado aos tempos modernos, leia-se DAC/streamer, sem esquecer o analógico (entradas Phono MM e MC), que funciona em Classe A/B e, eis o busílis, ‘toca no tempo certo’.

A ‘filosofia temporal’ de Delfin Yanez é bem conhecida dos leitores do Hificlube, e pode ser estudada nos muitos artigos já publicados, que podem abrir na secção Artigos Relacionados, no final deste artigo.

Se o A5 passou no exame do tempo, é bom sinal – literalmente. E não me refiro à obsolescência, antes ao ‘pace and rhythm’ , que o meu colega Martin Colloms (com quem vou em breve voltar a trabalhar, num projeto que por enquanto é secreto) considera essencial para a fruição musical. 

Advance Acoustic Playstream A5

Eu escrevo como um músico de jazz toca: improviso sobre um tema para não cansar o leitor e para não me cansar a mim próprio com ‘críticas chapa-cinco’: introdução, descrição, comentário, análise, conclusão.

A Advance Acoustic tem lugar cativo no Highend, de Munique (a propósito, em 2021 vai realizar-se de 9 a 12 de Setembro, clique aqui para ler o comunicado).

Em 2019, a Advance mostrou-me o caminho ‘tudo-em-um’ que pretendia seguir, com os modelos MyConnect: leitor-Cd, leitor-de-rede, rádio FM/DAB e amplificador-DAC.

A Série PlayStream segue a mesma linha, apenas com exceção do leitor-CD, que tem vindo a cair em desuso, e voltando ao design clássico de vuímetros azuis, baixando assim o preço.

A EU não ia substituir a FM pela DAB?

Rádio para todos os gostos: FM, internet radio (TuneIn e iHeartRadio) e DAB para quem o apanhar...

Rádio para todos os gostos: FM, internet radio (TuneIn e iHeartRadio) e DAB para quem o apanhar...

A série é composta pelos modelos A5 (80W) e A7 (115W). Não há CD mas há LP, com entrada Phono MM e MC (alta e baixa). Não ouvi, não tenho gira-discos, sorry. Mas ouvi rádio FM. Quanto ao DAB, não consegui sintonizar qualquer estação. Nem uma. Não sei se as há, ou se é apenas porque não moro em Lisboa. FM funciona bem, mesmo com a antena precária junta.

A EU não ia acabar com a FM e substituí-la pela DAB? Com a alternativa de milhares de estações grátis no TuneIn e iHeartRadio (internet radio), quem quer ouvir DAB? Vai ser mais um investimento público obrigatório para deitar aos porcos…

Streaming da Tidal na ponta dos dedos via Ethernet/WiFi (ou Bluetooth) e de dados armazenados em pens, discos rígidos e NAS, com controlo no telefone via App Advance Playstream (gratuita)

Streaming da Tidal na ponta dos dedos via Ethernet/WiFi (ou Bluetooth) e de dados armazenados em pens, discos rígidos e NAS, com controlo no telefone via App Advance Playstream (gratuita)

E depois temos o streaming pago. Da Tidal, no meu caso. Mas é compatível com as outras todas: Spotify, Deezer, Qobuz, Napster, estas últimas se tiver acesso via VPN.

O acesso à Tidal (precisa de assinatura) é possível de várias formas. Eu entrei com o meu iPhone/Android via app da Tidal e liguei-me ao A5 via Bluetooth.

Ao princípio, fiquei um pouco baralhado, porque não encontrava o A5 para emparelhar. Depois, descobri na caixa o emissor Bluetooh XFTB01 (não vai além dos 44,1kHz), liguei-o na ficha respetiva no painel traseiro, et voilá! Se quer a versão HD (FTB02) vai ter de a comprar à parte.

Seja como for, o Bluetooth do meu iPhone velhinho (estou à espera do 13) funciona segundo o protocolo AAC e não dá mais que 44,1 Khz. Também pode ouvir via Bluetooth a música armazenada no seu telefone, claro.

A App Playstream (iPhone e Android) permite-lhe selecionar as fontes.

A App Playstream (iPhone e Android) permite-lhe selecionar as fontes.

A outra maneira é ligar o A5 à sua rede doméstica via cabo Ethernet ou por wi-fi/WPS (antena incluída), descarregar a App Advance Playstream (gratuita) para iPhone e Android e selecionar a Tidal ou outro fornecedor de conteúdos. O som é bastante melhor. Eu diria mesmo: muito melhor, sobretudo com Ethernet!

Pode assim aceder aos ‘Masters MQA’ na Tidal mas o A5 não é MQA ready (nem Roon ready) e a frequência de amostragem não aparece no mostrador. Talvez vá até aos 96kHz/24 bit com conversão nativa pelo algoritmo da Tidal. Mas não garanto.

Também pode utilizar a App da Tidal via Bluetooth.

Também pode utilizar a App da Tidal via Bluetooth.

Aliás, não pode ligá-lo sequer ao PC. A entrada USB no painel traseiro é apenas para reproduzir música armazenada numa pen, drive ou NAS, à qual pode aceder também com a App. Cuidado, não insira a pen na entrada UPDATE (devia ter um protetor). 

A App Advance PlayStream só controla as fontes de streaming. Para todas as outras fontes, incluindo as digitais, e funções vai precisar do controlo remoto (muito completo) ou do painel frontal de controlo (touch buttons), no qual o botão rotativo/pressão do volume é protagonista. Nota: não basta carregar, é preciso manter pressionado uns segundos).

No painel frontal em acrílico, tem ainda as saídas para auscultadores (6,3 e 3,5 mm) ligadas em paralelo. O circuito é composto por um Opamp e dois transístores, com potência suficiente para modelos dinâmicos e no limite do razoável para planarmagnéticos de baixa sensibilidade. O som é de uma maneira geral composto e muito agradável.

O Playstream A5 tem controlo de tonalidade de graves e agudos. Quem não gosta, faz ByPass...

O Playstream A5 tem controlo de tonalidade de graves e agudos. Quem não gosta, faz ByPass...

Pode configurar o controlo de tonalidade (graves e agudos) em passos de +/- 2dB. O circuito atua numa banda muito larga, pelo que os passos são de gigante: - 2dB no agudo; +2dB no grave é quanto basta. Ou zero mesmo, porque o agudo é doce e o grave bem apessoado. O pessoal da pesada vai gostar de +10dB no grave. Ou da função ‘loudness’…

Cocktail de opamps e bipolares

A Advance Acoustic tem uma mente aberta quanto ao tipo de circuitos que utiliza, que vão das válvulas, aos Mosfet e bipolares, sem enjeitar os amplificadores operacionais.

O andar de phono é baseado em amplificadores operacionais NJM2068. No primeiro andar de ganho, a Advance optou por 4 bipolares, a que se seguem no andar de potência um par complementar 2SB817/2SA1047 em push-pull, com forte polarização em Classe no modo High Bias, cujo comutador está no painel traseiro.

Classe A com classe

Painel traseiro bem apetrechado:  4 entradas digitais (1coaxial + 3 óticas); entrada USB; entrada para receptor Bluetooth (fornecido). 6 entradas analógicas (1 phono + 5 de linha) e ainda: PreOut, Rec Out, Sub Out e Amp In.

Painel traseiro bem apetrechado: 4 entradas digitais (1coaxial + 3 óticas); entrada USB; entrada para receptor Bluetooth (fornecido). 6 entradas analógicas (1 phono + 5 de linha) e ainda: PreOut, Rec Out, Sub Out e Amp In.

Deixe-o estar sempre em modo High Bias: pode aquecer um pouco mais, gastar mais energia, mas, depois de quente (dê-lhe 1 hora), oferece-lhe 10/15 W em Classe A de grande nível, que pede meças a amplificadores integrados bem mais caros e deita por terra os integrados concorrentes de Classe D, sobretudo com CD via cabo coaxial, ficheiros de alta resolução armazenados em disco ótico e streaming Tidal ou a partir de disco rígido.

Quer isto dizer que o A5 se bate com um Pass INT-25, só para não sair do território da Delaudio? Claro que não. Sobre o Pass, cuja análise auditiva podem ler na integra, clicando sobre o nome a negrito, escrevi:

O Pass INT-25 tem o proverbial ‘som de válvulas’ e é um dos amplificadores mais transparentes que já ouvi. Uma transparência que não ofusca, antes ilumina com a chama quente da luminosidade interior das vozes de artistas como Ella Fitzgerald, Fred Astaire, Shirley Horn ou Louis Armstrong, assim ‘ressuscitados’ por gravações com 50 anos!

O A5 é um senhor!

A App Advance PlayStream só controla as fontes de streaming. Para todas as outras fontes, incluindo as digitais, e funções vai precisar do controlo remoto (muito completo) ou do painel frontal de controlo (touch buttons), no qual o botão rotativo/pressão do volume é protagonista.

A App Advance PlayStream só controla as fontes de streaming. Para todas as outras fontes, incluindo as digitais, e funções vai precisar do controlo remoto (muito completo) ou do painel frontal de controlo (touch buttons), no qual o botão rotativo/pressão do volume é protagonista.

Mas, se considerarmos a (enorme) diferença de preço, ela não se reflete na qualidade do som, ainda menos na versatilidade.

Estou agora a ouvir She’s no Lady, por Lou Rawls e em boa verdade vos digo: estou encantado com o balanço e o ritmo, com a projeção da voz de Rawls, com o entrosamento da banda de apoio. O Advance Acoustic A5 não é uma lady, de facto – é um senhor!

…o grave/baixo do A5 é do melhor que já ouvi a este nível de preço and beyond…

Este é o meu disco preferido de Low Rawls, e utilizo-o sempre para avaliar o tal ‘pace&rhythm’, que torna o embalo rítmico da música tão envolvente. Acho mesmo que o grave/baixo do A5 é do melhor que já ouvi a este nível de preço and beyond. O Delfin sabe ouvir, indeed…

De tal forma, que resolvi fazer uma incursão rápida numa seleção musical que fiz em exclusivo para avaliar em breve o tal projeto secreto sobre um equipamento de preço estratosférico, que será publicado no Hificlube e, em 2021, na HiFiCritic, e que vai de Dean Martin a Sinatra e Aretha; da Sinfonia Fantástica à Oitava de Mahler, fechando com Jen Chapin a cantar You haven’t done nothing yet.

A minha conclusão? Por este preço, You ain’t heard nothing yet!...

Produto:

Amplificador integrado Advance Acoustic Playstream A5

Preço: 989 euros (inclui receptor Bluetooth XFTB01)

Distribuidor: Delaudio

DSCF0575 transPlaystream A5 front bokeh

Delfin Yanez posa junto das Monitor Audio Bronze, na nova loja da Delaudio, em Lisboa

Rádio para todos os gostos: FM, internet radio (TuneIn e iHeartRadio) e DAB para quem o apanhar...

Streaming da Tidal na ponta dos dedos via Ethernet/WiFi (ou Bluetooth) e de dados armazenados em pens, discos rígidos e NAS, com controlo no telefone via App Advance Playstream (gratuita)

A App Playstream (iPhone e Android) permite-lhe selecionar as fontes.

Também pode utilizar a App da Tidal via Bluetooth.

O Playstream A5 tem controlo de tonalidade de graves e agudos. Quem não gosta, faz ByPass...

Painel traseiro bem apetrechado: 4 entradas digitais (1coaxial + 3 óticas); entrada USB; entrada para receptor Bluetooth (fornecido). 6 entradas analógicas (1 phono + 5 de linha) e ainda: PreOut, Rec Out, Sub Out e Amp In.

A App Advance PlayStream só controla as fontes de streaming. Para todas as outras fontes, incluindo as digitais, e funções vai precisar do controlo remoto (muito completo) ou do painel frontal de controlo (touch buttons), no qual o botão rotativo/pressão do volume é protagonista.


AbsoluteSounds950x438
Publicidade