Reviews Testes

Dan D’Agostino Progression Integrated - audição crítica de JVH

Progression INT - front b&w.jpg

O modelo mais recente da Progression Series já chegou à ocidental praia Lusitana e vai ainda além da Taprobana: soa (quase) como o Momentum Integrated.

O Progression INT sofreu uma profunda transformação estética, desde que Dan D’Agostino me apresentou o protótipo (provavelmente, então, era apenas um mock-up para efeitos de exposição estática no Highend 2019).

O Progression INT sofreu uma profunda transformação estética, desde que Dan D’Agostino me apresentou o protótipo (provavelmente, então, era apenas um mock-up para efeitos de exposição estática no Highend 2019).

De um ‘caixote com olhos’ evoluiu para um ‘objecto de desejo’. Ainda por cima, um desejo concretizável, pois o modelo-base custa apenas 21.800€, um preço relativamente acessível para um produto da escudaria Dan D’Agostino Master Systems. O Momentum Integrated, por exemplo, tem um preço de 59.990€.

Design final do Dan D'Agostino Progression Integrated

Design final do Dan D'Agostino Progression Integrated

O design final é muito mais apelativo, sobretudo a opção pelos ‘labirintos’ de aletas laterais de dissipação a la Relentless, o baixo perfil, as linhas redondas (e macias) em alumínio sólido, com o ADN do Progression Pre presente no botão de volume com seu anel de cobre, os vuímetros e o painel de comandos, estes montados numa moldura, em vez de incrustados.

Pormenor dos vuímetros e das aletas de dissipação do Progression Integrated

Pormenor dos vuímetros e das aletas de dissipação do Progression Integrated

A seleção de fontes: Server, Aux, Theater (pass-through), Radio, Phono e DAC, faz-se nos botões do painel, no controlo remoto (por Bluetooth) ou por meio de uma App de comando baseada na mConnect.

Controlo remoto (Bluetooth) do Progression Integrated

Controlo remoto (Bluetooth) do Progression Integrated

Tal como no Momentum Pre, os vuímetros têm multifunções informativas: nível de sinal, volume, equilíbrio entre canais, fase (polaridade) e ‘Mute’.

Progression Preamp (ler pdf teste de JVH publicado na revista Hifi-News), clicando no link fornecido no corpo deste artigo.

Progression Preamp (ler pdf teste de JVH publicado na revista Hifi-News), clicando no link fornecido no corpo deste artigo.

O coração do sistema é a tecnologia DDMAS, totalmente discreta, integralmente balanceada (input to output), e ligação direta do andar de saída sem recurso a condensadores, debitando 200W/8 e 400W/4, suportados por uma fonte de alimentação com base no mesmo toroidal utilizado nos Momentum 400.

O Progression INT apresenta-se nas cores ‘prata’ e ‘negro’ e, sendo modular, parte de uma base analógica (21.800€) de linha (3 entradas balanceadas XLR, além da Theater, e 2 x RCA; e uma saída XLR para um amplificador externo ou subwoofer) à qual se pode adicionar um módulo Phono MC (2.650€) e um módulo digital (6.500€), com um DAC de alta resolução (DSD256, PCM 24-384kHz (1) em modo diferencial, com entradas coaxial, ótica e USB, além de ligação à rede por Ethernet e Wi-Fi para funções de streaming a partir de um servidor doméstico ou fornecedor externo: Tidal, Qobuz, Deezer e Spotify, sendo compatível com MQA e Roon.

  • Informação disponibilizada pela Imacustica, que não confirmámos, pois trata-se aqui de uma primeira audição crítica, e não de um teste hands-on. Na press-release é referida a resolução máxima PCM de 24-192kHz. Mas se tem resolução DSD256, a resolução PCM384kHz tem mais lógica.
Painel traseiro do Progression Integrated. Repare na indicação de saída para Headphones (?).

Painel traseiro do Progression Integrated. Repare na indicação de saída para Headphones (?).

Nota:

Em algumas fotos do painel traseiro pode ver-se uma misteriosa saída para Headphones (activa!), que não está referida na literatura distribuída (e que não investiguei, pois este não é um teste hands-on). Ainda pensei que seria provavelmente para adicionar um módulo de amplificação de Classe A dedicada no futuro. Isto seria a cereja no topo do bolo…E é, pois, segundo me informa agora Paulo Soares, a saída está activa, embora não 'corte' a saída para as colunas quando se introduz o jack.

Audição crítica

Auditório 2 da Imacustica-Lisboa: sistema integral composto por dCS Rossini+Clock, Bartók, Progression INT e colunas Wilson Audio Yvette

Auditório 2 da Imacustica-Lisboa: sistema integral composto por dCS Rossini+Clock, Bartók, Progression INT e colunas Wilson Audio Yvette

O Progression INT atuou no auditório 2 da Imacustica, integrado numa banda composta pelos dCS Rossini e Bartók e as colunas Wilson Audio Yvette, tudo cablado pela Transparent Audio.

O concerto, necessariamente breve, em tempo de Covid19, foi dirigido por Paulo Soares que fez as honras da apresentação (de máscara, claro):

Ouvi CD ‘transportados’ pelo dCS Rossini, streaming da Tidal via Bartók e, claro, também apenas o dueto Progression Integrated/Wilson Audio Duette, tendo como fonte privilegiada o Innuos da rede interna da Imacustica, via streaming.

Uma questão de carácter

Como sabem – e eu não cesso de o repetir – testei para a revista Hifi News os Progression Mono, o Progression Preamp/Stereo e também as Wilson Audio Yvette (clique para abrir o pdf respetivo com o teste em inglês).

O teste do Integrated também estava ‘apalavrado’ e, logo que este chegou a Portugal, Manuel Dias teve a amabilidade de me telefonar e dizer: vem buscá-lo, ainda está embalado!...

Mas, tratando-se de uma peça única, achei por bem não privar os potenciais interessados de o ouvir (e aposto que vão ser muitos) nas mesmas condições que me foram proporcionadas – e até com a mesma música, se assim o entenderem, pois ouvi apenas faixas propostas por Paulo Soares, não interferindo nem na seleção, nem na montagem e colocação.

…o Progression Integrated tem o ADN da Progression Series e a personalidade da família Momentum…
O par perfeito: Progression Integrated + Wilson Audio Yvette. That's all you need...

O par perfeito: Progression Integrated + Wilson Audio Yvette. That's all you need...

E, talvez por isso, cheguei à mesma conclusão que Paulo Soares: o Progression Integrated tem o ADN da Progression Series, isso é óbvio, mas o caráter e a personalidade sonora são da família Momentum, sobre a qual escrevi:

Momentum é, por certo, um dos melhores amplificadores a transístores do mundo, e o melhor amplificador a transístores de um mundo por mim idealizado, enquanto audiófilo e crítico. Porque nunca como agora a análise crítica e a audição pessoal coincidiram tanto nos resultados obtidos: não é mais possível separar com clareza a razão da análise da emoção da audição.

…o Progression Integrated usufruiu ainda de uma grande vantagem: foi concebido tendo já como referência o som dos Relentless…

A voz sensual e sussurrada de Mina Agossi, pairando sobre a estrutura cheia e definida de graves do contrabaixo acústico, fluindo como as ondas na maré: ondas que ora batem forte, oram morrem no vasto palco sonoro da praia silenciosa.

Pode parecer um exercício de fácil execução. Mas não são muitos os amplificadores que mantêm a definição e a extensão das linhas de baixo, sem interferir no dramatismo da dicção, na projeção da voz e na claridade dos glissandos e detalhes de percussão.

Por vezes, senti que o microfone estava em sofrimento face à espantosa escala dinâmica da voz de Bartoli, que vai do extremo agudo ao médio-grave (Bartoli é uma mezzo-soprano que se transforma em soprano de coloratura, sempre que a peça o exige). Não me estou a referir ao microfone utilizado para a captação original, antes ao que utilizei para fazer esta captação direta na Imacustica, sem qualquer processamento posterior.

Mas na sala nunca senti que o Progression Integrated estivesse sob stress. Antes pelo contrário, pois parecia comprazer-se em provar que vai até onde for preciso para reproduzir o que lhe pedem, independentemente da dificuldade. Levou a Bartoli ao colo, como uma noiva de Santo António, o que, convenhamos, é obra!...

Tudo isto sem perder a compostura, o controlo absoluto das Yvette e a noção de espaço que rodeia a orquestra e o coro.

Quando crescer, quero ter os Relentless. Entretanto, era capaz de viver feliz com este Progression Integrated.

Depois da filigrana harmónica e da dinâmica da voz de Bartoli, sinta o poder da secção rítmica que propulsiona esta peça funk, de George Duke. A captação direta do som na sala não faz justiça à incrível solidez e ataque do binómio baixo/percussão.

Se sempre desejou ter um Momentum Integrated, mas temia a aventura do investimento necessário, eis the next best thing for half the price…

O Progression é um integrado para todas as ocasiões e… funções. Um amplificador dos tempos modernos que se vai tornar um clássico rapidamente.

Vá ouvi-lo, nas exactas condições em que o ouvi, no auditório 2 da Imacustica-Lisboa, e vai perceber quando eu afirmo que tem a personalidade dos Momentum e o perfume dos Relentless. Os vídeos que publico são apenas um 'cheirinho...

Marque já a sua audição:

Imacustica Lisboa

Avenida do Brasil 147 B
Lisboa 1700-067

T - 216 063 393
M - 917 520 721 | 918 537 460 | 912 268 894
E - imacustica.lx@imacustica.pt
N 38.759654 W -9.138171

Progression INT front b&w

O Progression INT sofreu uma profunda transformação estética, desde que Dan D’Agostino me apresentou o protótipo (provavelmente, então, era apenas um mock-up para efeitos de exposição estática no Highend 2019).

Design final do Dan D'Agostino Progression Integrated

Pormenor dos vuímetros e das aletas de dissipação do Progression Integrated

Controlo remoto (Bluetooth) do Progression Integrated

Progression Preamp (ler pdf teste de JVH publicado na revista Hifi-News), clicando no link fornecido no corpo deste artigo.

Painel traseiro do Progression Integrated. Repare na indicação de saída para Headphones (?).

Auditório 2 da Imacustica-Lisboa: sistema integral composto por dCS Rossini+Clock, Bartók, Progression INT e colunas Wilson Audio Yvette

O par perfeito: Progression Integrated + Wilson Audio Yvette. That's all you need...