2007

A Festa Acabou, Pá!



E a televisão não foi lá. Ela que acorre lesta ao cheiro a sangue, a escândalo, a desgraça e a miséria; que dá cobertura a festas de confrarias várias, do bacalhau às tripas, e a concursos de bigodes; divulga feiras improvisadas, da bruxaria à roupa usada; vai a inaugurações de bares da moda onde os jovens se embebedam antes de se matarem a eles e aos outros na estrada; promove em directo livros de alternadeiras e faz publicidade encapotada a produtos comerciais, ela, dizia eu, não se dignou aparecer no Hifishow, que foi, sobretudo, uma manifestação cultural dedicada à reprodução electrónica de música, participada por dezenas de distribuidores e visitada por alguns milhares de pessoas.


Mais pessoas, aliás, que as presentes no Pavilhão Atlântico para ver, no mesmo dia à noite, a televisão registar ao vivo Plácido Domingo dizer que afinal não cantava porque estava com catarro. Um não-concerto foi notícia de abertura!...


Podiam ao menos ter-lhes dito também que, se fossem no dia seguinte ao Hotel Villa Rica, onde decorria ainda com assinalável êxito uma concentração pacífica de audiófilos, bastava levar um dos discos, um LP, pois claro, do famoso tenor espanhol para ouvir de borla, num maravilhoso gira-discos transparente e através do único par existente em Portugal de colunas LP Olissipo (na foto), concebidas e fabricadas por um português (ao menos estas, querida televisão!...), a outrora gloriosa voz de Plácido Domingo, como se ele estivesse ali de corpo e alma. E sem catarro!...