2009

Ces 2009_pág 4: As Colunas Hércules: De Perfect8 A Zu Audio

Ces 2009_pág 4: As Colunas Hércules: De Perfect8 A Zu Audio

PERFECT8
 
 



                                                                      (foto obtida na CES08) 
 
 
Com as Crystal Arabesque e as Waterfall, as Perfect completam a trilogia do vidro. Dois metros de altura e 200 quilos de peso. Dipolos acima dos 120Hz. O sistema mais caro do Venetian 500 000 dólares! Só as colunas custam 300 mil. Devem ser de cristal raro... (ver video em Media).
 
POLK
 









No Sudeste asiático havia o Pol Pot. Este é o Polk Pote. Um subwoofer em forma de pote de “barro” para sonorizar o jardim. Enfim...



 
PROAC
 
 






Apresentou dois novos modelos. Na foto a pequerrucha D1 e a outra é a D18. Som BBC com um toque de dinâmica ProAC e o habitual equilíbrio tonal musculado nos médios. Os minimonitores ProAC sempre foram LS35a on steroids. As D18 são mais maduras. Isto é uma arte, e eles sabem-na toda...


QUAD 



 








Apresentaram as primeiras colunas activas da marca: as 9L, de duas vias com amplificação digital independente para cada via. Não, não são electrostáticas.











Essas estavam lá na versão 2805, modelo Classic: moldura de madeira c/ tecido de fantasia. Ouvia-se Van Morrison. Bem como sempre. As Quad nunca tocam mal. Mas decididamente não são colunas para “feira”. Não fora a minha experiência íntima com as 2905, A Senhora dos Anéis, e talvez não gostasse tanto. Agora que as conheço melhor, estou apaixonado. O amor é cego mas não tem de ser surdo...(ver video em Media)


RAAL
 








As Requisite levam o prémio “Fantasvegas”. Vêm da Sérvia. O design é disciplina que ainda não passou por lá depois da guerra. São omnidireccionais. Lá bonitas não são mas não soam tão mal como parecem, juro...
 
 
SCAENA
 




Grande cena! Trata-se de uma coluna modular, que pode ter 24, 30 ou 36 módulos por par. O ano passado ouvi as de 30 módulos (com subs) no The Show 08 e gostei. Voltei a gostar e muito, agora com 24 (e sem subs): é das poucas colunas esquisitas que não têm um som... esquisito. Eles não são é nada esquisitos a pedir: entre 50 e 80 mil dólares. Mas lá que tocam bem, tocam! (ver vídeo em Media). Amplificação VTL Siegfried; cabos Odin suspensos sobre...copos de tinto (vazios)!


SCIENTIFIC FIDELITY








Não sei se é ciência ou arte. Estavam no The Show ao abandono e não mereciam tal sorte. Tocavam muito bem, como podem verificar abrindo o vídeo respectivo em Media. Recorra aos auscultadores - vale bem a pena ouvir a Rainha da Noite, da Flauta Mágica, de Mozart.




SONICWELD
 




Pulserod. Os Deuses devem estar loucos. Como é que a crítica americana pode dizer bem disto? Como é que podem justificar os 100 mil dólares que pedem por este sistema. Só se for pelo peso em alumínio. Sólido e elegante, sem dúvida. Muito design. Pouco som. O Subpulse é impressionante à vista mas não me impressionou o ouvido. (ver video em Media)










Na sala ao lado estava a Blade que soava como uma... lâmina. O Rui Calado estava ao meu lado, inspeccionou e disse: isto são altifalantes utilizados nos computadores!. I rest my case...
 


SONUS FABER
 


 




Desde que Franco se reformou (ou retirou?), Cesare Bevilacqua não cessa de lançar modelos no mercado para todas as bolsas. Depois da série Toy, agora é a Liuto, ainda mais acessível. Não estavam a tocar. Don't ask me why?
 
 

SOUNDOLIER
 

 



                                                                                                                   foto de catálogo
 
Num show de High Performance Audio, o Soundolier é um candeeiro que toca. Será a isto que alguns audiófilos se referem quando dizem que viram a luz? No highend fala-se muito em 'fio-de-candeeiro', mas som-de-candeeiro... (ver video em Media)
 
 

TAD
 








Além das CR1 que brilharam a grande altura nas demonstrações de Andrew Jones (ver vídeos em Parte 2: Pontos altos), a TAD juntou-se à Isomike, da Kimber, para com ajuda das Pass e da EMM construir um sistema quadrifónico para reproduzir as matrizes Isomike. O resultado não foi tão bom como o das Soundlab o ano passado . Mesmo assim merece referência pelo esforço. (ver video em Media)



TECHNICS


 





Admito que não sabia sequer da existência deste marco de correio que é afinal um subwoofer Yamaha dos anos 70. Foi recuperado por J-Corder (Jeff é um autêntico Dr. House do aúdio). A Technics chamou na altura ao SST-25, Super Bass Exciter, pois desce até aos 25Hz!




TERESONIC
 
 







Mais uma corneta estilizada para ouvidos esotéricos (ou esotísicos?). Amplificação Pathos Classic II. Mas o que eu gostei mais foi do grande cartaz a anunciar a célula Benz LP (Luís Pires). A propósito: não o vi por lá este ano. Espero que esteja tudo bem.


THIEL
 




O Venetian foi o palco da apresentação das 2.4 Signature. Na sala do costume – a primeira que visitei, aliás, com amplificação Bryston. A fonte é que era novidade: um servidor (ver video em Media). Só o apelido Signature faz o preço das 2.4 subir para o dobro. Vão produzir apenas 150 pares. É outra daquelas colunas intimistas que precisam de paz de espírito (delas e do ouvinte) para poderem ser apreciadas. E se elas o merecem. Testei a versão original há muitos, muitos anos. Está lá tudo ainda, mais fresco e para melhor...


TOTEM
 




Gosto sempre da apresentação das salas temáticas da Totem. Do som nem por isso, porque o conceito é de 'walk-in - walk-out'. Mas é um produto honesto, e até nem é caro. As colunas da foto são a versão Design da Forest One e chamaram-lhe Wind. Tem tudo a ver com a natureza e com os índios do Canadá, parece. Estas custam uns bons 10 000 euros mas há modelos por 500 euros.


USHER
 




Dancer Mini Two. Um convite à dança. O preço é razoável (3850 dólares) se considerarmos a qualidade da construção e do som. Uma marca sólida assente sobre um nome ainda mais sólido da cena audiófila mundial: Joseph D’Apollito.


VANDERSTEEN
 




Nasceram as Seven. Um número cabalístico a um preço digno de Las Vegas: uns oito mil contos em dinheiro antigo. Gostei. Mas optava pelas “antigas” Five mais baratas, apesar da excelência da fonte: um Clearaudio Statement. Acho que Vandersteen está a aproveitar a crise financeira. Quando não se joga na Bolsa, abre-se a bolsa... (ver Video em Media)


VIENNA
 




As Kiss são umas Musik amputadas, com perna-de-pau. É pá, sinceramente prefiro as versões convencionais da Vienna Acoustics. E ainda bem, porque estas custam para aí 12 000 euros. Não tocam nada mal mas não consigo abstrair-me de que lhes falta qualquer coisa: parece que se distrairam com o beijo e se esqueceram do “sub”...



(DA) VINCI
 
 




Interessantes as Virtú, com altifalantes Fertin Acoustics (afinal não são todos das Seas, Focal e Scanspeak). Open-baffle com os altifalantes desacoplados: não utilizam um único parafuso! A madeira é a mesma utilizada para fabricar pianos e violinos.




VIVID
 



 
 


Já relatei a minha experiência transcendental com as Vivid G1 na Parte 2: Pontos Altos (ver videos). Mas esta versão em vermelho merece um poster e por isso aqui fica de novo uma chamada de atenção para uma coluna de som digna de figurar no casting do Quinto Elemento.
 
 

VON SCHWEIKERT



Excelente o som das Unifield 3 (15 000 dólares!) c/ amplificação a válvulas Moscode 402au.

Gostei tanto que me esqueci de as fotografar. Mas fiz um video (ver em Media). A qualidade da imagem não é tão boa (as salas dos shows parecem capelas à luz das velas), mas pelo menos tem som e fica-se ainda com melhor ideia do que estamos a falar.

 
A brochura promete um 'three dimensional sound' e, de facto, assim era. O altifalante de graves de 7 polegadas parece pequeno para descer as 32Hz, mas é auxiliado por uma linha de transmissão dentro da caixa. E o tweeter de fita sobe aos 50kHz. Muito bom.




WATERFALL
 
 









Tanto quanto sei foram os primeiros a construir colunas com paredes de vidro. Lembro-me de as ver em França há pelo menos 20 anos. Este é o modelo Niagara. Não toca tão bem como a Crystal Arabesque. Terá a aluna superado o mestre?...




WILSON AUDIO
 
 










As Maxx 3, a melhor coluna da Wilson bar none, estavam em exibição estática no Mirage (ver Parte 2: Pontos Altos) mas Dave empresta sempre uns pares a alguns colegas.  Assim foi possível ouvi-las na Lamm e na Boulder. Se só as tivesse ouvido na Boulder teria ficado algo indeciso. Na Lamm o som estava muito bom. Queixei-me ao Peter McGrath, e ele disse-me: volta à Boulder amanhã. Voltei. O som estava muito melhor. Talvez fosse da faixa do CD (In The Moonlight) que estava a tocar, no leitor-CD 1021. No dia seguinte, ouvia-se jazz: Taking a Chance on Love. Ah, isto é outra loiça!... (ver os três videos comparativos em Media)









E por falar em Wilson, que tal este “copycat” das Alexandria? Dá-se um doce a quem adivinhar como se chamam e qual a origem. Não, não são chinesas...

WISDOM AUDIO








A mesma companhia que em 2004 me foi buscar de limusina para ouvir  o “Million Dollar System”, num teatro de Las Vegas, agora dedicou-se aos “in-wall ribbons”. Sinal dos tempos? Já ouvi melhor com menos propaganda e muito mais barato...(ver video em Media)


YG ACOUSTICS
 
 



 

Na reportagem da CES 2008, ficaram muito chateados comigo por eu não ter dito lá muito bem das Anat II e Reference (terão traduzido com o Google?) que eles consideram 'The Best Speaker on Earth'. Obrigaram-me a sentar na sweet spot. Continuo a não ser fã do equilíbrio tonal, sobre o frio (isento de colorações?). Mas tenho de admitir que a imagem estéreo é de uma precisão de mira telescópica. É possível fazer um mapa cartográfico da orquestra à nossa frente. Talvez noutra sala, talvez noutro contexto me levassem à Terra Prometida... (ver vídeo em Media).
 


ZU AUDIO


 
 















Só porque me faltava um Z para acabar. Já nem me lembrava delas. Fui ouvir as minhas notas gravadas. Talvez fosse do jetlag, mas ouvia-se assim: a Six Moons diz que é a melhor coluna do mundo, então tá bem, devem estar numa das seis luas, e desliguei...
 
VIDEOS DA CES 2009
 
Para ver os vídeos:

  1. Na secção Media (em cima à direita), seleccione o video
  2. Clique e aguarde que a imagem surja na janela no topo da página. O downolad pode demorar de alguns segundos a minutos, dependendo da sua velocidade de acesso e do número de visitantes online.
  3. Logo que a imagem surja na janela, clique duas vezes para ver em full-screen. Em alternativa, clique com botão direito do rato sobre a imagem e seleccione zoom/full screen. 
  4. Se a imagem surgir 'aos soluços' aguarde que o download fique completo e clique depois em Play para ver do início.
  5. De preferência utilize auscultadores.
  6. Nesta artigo também pode ver o Hotel Venetian e as redondezas no Video Highlights (basta clicar em Play no topo da página)


 Ir para Pág 5_ VÁLVULAS E GIRADISCOS  I (clique na página respectiva em baixo)




Ces 2009 pág 4: As Colunas Hércules: De Perfect8 A Zu Audio