2006

Ces 2006: Highlights 06





ARCAM
Arcam Solo+Alto (em primeiro plano)


Quando marcas com pretensões audiófilas se dedicam ao Lifestyle, eu espero o pior no futuro. Mas tenho de admitir que o Solo apresentado na CES05 arranjou um belo par nas colunas Alto e o conjunto é bonito e funcional. Eu acho que é um sistema tipicamente feminino.



AYRE
Sala da Ayre: colunas JBL Everest+Monoblocos MX-R
Ayre MX-R (pormenor)


Os monoblocos MX-R, de 300W por canal, balanceados e sem recurso a realimentação negativa, têm um preço que já é elevado nos EUA, de cerca de 15 000 dólares. Cá devem custar uma fortuna. Mas estavam a tocar bem com colunas JBL Everest.



ESOTERIC
Esoteric P-01


Já tinha referido a Esoteric mas não resisto a repetir a dose: o P01 é o tipo de leitor-SACD que faz um audiófilo babar-se só de olhar para ele.



JEFF ROWLAND

Jeff Rowland Model 102, amplificação digital ICE


O único modelo novo era o Model 102/ICE com um preço abaixo dos 1500 dólares! Para um Jeff Rowland, isto corresponde à estratégia da Armani com a Emporio. Conversei um pouco com Jeff sobre o passado, o presente e o futuro da sua marca (não posso falar muito com ele porque fico com dores no pescoço: Jeff tem uns bons 2 metros de altura). Fui eu que em Paris descobri a Jeff Rowland. Já lá vão quase 20 anos. Quanto ao presente, Jeff garantiu-me que é digital e se chama ICE: “ It really works..it is much better than Tripath....”, disse. “And it's the future...”. Quem diria que eu um dia iria ouvir isto da boca de Jeff?...



QUAD
Sala das Quad 2908 c/ fonte e amplficação Quad



As mais famosas electrostáticas do mundo sofreram uma revisão estrutural e passaram a chamar-se ELS 2908.
Quad ELS 2908 (vistas por trás)



No fundo, são as mesmas colunas ELS989, com um chassis reforçado com barras laterais de alumínio e uma barra com um tensor que desce do topo da coluna até à parte de trás da base. Gostei. Mas para mim continuam a ter um registo agudo demasiado discreto.
As Soundlab respiram som como um enorme paquiderme


Preferi de longe as enormes Soundlab, com amplificação Parasound, e tendo como fonte um gravador D-VHS da panasonic com matrizes de alta definição, convertidas por um EMM de Ed Meitner, embora aqui o grave soasse algo balofo; o resto era quase perfeito...



VTL
VTL+Vivid B1, excelente som


Apareceu de cara lavada. Os amplificadores VTL sempre primaram por serem feios. Agora devem ter arranjado um bom designer: as válvulas aparecem por trás de uma janela de vidro. Os Autobias 450 monoblocks têm um aspecto moderno, bonito mesmo, e soaram à grande e “à antiga” com as Vivid B1.