High End 2017 - Munich

High End 2017 Munich – Day three

Highend 2017 - day two-5398.jpg

Sábado é dia de enchente no MOC. JVH juntou-se à multidão que celebrava com o... Bayern na baixa da cidade. E só chegou ao MOC quando a maré vazou...

Na Marienplatz, celebrava-se a vitória do Bayern no campeonato. Muita segurança, muita cerveja, muita gente. Fui ao Hard Rock comprar umas T-shirts para os netos e almocei no mercado, onde vi frutas exóticas que nunca comi, quase todas da Tailândia.

À tarde, no MOC, era altura de descer ao ‘mercado’ do áudio, com quatro enormes espaços cheios de stands abertos e contentores-auditórios, onde também se exibem alguns produtos exóticos, sobretudo colunas de som e gira-discos que desafiam a imaginação, como o futurista MAG-Lev, cujo prato levita – leu bem – levita num campo magnético!

Mas sigamos o roteiro do vídeo, que o leitor pode ver no estilo ‘No comments’, ou então abre duas janelas no ecrã e vai acompanhando a descrição que se segue:

As colunas floridas, apropriadamente chamadas Bouquet, são da marca Voyla - vêm da Ucrânia – e já tinham sido exibidas o ano passado (ver reportagem High End 2016).

Mas este ano havia uma novidade: as No Limits, das quais a Voyla ofereceu um par para licitar, sendo a receita para fins humanitários (ver artigo de Abertura). Fiquei curioso e fui ouvi-las, e então não é que tocam bem. O baixo é profundo, estava a tocar ‘Le temps Passé’ do Michell Jonasz, pois claro. Mas se pensam que aquilo é um woofer gigante desenganem-se. É apenas a caixa onde estão montados os altifalantes...

A Quad apresentou em estreia mundial um novo modelo de electrostáticas, as ESL60. São mais esguias e altas que as 2912. Mas estavam apenas em exibição estática. ‘Se quiser ouvi-las, vá ao hotel Marriot, estão lá a tocar...’. Eh, pá, não tenho tempo para tudo...’ Logo que cheguem à Esotérico, estou na fila de espera. Se tocarem tão bem como a ‘Senhora dos Anéis' (ver teste).

A Pro-Ject é especialista em gira-discos. Já vos mostrei no artigo anterior o novo modelo de luxo comemorativo dos 75 anos da Filarmónica de Viena. Mas também fazem componentes em miniatura para gente grande, como estes deliciosos DACs, prévios digitais e amplificadores  de auscultadores.

E todos compatíveis com MQA. Pois se até a dCS já apanhou o comboio do MQA. Parece que o Bob Stuart desta vez acertou no jackpot...

A Tannoy que, tal como a Pro-Ject, é distribuida entre nós pela Support View, continua a melhor tradição do áudio escocês mantendo viva a série Legacy. Mobiliário rústico em madeira natural com som de luxo...

A Ayre apresentou a Série 8: todo o sabor dos Twenty por um preço mais em conta, e especificações fabulosas. O AX-8 é um amplificador integrado, com todas as funções digitais (DAC assíncrono 44-384, DSD64) e a topologia double-diamond. Lá dentro, 80W, controlo de volume VGT e ‘upgradeable’, porque com o digital nunca se sabe...

Há muito tempo que não via uma Sonus Faber ‘Snail’ original, a primeira coluna desenhada por Franco Serblin, e que foi a base da inspiração de Livio Cucuzza para criar as SF16 (ver reportagem da ‘Wom Convention, Sardenha’.

Já me tinham dito maravilhas das colunas omnidiraccionais Muraudio. Fui ouvi-las alientadas por electrónica Simaudio Moon. São boas. Tocam muito bem. Mas nada que se compare com as MBL, por exemplo.

Quando entrei no ‘contentor’ da Ayon estava a cantar o Lou Reed: ‘take a walk on the wild side, and coloured girl go tuturuturu…’. Não resisiti e em vez da foto da praxe, fiz um video curto com som directo: ‘tuturuturu’…

A Clearaudio é ‘Innovation’ como o nome indica – e beleza, e arte e engenharia alemã de topo. Estes modelos de cores sortidas são versões mais em conta do Statement.

O ano passado Dietrcih Brakemeyer deslumbrou os amantes do analógico com o gira-discos Apolyt, aqui na foto: o mais caro e o mais pesado gira-discos de sempre (200 quilos)!...

Mas este ano a MAG-LEV audio bateu todas as expectativas com o ‘The First Levitating Turntable’. É isso, o prato levita e gira num campo magnético. Não se trata de uma almofada de ar. O prato não tem qualqauer contacto com a base!...

Veja a foto, e se não acredita, veja o curto video tira-teimas. E não era brincadeira, estava a tocar. Eu não ouvi, porque a audição era com auscultadores, e eu não uso auscultadores que passaram sabe-se lá porque quantos milhares de cabeças antes da minha...

Vejam a multidão que estava no Hor Bar a ouvir auscultadores. Pior: alguns como estes Audeze iSine20 planar magnéticos são de enfiar no ouvido!...Troca de fluídos corporais? Cuidado com a hepatite A...

Também planar magnético é o protótipo do Concept One da Final.

Depois de muitas horas no Hor Bar (bar de escuta) arrisca-se a ficar assim!, com os olhos em chamas e tudo...Sobretudo se ouvir Billie Jean com os novos auscultadores híbridos oBravo HAMT2. Uau, man what a bass performance...

Como é que eu sei? Testei o HAMT1 aqui, e parece que os HAMT2 ainda são melhores. Não ia agora utilizar os auscultadores do morto...

E para terminar por hoje, nada melhor que uma sessão de autógrafos por Hans Theessink, himself, um dos mais aaclamados artistas do som audiófilo mundial.

Veja ambos os videos em full screen em HD 4K. E compare a versão You Tube com a versão Vimeo. É como comparar Hifi com Highend...

(Continue sintonizado no Hificlube para seguir a longa reportagem integral do High End 2017, que ainda vai no adro...)

Highend 2017 day two 5398