audioshow 2016

audioshow 2016 - parte 2 - esoterico



Esotérico


Foyer Beau-Séjour


Focal Sopra nº2


Naim NDX


Prévio Naim NAC 252 + Supercap


Power NAP 300


Nota: ouvir de preferência com um bom DAC/Head amp e auscultadores ou ligado ao seu sistema de som doméstico. Para melhor apreciar as fotos visualize em HD2K ou 1080p e em full screen.

A mais bela sala do Pestana Palace – até a vista sobre a cidade com a ponte ao fundo é deslumbrante – é também uma das que tem pior acústica. Apesar dos esforços e do profissionalismo da equipa técnica, e de toda a experiência de Alberto Silva como demonstrador encartado, que colocaram longas faixas absorventes trompe-l’oreille suspensas no tecto, o meu microfone captou alguma reverberação, a que não é alheio o facto de a razoável distância entre o dito e as colunas permitir-lhe ‘distinguir’ entre som directo e reflectido, algo a que os nossos ouvidos cedo se habituam por processamento cerebral e esquecem.


Assim o que o microfone capta como reverberação, nós ouvimos como ‘ar’ e ‘ambiente’, o que até nem é uma coisa má em termos audiófilos. Oiça-se o pequeno excerto de Mozart, no qual se associam a ambiência do local de gravação e da sala num agradável e ‘arejado’ cocktail acústico. Contudo, pode também ouvir-se como uma ‘adiposidade’ artificial na voz de Zambujo e no sax de Heckman que, de facto, não é da responsabilidade da Sopra nº2.


Como escrevi recentemente na antevisão publicada aqui, a Sopra é a mais acessível das várias implementações da tecnologia ‘Utopia’, a que a Focal adicionou algumas técnicas inovadoras: NIC, Neutral Inductance Circuit, que funciona como uma gaiola de Faraday, evitando variações do campo magnético com o movimento da bobina; TMD, Tuned Mass Damper, que regula a elasticidade do bordo da suspensão em função da ressonância; e a mais espectacular IHL, Infinite Horn Loading, uma corneta de carga do tweeter, protegida por uma grelha metálica distintiva, que as distingue da concorrência e até da família próxima.


A construção é cuidada e o porte médio torna a Sopra nr.2 a mais doméstica das ‘Utopias’, embora não seja parte integrante desta série de referência, ainda que partilhe a curvatura da ‘lente convergente’ que lhe confere integridade e coesão acústica.


Sopra vai buscar o nome à variante italiana de etimologia latina Supra (superior, acima), mas pelo seu comportamento dinâmico bem que podia aceitar-se o significado literal, pois a Sopra nr.2 sopra e bem…


A Sopra nr.2 não é uma coluna fácil de alimentar - a impedância e eficiência declaradas são um pouco optimistas. A gama média é educada (ligeiramente recessiva na zona de presença como é ideal para ouvidos humanos) mas com um grave e um agudo (tweeter Focal de berílio) que precisam de um elevado factor de amortecimento, que lhes aqui é proporcionado pela excelência da electrónica Naim.


No Foyer Beau-Séjour, as Sopra nº2 exibiram a sua notável capacidade para criar um palco sonoro claro e amplo, com excelente focagem, um sentido rítmico que faz jus à velocidade da amplificação Naim (oiça-se o recorte da secção rítmica, composta por percussão, sopro e guitarra baixo, que acompanha António Zambujo), com as linhas melódicas do sax de Steve Heckman bem definidas, mantendo-se a inteligibilidade do acompanhamento da guitarra semi-acústica de Howard Alden, bem pontuada pelos bordões de baixo.


As Sopra nº 2 conferem alegria à reprodução musical, e a sua audição nas condições ideais do auditório da Esotérico em Loures são fortemente recomendadas, que é exactamente aquilo que voltarei a fazer logo que tenha oportunidade.


No mesmo espaço a Esotérico aproveitou para expor todas as suas marcas (ver slideshow que acompanha o registo da audição) e cá fora, no corredor, o novo cubo Naim MuSo fez sucesso.


Para mais informações:


Esotérico


Coordenadas GPS:


Latitude: 38º 50' 18' N 
Longitude: 09º 10' 08' W


Morada:


Praceta Alves Redol, Nº2 
2670-353 Loures


Telefone:


219839550


Email:


geral@esoterico.pt