2003

Sons (e Imagens) De Boa Memória Em 2003



Agendas comerciais legítimas, diga-se de passagem, porque as empresas que viram as costas aos media e pensam poder sobreviver orgulhosamente sós, ou sofrem da presunção de superioridade tecnológica dos produtos que representam; ou têm algo a esconder, e afinal o produto não resiste a uma análise mais atenta. Em ambos os casos, são para esquecer: elas e os produtos.


Não admira, pois, que na hora de escolher sejam também os produtos comercializados pelos distribuidores, que durante o ano colaboraram e facilitaram a vida da crítica face aos imperativos da «deadline», os mais citados.


Não se trata de compadrio, de tráfico de influências, de favorecimento, de corrupção até, e outros palavrões feios com que os preteridos e os consumidores - que não vêem assim corroboradas as suas opções de compra por outros produtos diferentes -, normalmente mimoseiam os críticos; trata-se de pragmatismo, puro e simples.


Quando um crítico está interessado num produto, contacta o distribuidor e ele não fornece as informações requeridas, levanta dificuldades ou pura e simplesmente ignora o pedido, arrisca-se a a ser ignorado ele também. Assim como deve ser ignorado o distribuidor demasiado «solícito» que tenta impor produtos ou estabelecer ele próprio a agenda de testes.


Eis porque o meu «Best Of 2003» não é composto pelos «melhores do ano» - uma designação demasiado abrangente para ser exequível, aqui ou em qualquer parte do mundo -, mas sim por aqueles que, dentro do reduzido lote que tive oportunidade de analisar em 2003, me deixaram boa memória auditiva - e é «de memória» que os vou citar.


Nesta época natalícia, muitos leitores ficarão desiludidos por não terem sido seleccionados «Sistemas Surround» completos com DVD, amplificador AV, colunas-e-tudo-o-mais, por menos de €1.000. Num mundo onde a produção se deslocou para o Oriente e os preços se uniformizaram, a diferença a este nível está cada vez mais no logotipo e nas funções fantasistas, pelo que uma correcta instalação e um bom apoio pós-venda são mais importantes que a marca.


Sem prejuízo de me debruçar no futuro sobre equipamentos deste tipo (e alguns há cuja relação qualidade preço é notável), opto quase sempre por divulgar produtos que em cada ano fizeram avançar o «estado da arte», independentemente do preço. Não são, pois, sugestões de compra (muitos dos produtos aqui analisados são quase «incompráveis»), antes constituem um «padrão» pelo qual o consumidor pode - se tiver oportunidade de os ouvir - aferir os seus ouvidos e decidir depois quais as melhores opções com base na disponibilidade financeira.


Neste contexto - e apenas neste contexto - são, de facto, os «Melhores de 2003».


Que alguns deles possam ser distribuidos em Portugal por uma mesma empresa, é apenas consequência do que acima fica escrito, e ainda do facto de em Portugal cada distribuidor ter em carteira por vezes 20 marcas de topo.


Não é o caso, mas podia até acontecer que todos os produtos escolhidos estivessem relacionados com o mesmo distribuidor - e nem mesmo assim isso iria alterar em nada a isenção possível da minha escolha, na medida em que a «isenção» pode ser totalmente «isenta» de subjectividade.


Acresce que também alguns destes produtos foram eleitos por outras publicações (embora Hificlube os tenha testado quase todos em primeira mão: comparar datas de publicação), o que prova que, afinal, de um conjunto de subjectividades pode nascer a tão desejada objectividade.


Ou então que Hificlube tem o poder de influenciar as opiniões alheias...



PRODUTO DO ANO:



Martin Logan Clarity



FONTE:



Leitor Universal Denon DVD 2900



Leitor Universal Krell SACD Standard



Leitor Universal Teac DV-50



AMPLIFICADOR



Transístores: Halcro dm58



Híbrido: Pathos Logos



COLUNAS:



Martin Logan Clarity



SUBWOOFER:



MJ Acoustics Reference I



CABOS:



Siltech Classic



VIDEO:



Yamaha DPX-1000