2006

Ces 2006: Highlights 07



AMPHION
Amphion Ion


Ion de seu nome, é o novo minimonitor da marca, que parece ter sido moldado em resina numa peça única. Afinal são de MDF. Soaram muito “maiores” do que seria de esperar para o tamanho que têm, alimentadas por um amplificador integrado a válvulas T+A. O preço deverá ser inferior a 1 500 euros.


BURMESTER
Burmester 808 Mk5

Um dos melhores sons da CES06 como sempre. E a versão em ouro de 24K comemorativa do 25º Aniversário da marca do prévio 808 Mk5 era também linda de ser ver. O preço? Foi concebido a pensar nos novos milionários chineses...


CRYSTAL
Gabi van der Kley, fotografada na CES2005


Talvez não saibam, mas Gabi van der Kley é concorrente - e esposa - de Edwin van der Kley (ver Siltech). “Mas olhe que os Crystal estão com melhor implantação que os Siltech”, disse eu a Edwin. “Bom, eu fico feliz porque são excelentes cabos, mas não discuto “business” com a minha esposa. Ela é independente”, respondeu.
Crystal: cabos que são jóias preciosas...


“Talvez tenha a ver com o marketing, a forma como os Crystal são apresentados, como jóías delicadas e precisosas...”, alvitrei provocando-o. “A verdade é que os Crystal “pegaram” como dizemos em Portugal...”. Por outro lado, a resposta às necessidades do mercado é muito rápida na Crystal, e tem mais lógica ligar um cabo fininho ao iPod...


DARTZEEL
DarTzeel NHB-18

O prévio a baterias NHB-18 foi apresentado pela primeira vez na CES, sempre associado à von Schweikert (partilham o mesmo distribuidor). Trata-se de uma “revolução” tecnológica ao nível da préamplificação de sinais. Há quem o considere já o melhor prévio de todos os tempos. Gostei do que ouvi na CES, com as von Schweikert VR-9 SE, alimentadas pelo NHB 108 (voltei lá 3 vezes), mas reservo a minha opinião definitiva para quando puder experimentá-lo em condições de privacidade...


KARAN
Há muito tempo que não sabia nada da Karan, depois da Imacústica ter “apoiado” a sua comercialização em Portugal. Cheguei a viver com um integrado durante uns meses, que me foi enviado pelo próprio fabricante para eu dar a minha opinião particular, mas acabei por não publicar o teste, embora tenha gostado do que ouvi, até porque quis evitar a confusão entre ser consultor e crítico. Mas eles continuam a trabalhar lá na ex-Jugoslávia, e desta vez apresentaram um superamplificador de 400W, tipo tanque de guerra...


MCINTOSH


Apresentou o que se pode chamar um “overkill system”, com um par de colunas XRT2K triamplificadas pelo mais poderoso dos monoblocos da marca, o MC2kW de 2 000W. A publicidade rezava assim: “a speaker with enough dynamic range to accurately recreate the sonic impact of a full-sized orchestra in the home…”. Eu também acho…


MIRAGE

Mirage Nano


Os Omnista Nano (onde é que já ouvi este nome?) parecem um moinho de café mas os acabamentos em branco e negro piano são luxuosos.



E o que dizer deste modelo de prestígio em raiz de nogueira? Que coisa linda!...
ORACLE

Oracle CAD 1000
A Oracle é conhecida pela extraordinária beleza das suas “esculturas” em metal e o novo prévio/DAC 1000 faz jus à imagem que temos desta marca famosa desde os tempos pioneirso do gira-discos Delphi, já na versão MkV. Aliás, todos os modelos da Oracle são “apetecíveis” mesmo antes de começarem a tocar...



SILTECH
Edwin van der Kley


Edwin van der Kley, cujo nome os americanos “americanizaram” para Vanderkley, apresentou os Siltech Classic II, e explicou-me por que motivo teve de fazer o upgrade. A versão original continua a ter uma excelente performance, mas as cópias feitas na China eram tão perfeitas (por fora, atenção!) que ele teve de tornar a cópia mais difícil adicionando umas ferrites...e tal, pois, no aspecto metalúrgico, os condutores solid-core são os mesmos...“Quem tem os MkI não precisa de fazer o upgrade. Mas se comprar agora tem lógica que opte pelos MkII...”, afirmou com um sorriso honesto.



TAD
TAD Model Two


Depois de ter considerado as TAD Model 1, um dos melhores sons da CES2005, as Model Two, uma versão menos sofisticada, embora não pareça, tanto em termos de construção como de filtros divisores (mas que não deixa de custar 40 000 dólares, se é que eu percebi bem...), e lembram umas Usher Dancer, não me impressionaram da mesma forma. Acho que “somewhere along the line”, algo se perdeu. E não era da amplificação que este ano voltou a ser Pass.



TIVOLI
Tivoli iSongbook


”Sorry, no photos...”. Então, e porquê? Porque a concorrência chinesa copia-nos os modelos mesmo antes de serem lançados no mercado, foi a resposta. Claro que eu acabo sempre por tirar fotos, pelo que esta deve ser uma das poucas fotos não-oficiais do novo Tivoli iSongBook (iPod) com uma “Universal Docking Station” aprovada pela Apple. Era o que faltava ter de voar 10 000 Kms, subir ao 28º andar do Hilton e depois vir de mãos a abanar. As fotos são a minha prova de que “estive lá” e a única forma de “levar lá” os meus leitores.


USHERUsher: danças como berílio


As Dancer Be-20 e CP8571 usam agora tweeters de berílio de cúpula invertida. Creio que é o tweeter da Focal. Som e acabamentos impecáveis, como sempre.