2006

Ces 2006: Highlights 08



AMBIENCE
Ambience Ribbon Hybrid


Não conhecia as Ambience. Parecem que vêm da Austrália. Curioso é o facto de ser mais uma coluna alimentada no Alexis por amplificadores Belcanto (digitais) que eu até gostei de ouvir. Um som cheio e bem equilibrado tanto em termos tonais como espaciais. Mas, apesar de utilizar os mesmos amplificadores da Belcanto, nada que chegasse ao calcanhar das Cabasse La Sphere, que repito foi o melhor som que ouvi na CES06.


ANALYSIS AUDIO
Analysis Audio Omega


Se as Omega Full Range Planar Ribbon não são uma cópia descarada das Apogee Duetta, vou ali já venho. Contudo, apesar de alimentadas por Antique Sound Labs AQ-1009 845 T, e tendo como fonte um AR CD7, quando fechei os olhos não “vi” as minhas queridas Duetta II, que também eram cinzentas (quem as terá agora?). A sala era atarracada e eu estava mesmo em cima da coluna esquerda, mas não é desculpa. As Duetta soavam bem em qualquer ponto da sala, esta não...



ART AUDIO
Bosendorfer Swarovski


Na sala da Bosendorfer estavam duas peças sumptuosas: o mais extravagante dos pianos, o Bosendorfer Swarovski, todo cravejado de pedras brilhantes (preciosas?), que Liberace teria adorado,
ArtAudio Adagio


e o amplificador Art Audio Adagio, banhado pela mesma luz azul das “chaminés” de vidro dos Hovland (esqueceram-se de registar a patente?).
Sala da Bosendorfer


Lá dentro, audiófilos americanos da pesada ouviam música em respeitoso silêncio. Já ouvi o Adagio e as Bosendorfer tocarem muito melhor noutras ocasiões. Desta vez o som estava “thick as a brick”, sorry guys. Mas o piano era bonito, lá isso era...



ASCENDO
Ascendo System M


A foto não é grande coisa, como outras que tirei nas mesmas circunstâncias: não é fácil fotografar objectos pretos reflectores com fundo branco numa sala às escuras. Mas tocaram muito bem as Ascendo System M, ou talvez fosse por causa do Reimyo CDP- 777 e da amplificação CAT JL-3 Signature. As “M” têm um aspecto muito hightech mas soam extremamente musicais. Já me tinham impressionado positivamente em Munique.


AUDIO ACOUSTICS
Audio Acoustics Saphire


Ao criador das colunas Saphire Ti-C, só faltou contar-me onde tinha andado na escola. Daquele arrazoado todo num inglês perfeito, percebi que ele descobriu uma forma de eliminar as ondas estacionárias dentro das colunas sem as absorver com espuma ou outros materiais, antes transformando a energia em calor, que é depois dissipado pela geometria variável de umas placas de um material especial colocado dentro das caixas.

Os altifalantes são todos cerâmicos, como os das Kharma. O tweeter é da safira como o nome indica. A verdade é que, alimentadas por Wavacs 833, e com electrónica dCs na linha da frente, tinham um som muito transparente. Algo de especial aconteceu ali e merecem que se volte ao assunto. Muito bem. Especialmente as vozes. Bom sinal, bom sinal...



AUDIO RESEARCH
Audio Research+Wilson Audio


O CD7 voltou a deleitar-me, desta feita em Las Vegas, tendo como parceiros o prévio Reference 3, de que partilha o andar de saída, e os monoblocos 210, com um par de Wilson Sophia II na outra ponta.


EMINENT TECHNOLOGY
Eminent TRW, o subwoofer ventoinha


Andava doido para ouvir isto: uma ventoinha que é afinal um TRW 17 Infrasonic Woofer. Ou seja um “subwoofer” rotativo que “abana” as orelhas e gira para gerar frequências até 1Hz! Flat de 30Hz até 1Hz! Talvez por analogia o TRW reproduz como nenhum outro o som das pás de um helicóptero. Graves infrasónicos: do som do ar dentro de um hall ao sopro que se segue a uma explosão.


Nota:Para os leitores ficarem com uma ideia de como o TRW funciona fiz um pequeno vídeo que podem abrir no topo desta página clicando no ícone amarelo. Só captei as pás a “abanar” e não a girar, porque, entretanto, o sistema pifou. Mas foi giro enquanto durou...


PIPEDREAM
Sala das Pipedream


A Nearfield Audio, que produzia e comercializava as Pipedream, agora chama-se High Emotion Audio. Mas para mim as Pipedream continuam a ser um dos maiores bluffs da história do áudio, high emotion or not...

Aqueles elogios todos, soam-me a capelinha, desculpem lá! Aquilo tem graves, sim senhor, nem por isso muito bons, mas depois a ligação com o resto do espectro tem um óbvio buraco nos registos médio-graves. São mais impressionantes à vista que aos ouvidos, isto apesar da excelente amplificação Conrad-Johnson e fonte McCormack (by Lew Johnson).