Notícias

Imacustica: regresso ao futuro

DSCF0175 (2).jpg

JVH foi visitar a Imacustica-Lisboa, de máscara, mas com os olhos e ouvidos bem abertos, e foi recebido por Manuel Dias, que acredita numa retoma lenta mas sólida do mercado do áudio highend até ao fim do ano.

Ao desconfinamento, é preciso juntar agora a confiança - diz-me Manuel Dias - o homem do leme da Imacustica. E não é só a confiança no cumprimento das regras sanitárias, pois essas estão garantidas, nas lojas da Imacustica do Porto e Lisboa, é também a confiança na economia - adiantou.

De facto, a Imacustica é especialista em HighEnd, que engloba as gamas mais altas e exclusivas de equipamentos áudio de classe mundial, cuja compra implica investimentos substanciais, longas negociações e muitas visitas técnicas, almoços de negócios e de cortesia, até à decisão final. Tudo atividades que só pouco e pouco serão retomadas com normalidade.

Não basta dizer que o confinamento acabou para que tudo volte ao normal. Os nossos clientes são também empresários, quase todos já bem servidos de excelentes equipamentos de áudio. E para muitos deles este pode não ser o momento certo para pensar em ‘upgrades’. 

Já vendemos vários pares de Magico A3, mesmo durante o confinamento, revela Manuel Dias, com esperança de que ainda melhores dias virão...

Já vendemos vários pares de Magico A3, mesmo durante o confinamento, revela Manuel Dias, com esperança de que ainda melhores dias virão...

Eu também sou empresário e, embora em situação de lay-off, a minha primeira preocupação foi manter a empresa viva, embora em hibernação forçada, e depois garantir o rendimento das pessoas que colaboram comigo.

Eles têm feito um bom trabalho, tentando compensar os muitos projetos de instalações HighEnd em stand-by, com vendas de produtos mais acessíveis online, e apostando nas gamas média-alta do nosso vasto portefólio de marcas.

Os produtos de gama média estão a sair muito bem, segundo Manuel Dias: as Sonus faber Olympica Nova e Sonetto, por exemplo...

Os produtos de gama média estão a sair muito bem, segundo Manuel Dias: as Sonus faber Olympica Nova e Sonetto, por exemplo...

Tenho notado muito interesse da parte de jovens iniciados, que procuram sobretudo produtos com funcionalidades de streaming e também gira-discos analógicos baratos, da Rega e da Pro-Ject. Sim, porque nós vendemos produtos de outros distribuidores: o cliente tem sempre razão, e se é isso que ele quer, nós temos para venda ou mandamos vir.

‘O confinamento despertou o interesse de muitos iniciados nas artes da audiofilia’

Outro fenómeno interessante é o do aparecimento de iniciados, já não tão jovens assim. Audiófilos em potência, sem grandes conhecimentos, que finalmente têm tempo para se dedicarem à paixão pelo áudio. Acontece que, talvez com medo do Covid19, por vezes dispensam amavelmente os nossos serviços de montagem, embora sejam seguros, pois cumprimos todas as normas sanitárias.

Válvulas 'caramelizadas' no forno...

Válvulas 'caramelizadas' no forno...

Recentemente, um cliente comprou um amplificador Primaluna Prologue, e ligou-o sem antes ter retirado a proteção plástica que evita que as válvulas se quebrem no transporte. O resultado está aqui: quatro válvulas cristalizadas em lume brando! Já foram substituídas, e ele não podia estar mais feliz agora.

Os clientes sabem que nós estamos aqui sempre para os apoiar e proteger, mesmo quando dispensam a nossa proteção, enquanto mantêm outras ‘proteções’ que são totalmente dispensáveis. Nós não julgamos os clientes, ajudamos os clientes...

…à medida que o mercado e a economia estabilizarem, nós cá estamos para os receber a todos de braços abertos…

Mas à medida que o mercado e a economia estabilizarem, nós cá estamos para os receber a todos de braços abertos. Neste momento, o nosso principal trabalho tem sido o de apoio logístico e técnico. Aconselhar, ajudar, reparar, resolver – e também vender, embora menos agora – sempre que para isso somos solicitados, é o nosso lema.

Claro que os nossos auditórios estão sempre prontos (e desinfetados) para audições, que agora são ainda mais personalizadas e privadas. Basta marcar (ou não) e aparecer de máscara. Se a não tiver, nós fornecemos, assim como gel desinfetante à entrada e à saída. Quanto ao distanciamento social, é total. Se assim o pretender, não são 2 metros apenas, tem a sala toda só para si...

JVH em peregrinação audiófila

E foi assim que entrámos na loja da Imacustica-Lisboa, com as mãos desinfetadas e a cara tapada. Felizmente, a máscara não tapa os ouvidos, nem os olhos, e pudemos apreciar três instalações, de preço e qualidade crescente, em outros tantos auditórios diferentes, que só esperam a sua visita sem compromisso:

Sala 1: Marantz Ruby/ProAc Response 30 S                

Sala nr.1: Marantz/ProAc

Sala nr.1: Marantz/ProAc

Eis um sistema que conheço bem. A minha análise do Marantz Ruby duo foi publicada no Hificlube.net, em Abril de 2019, sob o título ‘Marantz KI Ruby, 40 anos de fidelidade’, que podem (re)ler clicando sobre o título. No tribunal do áudio, como dizem os americanos, ‘I rest my case’. O que tinha a dizer está dito - e bem dito, espero.

Uma maravilha de auditório, só para si...

Uma maravilha de auditório, só para si...

Onde não há novidades, pode haver grandes oportunidades.

O leitor pode ir à Imacústica, sentar-se nesta maravilha de auditório, e comprovar se a minha ‘sentença’ foi justa, ou não. Se não concordar, no hard feelings. Nos países democráticos, a opinião é tão livre que até há nos fóruns discussões acesas sobre equipamentos que os opinadores nunca ouviram, e só conhecem das fotografias, ou por terem lido algo, algures, escrito por um guru de pacotilha! Ora, aqui está uma boa oportunidade para colmatar essa ‘insuficiência cultural’ e ‘tirar as coisas a limpo’.

Marantz Ruby CD/SACD player

Marantz Ruby CD/SACD player

Marantz Ruby, amplificador integrado

Marantz Ruby, amplificador integrado

Escondido no meio dos Marantzs, está uma miniatura Limetree Network (da alemã Lindeman), que estou agora mesmo a testar: um mini streamer, que é também um amplificador de auscultadores, um prévio/DAC e upsampler para DSD256, e custa menos de 900 euros! Brevemente, a estreia nacional vai acontecer numa página bem perto de si…

Sobre as ProAC, podem (re)ler esta reportagem de uma visita anterior, com amplificação diferente, publicada em 04Out2017: Imacshow 2017 – Audio Analogue e ProAc  

Sala 2: dCS Bartók, ARC LS28/160M, Sonus faber Amati Tradition

Sala nr.2, local de reencontro com uma velha conhecida: Sonus faber Amati Tradition

Sala nr.2, local de reencontro com uma velha conhecida: Sonus faber Amati Tradition

Onde não há novidades, pode haver grandes oportunidades. Por vezes, a melhor decisão é investir em contraciclo. Por exemplo, num par de Amati Tradition, o topo de gama da Sonus faber Homage Tradition, que analisei em profundidade para o Hificlube.net em Abril de 2017, num artigo intitulado ‘Sonus faber Homage Tradition - audição integral’ , e que podem (re)ler clicando sobre o título.

Audio Research LS28, preamplifier

Audio Research LS28, preamplifier

Audio Research 160M monoblocos

Audio Research 160M monoblocos

Na altura, ouvi-as também com amplificação Audio Research, embora não ao nível destes fabulosos 160M, e da audição fiz este registo em vídeo.

dCS Bartók Headamp/DAC e Streamer de alta resolução

dCS Bartók Headamp/DAC e Streamer de alta resolução

Como fonte, outro velho conhecido meu, o dCS Bartók, que foi analisado, com pompa e circunstância, neste artigo publicado no Hificlube.net, em Julho de 2019: dCS Bartók DAC – bar aberto para a música. Clique, entre e beba qualquer coisa, enquanto lê.

Sala 3: dCS Vivaldi One, Dan d’Agostino Progression Pre/Monoblocos, Magico M6

…o templo da música onde nos benzemos com gel desinfetante antes de entrar…

…o templo da música onde nos benzemos com gel desinfetante antes de entrar…

Agora, chegou a vez do 'Teatro dos Sonhos', o templo da música onde nos benzemos com gel desinfetante antes de entrar. Sobre a eletrónica de Dan d’Agostino, os leitores podem ler aqui e aqui, o que escrevi sobre eles na revista HiFi News, em inglês, que é a língua audiófila universal, e por isso tem mais credibilidade técnica, embora a língua portuguesa seja a minha pátria bem amada.

D'Agostino Progression preamplifier (foto obtida no Highend 2018, Munique)

D'Agostino Progression preamplifier (foto obtida no Highend 2018, Munique)

Sobre as Magico M6, pouco mais há para dizer além do que ficou dito aqui: Magico M6 - 1ª audição formal na Imacústica.

Como um deus no altar da música, as Magico M6 estão lá para ‘o ouvir’ e para ‘as ouvir’, numa prece de esperança para que tudo volte à normalidade, de forma tão rápida quanto a velocidade com que reproduz os transitórios e mantém a estabilidade, mesmo quando o processo musical em curso está cheio de situações ‘graves’ para resolver.

Para informações sobre vendas online ou presenciais, apoio técnico e marcações de audições contacte a IMACUSTICA.

 

DSCF0175 (2)

Já vendemos vários pares de Magico A3, mesmo durante o confinamento, revela Manuel Dias, com esperança de que ainda melhores dias virão...

Os produtos de gama média estão a sair muito bem, segundo Manuel Dias: as Sonus faber Olympica Nova e Sonetto, por exemplo...

Válvulas 'caramelizadas' no forno...

Sala nr.1: Marantz/ProAc

Uma maravilha de auditório, só para si...

Marantz Ruby CD/SACD player

Marantz Ruby, amplificador integrado

Sala nr.2, local de reencontro com uma velha conhecida: Sonus faber Amati Tradition

Audio Research LS28, preamplifier

Audio Research 160M monoblocos

dCS Bartók Headamp/DAC e Streamer de alta resolução

…o templo da música onde nos benzemos com gel desinfetante antes de entrar…

D'Agostino Progression preamplifier (foto obtida no Highend 2018, Munique)