2007

B&w: Do Caracol Ao Zeppelin



B&W Zeppelin iDock


Sendo o iPod um produto jovem - e os jovens só conhecem o Zeppelin do 3º filme da saga Indiana Jones - , o Zeppelin, dizia eu, arrisca-se a ser confundido com uma bola de râguebi, que está agora na moda, não tanto pela forma como os Lobos jogam, mas como cantam o hino nacional - com garra. Mas cuidado, não caiam na tentação de a chutar: pesa 8 quilos e a estrutura é em metal.

Eu acho que o Zeppelin é a resposta da B&W ao Meridian F80. Tem entradas analógicas e digitais, além de USB, e saídas S-Video e composta. E funciona com todos os iPods e também o iPhone. O controlo remoto é oval e parece um sabonete, e deve ser igualmente escorregadio.

A “bola” é composta por duas partes iguais, divididas por um anel de metal que serve de base para o suporte da “doca seca” propriamente dita. Não é possível abri-la sem a estragar, mas consta que lá dentro tem um altifalante de graves no meio, ladeado por dois médios (saídas reflex atrás). Os tweeters (iguais aos da Série 800!!) estão montados respectivamente nas pontas da bola para “abrir” a imagem.


A forma elíptica é uma paródia das Stradivari/Elipsa e tem a mesma função de radiação controlada. O Zeppelin é o conceito “forma e função” levado ao extremo. Espero que tenha mais sorte que o outro, que ardeu com os passageiros lá dentro. Em Portugal, o melhor era chamar-lhes “Lobos”. Perdem sempre mas toda a gente gosta deles...