2002

Sem Sombra De Pecado



Metade do som depende da sala: da forma, do volume interno, dos materiais, dos conteúdos, dos reflexos primários, secundários, terciários, dos tectos, das paredes, dos cortinados, dos tapetes, dos móveis, do espaço reservado à colocação da colunas, do seu local preferido de audição. É por isso que aquela maravilha que ouviu no auditório da loja especializada não é tão maravilhosa assim agora que a tem em casa. Passa-se o mesmo no casamento, mas deixo isso para os sociólogos. Num mundo ideal, a solução é mudar de casa e levar consigo a aparelhagem. E desta para outra e outra até encontrar a sala ideal. Há quem case cinco vezes e acabe divorciado e feliz.


Pode dar-se um jeito à sala, como eu fiz: tenho as paredes forradas com reflectores RPG, Tube Traps nos cantos e outros encantos (cortesia da Ajasom). Resulta. Mas quem tem autorização conjugal para transformar a sala num auditório semianecóico?
Nas décadas de sessenta e setenta, pensou-se que os igualizadores (ou equalizadores, se preferir) eram a solução técnica para este problema. Nada de mais errado. Os igualizadores gráficos e paramétricos podem corrigir a resposta em frequência das colunas mas não resolvem as situações de conflito destas com a sala, que são na maior parte dos casos do domínio do tempo. E ao actuarem sobre o sinal analógico introduzem desvios de fase e afectam frequências próximas que, coitadas, não têm culpa de nada.


A era digital trouxe consigo uma solução elegante: «mede-se o som» das colunas dentro da sala. O resultado é normalmente ficarmos a saber que o que ouvimos com prazer é na realidade uma pavorosa estrada ziguezagueante, por vales profundos e montes escarpados. É um pouco como observarmos aquilo que comemos ao microscópio. Ugh!


Depois, pede-se a um algoritmo poderoso que subtraia a sala da equação, obtendo-se uma autoestrada plana e sem curvas. Assim uma espécie de liofilização acústica. Para isso coloca-se primeiro um microfone no ponto exacto onde habitualmente está a sua cabeça e, com recurso a sons impulsivos, o «corrector digital» coloca cada coluna, cada altifalante que a compõe à mesma exacta distância virtual dos seus ouvidos, compensando no processo até o facto de certas frequências chegarem lá mais depressa que outras, eliminando reflexos e cancelamentos, ressonâncias, picos e depressões. As psicológicas também. Andei anos munido de fita métrica e fio de prumo, quando afinal só precisava de um controlo remoto para que todos os sons excitassem os meus ouvidos ao mesmo tempo e com a mesma intensidade.
Igualizar as duas colunas de um sistema estéreo é obra. Subtrair a sala da equação, um milagre. Fazer o mesmo truque com as quatro colunas e o «subwoofer» de um sistema AV só o preamplificador e corrector de salas digital TACT RCS2.2X é capaz. E sabe-se que integrar um «subwoofer» num sistema e este numa sala, e nós dentro dela, é mais complexo que converter um fundamentalista islâmico ao catolicismo. O RCS 2.2X tem essa capacidade ecuménica. Mas também Jesus tentou que todos os homens fossem iguais perante Deus e mais tarde a Revolução Francesa que fossem livres, fraternos e iguais perante o estado, e viu-se o resultado. Será que nós, audiófilos, estamos preparados para ouvir «som isento de sala», tipo Becel anticolesterol? Eu não estou. Talvez porque a minha sala tem o tempero acústico a meu gosto. Mas e as paredes nuas da sua sala reflectindo a música como um jogo de espelhos paralelos? E o chão de mármore brilhante como o do anúncio do detergente? E o tecto baixo e reflector? E as vidraças da janela que dá para o jardim? Pode agora vê-los sem os ouvir, saber que estão lá, não estando, e estando é como se não estivessem, só que estão. É este o milagre do digital: estar ou não estar deixa de ser questão.


Utilizar o Tact RCS 2.2 X não são favas contadas. Precisa de um computador, de alguns conhecimentos informáticos e muita paciência. E nem sempre os resultados saem logo à primeira. Mas se gosta de um som sem sombra de pecado, deixe-se ficar sentado a ouvir música que ele faz o resto por si. E uma vez feito, feito está.
Distribuidor: Esotérico


Fabricante: TACTaudio