2007

Ces 2007: O Zoo Da Electrónica




Num universo repetitivo até à náusea de plasmas, LCDs, consolas de jogos, equipamento de som, telefones, iPods e carros artilhados com “subwoofers” assassinos, cada marca utiliza todos os truques conhecidos para chamar a atenção: sons fortes, cores vivas e meninas de mini-saia distribuindo brindes “made in China”.

Aliás, a China (Taiwan incluída) já domina metade da CES, e nem aqui se coíbe de apresentar imitações descaradas de marcas ocidentais com um sorriso nos lábios.

Há ainda conferências, seminários, cocktails, doces e café (que surrapa, my God!). E espectáculos ao vivo: dos “Boys Like Girls”, na Sony, ao casal de modelos seminus expostos à avidez das objectivas, na Panasonic - não, eu sei que queriam ver mas eu não fiz fotos. E ainda robôs que falam e sobem escadas.

Ou cadeiras que tornam física a experiência visual dos jogos.


O truque preferido é o de anunciar: a minha é maior que a tua! A maior parte das vezes não passa de “bluff”, ou não fosse Las Vegas a cidade do jogo. Havia várias marcas com cartazes dizendo: o maior LCD (plasma) do Mundo! Todos alegadamente com resolução de 1080p.

A LG apresentou um LCD de 100 polegadas e andou lá perto.

Mas foi a Sharp com 108 que levou a taça.

E nos plasmas a Optoma arrumou a concorrência com 120 polegadas, e pronto!

Na Hitachi, além do primeiro plasma Full HD 1080p de 50 polegadas do mundo por 2 500 dólares!, o que me deixou embasbacado foi uma drive de computador de 1 terabyte!

A Samsung mostrou um televisor DLP com 100.000:1 de contraste! E a busca por uma fonte de luz eterna (não andamos todos à procura da luz eterna?...) continua. O protótipo da Samsung utiliza a nova tecnologia da Texas Instruments que substitui a habitual lâmpada de Xenon nos retroprojectores por LEDs de estado sólido como fonte de luz. Os televisores DLP podem agora ser pendurados na parede com os LCD, com a vantagem da durabilidade e a redução no peso.

A mesma tecnologia pode ser aplicada aos projectores. E este da ViewSonic PJ250, que aceita o iPod Video directamente, tem o futuro assegurado.

Mas foi a Video Dock, da Meridian, que mais me impressionou: 1080p num LCD Aquos da Sharp a partir de um iPod! Ao que o mundo chegou...

A Meridian tinha ainda em exposição o novo Receiver AV G95

Vi por lá também as Definitive Mythos a tocar numa sala vazia: o visitante da feira quer imagem e não som…

A Jamo e a Klipsch patilhavam o mesmo stand, o que me permitiu esta curiosa imagem.

A Runco apresentou um projector com a chancela THX. Pensava que era só para o som, afinal também é para a imagem. Isto de ser audiófilo primeiro e videófilo depois, reflecte-se nestas lacunas de conhecimento técnico…

E a Yamaha mostrou umas colunas que eu nunca vi por cá: as Scavo.

A guerra Blu-Ray/HD-DVD foi o tema dominante da CES 2007. O poder do grupo Blu-Ray saltava à vista - literalmente.

Contrataram até uma espécie de evangelista que munido de um microfone prometia aos gritos o céu da alta definição aos fiéis congregados à sua volta: os nossos discos têm 50GB e os deles apenas 25GB, não se deixem iludir…
Colecção de discos Blu-Ray
Colecção de discos HD-DVD


Ainda vão perder os dois por não terem chegado a acordo - e é bem feita.

A LG apostou, pelo sim pelo não, no leitor BH100, compatível com ambos os formatos, e comparou-os lado a lado com vantagem para o HD-DVD.
Jogando PlayStation 3 na CES 2007


Mas nada o pode preparar para o que está para vir: Playstation 3, da Sony. As imagens de síntese digitais de todos os jogos sem excepção são de um realismo impressionante. A morte nunca foi tão bonita na TV…

E depois do concerto de jazz em Blu-Ray, no stand da Panasonic, com som surround de alta resolução, só resta à concorrência meter a viola no saco. Ou no preservativo. Porque a poderosa indústria pornográfica, ao optar pelo HD-DVD (mais barato e fácil de produzir), pode ter decidido o futuro do vídeo de alta definição.