Editorial

40 Anos de Dark Side of The Moon

Dark Side of The Moon, capa do SACD comemorativo do 30 aniversário

Em 2003, colaborava então com o DN, profetizei que a Edição Comemorativa do 40º Aniversário de Dark Side of the Moon, dos Pink Floyd, seria em Blu-ray.


De facto, há uma edição em Blu-ray, mas eu não podia estar mais enganado. Agora, o que está a dar é a Spotify. Os próprios Pink Floyd já chegaram à conclusão que “quantidade” é melhor que “qualidade” (pelo menos para os bolsos deles).


 

Dark Side of The Moon, desenho da capa do LP original

Dark Side of The Moon, desenho da capa do LP original

Que lhes faça bom proveito. Eu continuo a achar que a melhor edição de sempre (em termos de qualidade de som) foi a versão em LP da Mobile Fidelity, cuja cópia estupidamente ofereci a um amigo, que me comprou um giradiscos, junto com o melhor LP de sempre da Mobile: Supertramp, Crime of The Century.


Foi o crime do século, admito.


Por qualquer estranha razão (provavelmente devido às guerras entre Roger Hodgson e o resto do grupo), os Supertramp nunca disponibilizaram as matrizes para reedição em formatos HD (SACD, BD e HD Tracks). É pena. Gostava de as ouvir em DSD, wth a little help from Wadia Intuition.

Depois do LP, o SACD comemorativo do 30º Aniversário, é um “must”, e tudo que eu escrevi então sobre o assunto, que faz parte do vasto espólio dos Arquivos do Hificlube (disponíveis na Pesquisa), continua a ser actual.

Dark Side of The Moon, espectograma SACD (2 canais principais) editado a 88,2kHz por Guthrie

Dark Side of The Moon, espectograma SACD (2 canais principais) editado a 88,2kHz por Guthrie

A matriz é 5.1 mas, como prova o espectograma acima dos dois canais principais (clique na lupa para aumentar), não foi produzida em DSD mas em PCM, a 88,2kHz. Muito bom, mesmo assim.


Para os leitores não perderem muito tempo com as Pesquisa, o Hificlube disponibiliza-lhes a “papinha-já-feita” nos Artigos Relacionados.


Comecem por “O Lado Oculto da Lua”, a minha crítica ao SACD, publicada no DNA em 2003, e leiam depois também “Luta de Galos” e “O Fantasma de John Lennon”.


A título de curiosidade, o artigo 'Luta de Galos' foi comentado na imprensa em termos jocosos por RAP. Esse mesmo, Ricardo Araújo Pereira, que então começava a sua carreira.


Para resumir escreveu ele uma palermice qualquer que fechava com a seguinte conclusão: 'JVH não dorme com uma mulher desde os tempos do vinil'.


Na altura, não achei graça nenhuma, como os leitores podem constatar num outro artigo publicado no DNA em Março de 2007: Gato Fedorento Diz Que É uma Espécie de Audiófilo', que também podem ler nos Artigos Relacionados (a vantagem de ter tudo guardado no Arquivo).


Continuo a achar que é uma piada estúpida, até porque ele não me conhecia de lado nenhum e eu era - e sou - caso e feliz. Se fosse agora, era capaz de me dar mais 'likes' do que o meu próprio artigo. É a vida, como dizia o Guterres.


A vitória da Spotify sobre o Blu-ray e o SACD não é, pois, obra do acaso, é fruto do tempo que vivemos: o tempo dos 'likes'.


Um milhão de 'likes' (reproduções) de Wish You Were Here é que os Pink Floyd exigem para disponibilizar toda a sua discografia na Spotify.


40 anos depois, vão atingir novo objectivo com um disco velho.


Quanto a mim, I am still here: once an audiophile, always an audiophile!... Fico à espera para ouvir a Edição Comemorativa dos 50 Anos, talvez num novo sistema 'implantado no ouvido para substituir os auriculares' concebido por um neurologista audiófilo...

Dark Side of The Moon, capa do SACD comemorativo do 30 aniversário

Dark Side of The Moon, desenho da capa do LP original

Dark Side of The Moon, espectograma SACD (2 canais principais) editado a 88,2kHz por Guthrie