Reviews Testes

Chord Qutest, another brick in the wall (of Chord fame)

DSCF0082 copy3.jpg

O Qutest, como o nome indica, é a versão ‘superlativa’ do ‘2Qute’, que vinha montado numa caixa de alumínio maior, e por isso era mais caro. Só que é muito mais do que isso: é a versão desktop do Chord 2, o melhor modelo portátil da Chord e o que mais se aproxima, tanto em termos tecnológicos como de qualidade de som, do fabuloso Dave.

O Qutest é o ideal para todos os audiófilos puristas que, como eu, são fãs de Rob Watts, mas não precisam nem da relativa ‘portabilidade’ que a alimentação por baterias permite, nem das funções de prévio de linha e de amplificador de auscultadores do Hugo 2.

De resto, o Qutest utiliza exactamente a mesma tecnologia DAC do Hugo 2, por metade do preço, mas apenas para utilização ‘doméstica’. Não que seja tão grande ou pesado que não se possa levar em viagem de uma casa para outra, desde que tenha lá um sistema de som onde possa ser integrado.

Sim, porque, embora o Qutest possa - e deva – ser ligado por cabo USB a um computador, com um media player instalado, como o excelente e muito acessível JRiver, para obter dele o máximo ‘efeito’, em termos de processamento de sinais de alta resolução até 32 bit/768kHz e DSD512, vai precisar de um andar de prévio (pré-amplificador) para regular o volume e um andar de potência (amplificador) para alimentar um par de colunas ou de auscultadores, ao contrário do Hugo 2 que é auto suficiente nestes dois aspectos, menos na alimentação directa de colunas, claro, embora isso seja possível com o futuro Chord TT2, que debita 18W à saída do DAC (!!).

As entradas digitais coaxiais utilizam fichas BNC, uma idiossincrasia britânica com fundamento técnico.

As entradas digitais coaxiais utilizam fichas BNC, uma idiossincrasia britânica com fundamento técnico.

O Qutest substitui com vantagem imediatamente óbvia qualquer DAC interno de um leitor-CD, ou mesmo externo, até ao dobro do preço – e mais além (!) – podendo ser ligado por cabo óptico TOSlink (resolução máxima 24 bit/192kHz) ou coaxial (resolução máxima 24 bit/384kHz.

…Qutest substitui com vantagem imediatamente óbvia qualquer DAC interno de um leitor-CD, ou mesmo externo, até ao dobro do preço – e mais além (!)…

Neste último caso, de notar que as fichas são do tipo BNC e não as mais vulgares RCA. Os fabricantes ingleses sempre gostaram destas idiossincrasias, vejam-se as opções ao longo dos anos por ligações ‘esquisitas’ da Naim e Quad, só para dar dois exemplos.

Mas há boas razões aqui para utilizar fichas BNC, não só porque são mais seguras e garantem uma melhor impedância, mas sobretudo porque, estando disponíveis duas, podem ser utilizadas em dual-mode, permitindo a transmissão de sinais digitais até 768kHz, desde que se disponha de um transporte com M-Scaler, como é o caso do Chord Blu MkII.

O Qutest é um ‘tijolinho’ simpático, de cor negra, que se ilumina como uma árvore de Natal

O Qutest é um ‘tijolinho’ simpático, de cor negra, que se ilumina como uma árvore de Natal

Se não tem o ‘Blu’ vai precisar de um cabo digital coaxial com uma ficha RCA na entrada e BNC na saída. Eu tinha um excelente cabo da Siltech e foi o que utilizei para ligar o Qutest ao meu transporte Universal Oppo, embora o grosso da audição tenha tido como base a ligação USB, com isolamento galvânico, ao meu PC e este via cabo de rede à base de dados no Synology, onde eu guardo os tesouros em super alta resolução, incluindo DSD512.

O Qutest é um ‘tijolinho’ simpático, de cor negra, que se ilumina como uma árvore de Natal, mas bem mais pesado que o anterior 2Qute. Pode utilizá-lo como arma de arremesso, se tentarem assaltar-lhe a casa para o levar…

Quando se liga, a janela circular central, tipo vigia de submarino de Julio Verne, ilumina-se sucessivamente de todas as cores correspondentes às diferentes resoluções (ver tabela), e fixa-se depois automaticamente na cor da resolução em conversão activa.

O Qutest ‘converte’ sem problemas, ‘clics’ ou ‘soluços’ todas as frequências de amostragem da tabela abaixo, e não se intimidou nem mesmo na presença de DSD515 nativo ou PCM768kHz, iluminando-se a janela com a cor respectiva.

Os dois botões mais pequenos são de selecção manual para os diferentes filtros: Incisive neutral/linear (branco); Incisive neutral HF roll-off (verde); Warm (laranja); Warm HF roll-off (vermelho) e entradas: USB (branco); Coax1 (amarelo); Coax2 (vermelho); óptico (verde).

Se pressionar simultaneamente os dois botões, durante o processo de ligação, pode depois seleccionar o nível de saída: 1V RMS (vermelho); 2 VRMS (verde) e 3V RMS (azul).

Se utiliza um Mac não precisa de instalar qualquer driver. Se como eu utiliza um PC deve fazer o download do Windows-10-768Khz driver.zip, disponível no site da Chord.

Análise auditiva

O Qutest que me foi enviado pela Topaudio/Grupo JLM era novinho em folha, ainda dentro da embalagem original. O Chord aconselha algumas dezenas de horas de ‘queima’, mas sinceramente logo ao primeiro vagido o ADN sónico estava lá todo.

Contudo, se notar alguma dureza na gama média, opte por um dos filtros ‘Warm’, numa primeira fase, e quando o Qutest já estiver ‘no ponto’ pode avançar para um dos filtros ‘Incisive’ que têm mais recorte no grave e informação no agudo. Eu opto pelo ‘Verde’ – e não sou ‘lagarto’…

A diferença é subtil mas ainda assim audível, sobretudo se comparar directamente Branco e Vermelho.

…o Qutest e o Hugo 2, na sua função básica de DAC, soam como duas gotas de água – indistinguíveis…

Como seria de esperar, o Qutest e o Hugo 2, na sua função básica de DAC, soam como duas gotas de água – indistinguíveis. Embora eu arrisque dizer que o Qutest se aproxima ainda mais do Dave, talvez porque o circuito USB tem isolamento galvânico. Rob Watts garantiu-me que o Hugo 2 não utiliza isolamento galvânico, porque não precisa, mas…

O teste que fiz ao DAVE, a Magnum Opus de Rob Watts, é um dos mais completos que já publiquei sobre um DAC/headphone amp. Está lá tudo, pelo que aconselho os leitores a lê-lo com atenção aqui para não ter de me repetir.

Quanto mais não seja para ficar a saber que, por uma fracção do preço (€ 1 445), o Qutest lhe oferece muito mais que uma fracção da qualidade de som do DAVE, que custa €10 000.

…por uma fracção do preço (€ 1 435), o Qutest oferece muito mais que uma fracção da qualidade de som do DAVE, que custa €10 000…

Assim, termino com uma afirmação arrojada que proferi quando testei o DAVE e que volta a cumprir-se na integra: ‘todos os DACs Chord concebidos por Robert Watts são invariavelmente ‘melhor-compra’ na sua categoria…’. O Qutest não é excepção mas confirma a regra, por excesso.

Para mais informações:

Absolut Sound & Vision

DSCF0082 copy3

As entradas digitais coaxiais utilizam fichas BNC, uma idiossincrasia britânica com fundamento técnico.

O Qutest é um ‘tijolinho’ simpático, de cor negra, que se ilumina como uma árvore de Natal