Highend 2018 Munique - a reportagem de JVH

Highend 2018 Munique - Parte 5 - as novidades de A a G

DSCF0158.jpg

Highend 2018 - as principais novidades (por ordem alfabética)

Absolare Hybrid Monoblock Amplifier, utiliza válvulas no andar de entrada e...OpAmps no andar de saída. Será uma nova versão sobrealimentada da tecnologia Gaincard? Só sei que o som é fabuloso e a ele voltaremos garantidamente quando publicarmos as notas de audição.

Absolare Hybrid Monoblock Amplifier, utiliza válvulas no andar de entrada e...OpAmps no andar de saída. Será uma nova versão sobrealimentada da tecnologia Gaincard? Só sei que o som é fabuloso e a ele voltaremos garantidamente quando publicarmos as notas de audição.

Atlantis é uma marca da Wadax espanhola. Foi discretamente utilizada na sala da Avantgarde e despertou-me a atenção pela extraordinária robustez da construção. A linha é composta por um transporte/DAC e leitor Blu-ray Universal.

Atlantis é uma marca da Wadax espanhola. Foi discretamente utilizada na sala da Avantgarde e despertou-me a atenção pela extraordinária robustez da construção. A linha é composta por um transporte/DAC e leitor Blu-ray Universal.

Audio Physics Structure, a coluna escolhida para figurar com Kari Bremnes na capa do catálogo do Highend 2018. Passa a ser a nova topo-de-gama da marca. A caixa é construída em fibra de vidro, fibra de carbono, madeira e espuma cerâmica. Voltaremos às Structure prometo.

Audio Physics Structure, a coluna escolhida para figurar com Kari Bremnes na capa do catálogo do Highend 2018. Passa a ser a nova topo-de-gama da marca. A caixa é construída em fibra de vidro, fibra de carbono, madeira e espuma cerâmica. Voltaremos às Structure prometo.

Audio research Reference e160M. Não é propriamente novidade. Pelo menos à vista. Porque não lhe consegui pôr os ouvidos em cima. Vou ter que fazer reserva na Imacústica... Válvulas 6H30 e KT150, auto-bias e funcionamento comutável ultralinear/tríodo. O fantasma da agulha do indicador de potência parece dançar dentro do vidro. Fantasmagórico, sem dúvida...

Audio research Reference e160M. Não é propriamente novidade. Pelo menos à vista. Porque não lhe consegui pôr os ouvidos em cima. Vou ter que fazer reserva na Imacústica... Válvulas 6H30 e KT150, auto-bias e funcionamento comutável ultralinear/tríodo. O fantasma da agulha do indicador de potência parece dançar dentro do vidro. Fantasmagórico, sem dúvida...

Ayre A nova série 8 utiliza o mesmo circuito zero-feedback e o circuito de saída ‘em diamante’ que tornou a Ayre famosa mas a um preço bem mais acessível. O EX-8 custa 6000 dólares. A versão com entradas digitais e ethernet sobre para 8000. É só fazer as contas...

Ayre A nova série 8 utiliza o mesmo circuito zero-feedback e o circuito de saída ‘em diamante’ que tornou a Ayre famosa mas a um preço bem mais acessível. O EX-8 custa 6000 dólares. A versão com entradas digitais e ethernet sobre para 8000. É só fazer as contas...

Brinkmann AudioMarconi MkII prévio tem, dizem eles um circuito completamente novo. Pronto, aceito.

Brinkmann AudioMarconi MkII prévio tem, dizem eles um circuito completamente novo. Pronto, aceito.

D’Agostino Relentless Não resisto a voltar aqui ao que terá sido a principal atracção do Highend 2018. São 250 quilos de amplificador! Ou seja, um dólar por grama, o que traduzido para euros deve andar pelos 350 mil. O par!, vá lá, vá lá... É o que vai ter de pagar para ter 1500W/8, 3000/4 e 6000/2. Sim, leu bem: 12 000W/1 se o seu sistema eléctrico aguentar o barco...

D’Agostino Relentless Não resisto a voltar aqui ao que terá sido a principal atracção do Highend 2018. São 250 quilos de amplificador! Ou seja, um dólar por grama, o que traduzido para euros deve andar pelos 350 mil. O par!, vá lá, vá lá... É o que vai ter de pagar para ter 1500W/8, 3000/4 e 6000/2. Sim, leu bem: 12 000W/1 se o seu sistema eléctrico aguentar o barco...

dCs a principal novidade é o novo transporte Rossini CD/SACD, um brinquedo para custar uns bons 20 mil euros, mas que faz upsampling do sinal para DXD 24-352,8 ou DSD128, e lê SACD em formato nativo e transmite depois o sinal para o DAC por duplo AES/EBU.  Voltaremos à dCS para as audições e um comparativo MQA com matrizes de Peter McGrath. Será que se ouve a diferença? You bet!...

dCs a principal novidade é o novo transporte Rossini CD/SACD, um brinquedo para custar uns bons 20 mil euros, mas que faz upsampling do sinal para DXD 24-352,8 ou DSD128, e lê SACD em formato nativo e transmite depois o sinal para o DAC por duplo AES/EBU. Voltaremos à dCS para as audições e um comparativo MQA com matrizes de Peter McGrath. Será que se ouve a diferença? You bet!...

DALI lançou a linha Callisto de colunas ‘avançadas’ e juntou-se à Bluesound para as artilhar com função wireless. O modelo 6C é, além disso, activo (amplificação de Classe D) e, portanto só precisam de um prévio Soundhub para cumprir a sua função. Gostei particularmente do cenário ‘industrial’ montado pela DALI para exibir e demonstrar os seus produtos.

DALI lançou a linha Callisto de colunas ‘avançadas’ e juntou-se à Bluesound para as artilhar com função wireless. O modelo 6C é, além disso, activo (amplificação de Classe D) e, portanto só precisam de um prévio Soundhub para cumprir a sua função. Gostei particularmente do cenário ‘industrial’ montado pela DALI para exibir e demonstrar os seus produtos.

Copland CTA 408, amplificador integrado a válvulas

Copland CTA 408, amplificador integrado a válvulas

Cambridge Nova linha Edge da Cambridge Audio, comemorativa do 50º Aniversário da companhia. Na foto, o integrado Edge A (preço anda nos 5000 euros); a versão prévio Edge NQ e amp W já vai para os 7000. Mas o prévio tem entrada ethernet e DAC até DSD256.

Cambridge Nova linha Edge da Cambridge Audio, comemorativa do 50º Aniversário da companhia. Na foto, o integrado Edge A (preço anda nos 5000 euros); a versão prévio Edge NQ e amp W já vai para os 7000. Mas o prévio tem entrada ethernet e DAC até DSD256.

Dynaudio Confidence, que a Dynaudio considera uma revolução na sua longa história. A Confidence 60 substitui a Evidence Platinum- O tweeter é o famoso Esotar. Estava um par a tocar em espaço aberto, pelo que não me posso pronunciar sobre o seu potencial. A construção é soberba e o preço elevado: 60 mil. Há também modelos mais baratos: Confidence 50 e 30.

Dynaudio Confidence, que a Dynaudio considera uma revolução na sua longa história. A Confidence 60 substitui a Evidence Platinum- O tweeter é o famoso Esotar. Estava um par a tocar em espaço aberto, pelo que não me posso pronunciar sobre o seu potencial. A construção é soberba e o preço elevado: 60 mil. Há também modelos mais baratos: Confidence 50 e 30.

EAT Reference, a Pro-Ject ‘deluxe’, é assim uma espécie de Toyota e Lexus.

EAT Reference, a Pro-Ject ‘deluxe’, é assim uma espécie de Toyota e Lexus.

Elac As Elac Concentro foram a grande surpresa do Highend 2016, e foi até o som de que gostei mais. Agora temos as Concentro M que com 2/3 do tamanho custa metade do preço. Mas já não me convenceu tanto...

Elac As Elac Concentro foram a grande surpresa do Highend 2016, e foi até o som de que gostei mais. Agora temos as Concentro M que com 2/3 do tamanho custa metade do preço. Mas já não me convenceu tanto...

Esoteric Network Audio Transport N-03T, com função de streamer e DAC de alta resolução.

Esoteric Network Audio Transport N-03T, com função de streamer e DAC de alta resolução.

Focal A Grande Utopia EM é agora EVO, e o preço disparou para os 180 mil. Aparentemente, nada mudou. Mas a EVO utiliza novas unidades com melhor suspensão e o ‘baffle’ foi reforçado com alumínio. A linha EVO é também extensiva ao modelo Stella.

Focal A Grande Utopia EM é agora EVO, e o preço disparou para os 180 mil. Aparentemente, nada mudou. Mas a EVO utiliza novas unidades com melhor suspensão e o ‘baffle’ foi reforçado com alumínio. A linha EVO é também extensiva ao modelo Stella.

Goldmund Samadhi. Ao que o mundo chega. Uma das marcas suiças mais exclusivas exibida num corredor de passagem. Ainda me lembro de ouvir um par destas colunas, então na versão original, numa abadia (!) em Paris, com audição reservada com meses de antecedência. Por 250 mil o par é o menos que se exige: exclusividade e elegância – e alguma religiosidade, já agora...

Goldmund Samadhi. Ao que o mundo chega. Uma das marcas suiças mais exclusivas exibida num corredor de passagem. Ainda me lembro de ouvir um par destas colunas, então na versão original, numa abadia (!) em Paris, com audição reservada com meses de antecedência. Por 250 mil o par é o menos que se exige: exclusividade e elegância – e alguma religiosidade, já agora...

Gryphon Zena, logo abaixo do Pandora e sem saída para auscultadores, além de outras funções como ‘balanço’ e ‘polaridade’. Não se pode ter tudo por 13 000. Se quiser um DAC integrado ou entrada phono vai ter de pagar mais...

Gryphon Zena, logo abaixo do Pandora e sem saída para auscultadores, além de outras funções como ‘balanço’ e ‘polaridade’. Não se pode ter tudo por 13 000. Se quiser um DAC integrado ou entrada phono vai ter de pagar mais...

Nota importante: os preços são meramente indicativos e não incluem IVA. Para confirmar informe-se junto do distribuidor nacional.

DSCF0158

Absolare Hybrid Monoblock Amplifier, utiliza válvulas no andar de entrada e...OpAmps no andar de saída. Será uma nova versão sobrealimentada da tecnologia Gaincard? Só sei que o som é fabuloso e a ele voltaremos garantidamente quando publicarmos as notas de audição.

Atlantis é uma marca da Wadax espanhola. Foi discretamente utilizada na sala da Avantgarde e despertou-me a atenção pela extraordinária robustez da construção. A linha é composta por um transporte/DAC e leitor Blu-ray Universal.

Audio Physics Structure, a coluna escolhida para figurar com Kari Bremnes na capa do catálogo do Highend 2018. Passa a ser a nova topo-de-gama da marca. A caixa é construída em fibra de vidro, fibra de carbono, madeira e espuma cerâmica. Voltaremos às Structure prometo.

Audio research Reference e160M. Não é propriamente novidade. Pelo menos à vista. Porque não lhe consegui pôr os ouvidos em cima. Vou ter que fazer reserva na Imacústica... Válvulas 6H30 e KT150, auto-bias e funcionamento comutável ultralinear/tríodo. O fantasma da agulha do indicador de potência parece dançar dentro do vidro. Fantasmagórico, sem dúvida...

Ayre A nova série 8 utiliza o mesmo circuito zero-feedback e o circuito de saída ‘em diamante’ que tornou a Ayre famosa mas a um preço bem mais acessível. O EX-8 custa 6000 dólares. A versão com entradas digitais e ethernet sobre para 8000. É só fazer as contas...

Brinkmann AudioMarconi MkII prévio tem, dizem eles um circuito completamente novo. Pronto, aceito.

D’Agostino Relentless Não resisto a voltar aqui ao que terá sido a principal atracção do Highend 2018. São 250 quilos de amplificador! Ou seja, um dólar por grama, o que traduzido para euros deve andar pelos 350 mil. O par!, vá lá, vá lá... É o que vai ter de pagar para ter 1500W/8, 3000/4 e 6000/2. Sim, leu bem: 12 000W/1 se o seu sistema eléctrico aguentar o barco...

dCs a principal novidade é o novo transporte Rossini CD/SACD, um brinquedo para custar uns bons 20 mil euros, mas que faz upsampling do sinal para DXD 24-352,8 ou DSD128, e lê SACD em formato nativo e transmite depois o sinal para o DAC por duplo AES/EBU. Voltaremos à dCS para as audições e um comparativo MQA com matrizes de Peter McGrath. Será que se ouve a diferença? You bet!...

DALI lançou a linha Callisto de colunas ‘avançadas’ e juntou-se à Bluesound para as artilhar com função wireless. O modelo 6C é, além disso, activo (amplificação de Classe D) e, portanto só precisam de um prévio Soundhub para cumprir a sua função. Gostei particularmente do cenário ‘industrial’ montado pela DALI para exibir e demonstrar os seus produtos.

Copland CTA 408, amplificador integrado a válvulas

Cambridge Nova linha Edge da Cambridge Audio, comemorativa do 50º Aniversário da companhia. Na foto, o integrado Edge A (preço anda nos 5000 euros); a versão prévio Edge NQ e amp W já vai para os 7000. Mas o prévio tem entrada ethernet e DAC até DSD256.

Dynaudio Confidence, que a Dynaudio considera uma revolução na sua longa história. A Confidence 60 substitui a Evidence Platinum- O tweeter é o famoso Esotar. Estava um par a tocar em espaço aberto, pelo que não me posso pronunciar sobre o seu potencial. A construção é soberba e o preço elevado: 60 mil. Há também modelos mais baratos: Confidence 50 e 30.

EAT Reference, a Pro-Ject ‘deluxe’, é assim uma espécie de Toyota e Lexus.

Elac As Elac Concentro foram a grande surpresa do Highend 2016, e foi até o som de que gostei mais. Agora temos as Concentro M que com 2/3 do tamanho custa metade do preço. Mas já não me convenceu tanto...

Esoteric Network Audio Transport N-03T, com função de streamer e DAC de alta resolução.

Focal A Grande Utopia EM é agora EVO, e o preço disparou para os 180 mil. Aparentemente, nada mudou. Mas a EVO utiliza novas unidades com melhor suspensão e o ‘baffle’ foi reforçado com alumínio. A linha EVO é também extensiva ao modelo Stella.

Goldmund Samadhi. Ao que o mundo chega. Uma das marcas suiças mais exclusivas exibida num corredor de passagem. Ainda me lembro de ouvir um par destas colunas, então na versão original, numa abadia (!) em Paris, com audição reservada com meses de antecedência. Por 250 mil o par é o menos que se exige: exclusividade e elegância – e alguma religiosidade, já agora...

Gryphon Zena, logo abaixo do Pandora e sem saída para auscultadores, além de outras funções como ‘balanço’ e ‘polaridade’. Não se pode ter tudo por 13 000. Se quiser um DAC integrado ou entrada phono vai ter de pagar mais...