2010

Imacústica: Festa De Abertura Da Loja De Lisboa

Imacústica: Festa De Abertura Da Loja De Lisboa



FOI BONITA A FESTA, PÁ
 




Imacústica/Lisboa (foto Imacústica)
Largo do Casal Vistoso, 3B (ao Areeiro), em Lisboa
 



O Manuel Dias não é apenas um distribuidor de highend. É um amigo também. Uma amizade que se cimentou, ao longo de 30 anos, nesta paixão comum pelas coisas do áudio.

Sob pena de me repetir, cedendo prematuramente à síndrome da PDI, quando as memórias do passado teimam em afluir ao discurso em catadupa, enquanto o presente nos passa ao lado com relativo desinteresse, não vou contar de novo a história do nosso primeiro encontro, em Paris, sob a égide de Ricardo Franassovici.


Os leitores interessados em dados biográficos comuns podem seleccionar em “Artigos Relacionados” a leitura de alguns artigos sobre a Imacústica, já publicados na velha e na nova página do Hificlube.


Alguns prefiro não os reler, pois narram acontecimentos que remontam aos anos oitenta, e trazem-me saudades do tempo em que eu ainda era capaz de me emocionar com todos e cada um dos novos equipamentos de som. Agora tornei-me mais selectivo e racional na análise, mais distante e, porventura, mais isento nas minhas apreciações.


 

                          Imacústica/Lisboa: Sala Principal (foto Imacústica)  
 


Em contrapartida, tornei-me mais emotivo, sobretudo quando se trata de pessoas de quem gosto. E eu gosto do Manuel, da São e de toda a sua adorável família, que, sendo boa gente do Norte, engloba também a equipa com que trabalha há anos: o Guilhermino, o Luís (a quem desejo pronta convalescença do braço partido – não o do gira-discos, o próprio...), e os elementos mais jovens essenciais para garantir a renovação, sensíveis às novas tecnologias, mas com um ouvido atento ao passado e à tradição audiófila.

O Manuel Dias não tem só a minha amizade, tem a minha incondicional admiração por tudo o que tem feito pelo áudio em Portugal. Claro que é um negócio. Mas a sua dedicação aos clientes é mais que uma simples obrigação profissional. Ele entende-a como um dever ético, um exercício de relacionamento social. Eu entendo-a como um exemplo.


E nada o obriga a investir em contraciclo, numa época de crise e de bancarrota anunciada, numa loja que subverte a lógica centralista do país: do Porto para Lisboa e não o inverso!...


Só por isso merece o nosso aplauso. O Hificlube dedica-lhe uma aclamação de pé, e deseja-lhe – e a toda a sua família e equipa – que a iniciativa seja coroada de êxito.
 


Imacústica Lisboa: Sala 1 (foto Imacústica)

 

Até porque Lisboa já merecia uma loja assim. E nós também. Em Lisboa, tal como no Porto, vão manter a filosofia proactiva de interacção constante com o público, propondo saraus e sessões temáticas, às 4ª feiras, ao fim da tarde.
 




Cheguei cedo. Ainda a equipa de catering, vinda propositadamente do Porto, se afadigava na preparação dos aperitivos; e se ultimavam os últimos retoques na decoração. Fui brindado com um “Matateu”, um doce regional a que eu não resisto. Depois, enquanto eles trabalhavam, eu divertia-me.



Na Sala 1:
 

 



Colunas - Wilson Audio Sophia III


Amplificação – Devialet D-Premier


Fonte – Krell Evolution 505



Cabos – Nordost Heimdall



Voltei ao convívio do Devialet D-Premier, depois de o ter testado para o Hificlube. Desta feita, alimentava com evidente à vontade um par de Sophia III, que já usufruem das novas tecnologias e unidades das Sasha. A música clássica fluia com facilidade. Ainda não foi desta que ouvi o Devialet com ficheiros de alta resolução. Agora que já disponho de alguns, vou ter de pedir ao Manuel o regresso do Devialet chez JVH. 



Na Sala 2:
 
 



 

Colunas - Martin Logan Ethos


Amplificação - Pré Audio Research Reference 5
 
                       - Power Audio Research Reference 110
 
Fonte – Audio Research Reference CD 8


Cabos – Crystal Cable Ultra



Dei comigo a ver o video de um concerto de Pat Metheny, enquanto tentava encontrar o melhor ângulo para mostrar a beleza e as qualidades acústicas das Martin Logan Ethos, num contexto de fraca iluminação, que dá com as câmaras digitais em doidas e as faz mostrar o lado granulado da sua personalidade. As imagens do ecrã (projector Epson), no entanto, saíram muito bem.

Sobretudo, no excerto do super espectáculo de Céline Dion, a que tive o raro prazer de assistir ao vivo, em Las Vegas. Vejamos se, como já aconteceu no You Tube, não me vêm depois acusar de estar a violar direitos de autor, quando o que se pretende é promover e não violar. Muito menos a Céline, coitadinha da senhora. 


Na Sala 3:




 
  

Colunas – Wilson Audio Maxx III


Amplificação - Pré Krell Evolution 202
 
                        - Power Krell Evolution 600e
                        -  Pré Phono Audio Research Reference Phono 2
 
Fonte - Transporte Metronome Kalista Reference  

            - Conversor Metronome C2A Signature


            - Gira-Discos SME 30/12 – Cabeça Sumiko Celebration II


Cabos – Transparent Cable Opus MM 



La Pièce de résistance



Servida por Mestre Guilhermino Pereira: Lps envelhecidos em casco de carvalho, decantados num SME! Raridades com 50 anos, que deixaram os Cds a falar sozinhos, literalmente, apesar da baixela de prata do Metronome Reference.

Da música clássica ao jazz e ao cântico religioso bizantino, Guilhermino provou ser um melómano eclético e um profundo conhecedor das características que definem um bom som, sobretudo a importância da estrutura harmónica, a macro e a micro dinâmica.


O digital é o futuro, e eu já não o dispenso: na escrita, no som, na fotografia e no vídeo. Mas não sou cego (muito menos surdo) e, quando as condições são difíceis, acontece ao som o mesmo que acontece à imagem: fica granulada e perde cor, contraste e definição. Veja com os seus próprios olhos aquilo que não consegue ouvir com os seus ouvidos: 


Mestre Guilhermino Pereira fez a Louis Armstrong e Illinois Jacquet o que Cristo fez a Lázaro (Jo 11.1-46 ): ressuscitou-os! Eu, e todos os outros que aparecem no vídeo, pudemos testemunhar o milagre (passe a heresia). 
 


 
Finalmente chegaram os convidados. Muitos são meus conhecidos de longa data, outros foram-me apresentados pelo Manuel Dias, visivelmente feliz por ver clientes e amigos de todo o país na nova loja de Lisboa. Houve quem se deslocasse propositadamente de Viseu, Porto e Coimbra para poder estar presente. A avaliar pelas imagens, valeu a pena. 



Foi bonita a festa, pá!...
 

 


 


Imacústica: Festa De Abertura Da Loja De Lisboa