Highend 2013 - Munique

Highend 2013: audições (live sound) - parte 3



mbl


Uma das marcas emblemáticas da Alemanha. Curiosamente, não tem representante oficial em Portugal. Embora a maior vedeta do cançonetismo nacional tenha um par de mbl 101 E, na sua sala, com as famosas unidades radialstrahler, a que eu chamo os 'ananases pulsantes', para se ouvir a si próprio e aos seus fãs nos concertos ao vivo, presumo, com qualidade audiófila e muita 'ambiência', como ele gosta.


O topo de gama são as famosas mbl 101 X-treme, que Hificlube, vos mostrou o ano passado, e foram de novo apresentadas este ano. Por isso, optei este ano por registar a performance da gama mais 'económica' Corona, em, branco pérola, bem ao gosto dos alemães e nórdicos que a podem comprar.


Quando passei por lá, estava a tocar Take Five, de Dave Brubeck. Gostei. Nada a apontar de negativol, a não ser o preço...

Metrum Acoustics


Dou a mão à palmatória: admito que, não fora o pessoal da Ultimate Audio Elite me ter apresentado esta marca, numa das minhas últimas visitas, e eu nem sabia que o Metrum Hex DAC existia.


Mas existe e tem um som muito analógico, fruto da utilização de 16 chips de conversão (oito por canal!), em modo diferencial. Tem entrada USB 24/192, claro.


Todo o restante equipamento complementar era também desconhecido para mim e, estou certo, para a maioria dos leitores do Hificlube: amplificadores Colotube e colunas da SoundKaos (que raio de nome!...).


Tudo por junto, um som muito analógico e muito mais 'normal' que os nomes dos componentes que lhe deram vida...

msb technologies


A msb começou por ser uma empresa de carolas, quase de vão de escada, mas sempre um passo à frente no domínio da tecnologia digital. O design dos seus produtos (os famosos amplificadores ouriço - ver Highend 2013: Novidades - são um bom exemplo. Aqui temos o novo S200 estéreo com 200W em Classe A.


Mas até nisso, houve uma melhoria notável, e o actual DAC de entrada de gama é de uma simplicidade desarmante.


Quanto aos Dacs da família DAC IV (Platinum, Signature e Diamond) utilizam todos o femtosecond clock. Depois do nanosegundo e do picosegundo, temos o femtosegundo que corresponde a um milionésimo bilionésimo de segundo!! E garante um desvio do sinal original de apenas 0, 077 picosegundos, quando tudo o que seja na casa dos 150 picosegundos já é considerado bom pela indústria do áudio.


A msb fez parceria com a Eventus Audio, que aproveitou para apresentar as Io.

Rosso Fiorentino


As enormes Florentia fizeram a sua apresentação mundial no Highend 2013, cabladas por Kubala-Sosna (UAE) e com amplificação Ypsilon (um tudo nada vivinha da silva).


Coragem é colocar no prato do excelente Bergmann Sleipner, distribuido em Portugal pela Ajasom, o LP original de Dark Side of the Moon, dos Pink Floyd. Ouviu-se com prazer. Coisa de velhos...

Silbatone (Western Electric)


A primeira vez que lá passei (ver: Excentricidades), considerei este som, não só o pior do Highend 2013, mas o pior de sempre! Estava a tocar um LP dos Led Zeppelin, e a distorção era tanta que cheguei a pensar que aquilo se ia incendiar como o... Zeppelin.


No Domingo, voltei lá e soou-me bem melhor. Continuo a achar que tem som de...eh... corneta, mas há ali qualquer coisa de diferente na forma de nos apresentar a música.


Ao contrário do nosso Presidente, eu às vezes tenho dúvidas - e até me engano. Mas não tenho problema em admitir o erro, não digo que a culpa é dos outros...

Stein Music


Os leitores dispõem de breves descrições dos equipamentos em presença na secção de 'Novidades', ilustradas com fotos estáticas. A ideia nesta secção é permitir ouvir o que se viu antes agora ilustrado com video.


Colunas Master Class SP1.1 e SP2.1; célula Aventurin, amplificadores Master Class Amp2.


Sinceramente, já ouvi os cabos e condicionadores Stein produzirem melhor efeito nos equipamentos de... outros fabricantes.

Straussmann


Nunca ouvi falar, que me lembre, nesta marca. Nem tudo o que é clássico ou artesanal; nem tudo o que é válvulas; nem tudo o que é reforçado com granito soa melhor por natureza. E eu já ouvi este Reiner, Chicago Symphony Orchestra / Moussorgsky: Pictures At An Exhibition, da Living Stere, muito melhor algures, mau grado o bom aspecto das colunas suecas Engelholm.


Para mim os amplificadores Straussmann a válvulas não se aguentaram com o Mussorgsky, pronto!

Sonus faber/McIntosh PA


Este video do concerto de Carlos Santana no Festival de Montreux 2011 teve tanto sucesso, quando o apresentei em 'Excentricidades', que resolvi repeti-lo com um pouco mais de tempo.


Trata-se do PA engendrado por Livio Cucuzza, da sonus faber, composto por uma bateria de colunas Venere Center e subs Cremona, superalimentados por um trio de McIntosh MC601.


O resultado é o que se ouve aqui, com a ressalva de que ao vivo o impacto era naturalmente outro.

Sony


Sony exactamente. A Sony tem altos e baixos, quando se trata de áudio highend. Tem uma vocação mais, digamos, de electrónica de consumo. Mas, de vez em quando, dá carta branca aos seus engenheiros para construírem o melhor produto sem se preocuparem com o preço.


Foi o que aconteceu com as colunas Sony SS-AR1, muito elogiadas pela crítica mundial.


No Highend 2013, estavam em boa companhia audiófila, com amplificação a válvulas VAC e fonte Playback Designs. A minha primeira impressão, talvez pelo excesso de expectativas, foi positiva mas não efusiva.


Curiosamente, o video que fiz prova o contrário: o som que se ouve é de grande qualidade audiófila. As SS-AR1 são aquilo que se chama um statement product.

TAD


A TAD apresentou, em princípio, o mesmo setup do ano passado com electrónica TAD e colunas Evolution 1.


Andy estava cá fora a conversar e eu não quis interromper, perguntando por novidades, enquanto a demonstração corria em velocidade de cruzeiro. Nice and smooth como sempre.

Tannoy/Unison


Um par de Grand Royal clássicas era alimentado  cun gusto, por um amplificador Unison Performance Limited. Um conjunto clássico e com classe à parte.

Tidal


Impressionante demonstração de força e classe desta marca alemã que, tanto quanto sei, também não tem distribuidor em Portugal.


A Tidal fez no Highend 2013 a ante-estreia dos amplificadores monobloco Impulse, com prévio Preos-D, que alimentaram as também novas colunas Agoria SE.

Tune Audio


Anima é mais uma estranha coluna de corneta - os alemães adoram estas coisas! Todos os anos mostro fotos e videos delas. Mas fica sempre bem no meu portfolio de 'estranhas formas de vida audiófila'.


Baseia-se no princípio Tractrix, com elevada sensibilidade e distorção muito baixa. O corpo da coluna é, de facto, uma corneta para o altifalante de graves, que está montado no topo e 'dispara' para baixo.


A corneta de médios em madeira Baltic é mais óbvia. O tweeter é uma peça esotérica fabricada em resina epoxídica. Os filtros são de primeira ordem (6 dB/oitava). Electrónica TotalDAC, amplificação Lars II.


Um som massivo, amplo, grandioso, com um ligeiro grão no topo.

Yba


Linhas Design, Heritage e Passion. E o próprio Yves-Bernard André a demonstrar as referências Signature CD, Pré e amp, com colunas Epos.


A voz de Muddy a cantar School Girl soa poderosa e cheia, mesmo num contentor...

Yba e o mistério da fase absoluta


Fecho esta 3ª e última série de audições, com um video extremamente interessante.


Yves-Bérnard André quis provar ao mundo, através do Hificlube, algo em que eu sempre acreditei, mas que há quem negue, porque fisiologicamente isso não afecta a 'compreensão' do som pelo cérebro: a fase absoluta é audível.


Neste video, Yves-Bérnard utiliza o comutador de fase do prévio Yba Signature, e é perfeitamente audível (mesmo nestas condições precárias) que, quando em 'fase absoluta', chame-lhe polaridade original do registo se quiser, o que não tem nada a ver com 'em fase' e 'fora-de-fase' (isso é um erro e seria demasiado óbvio), a voz da cantora tem mais corpo, definição e, sobretudo, volume e projecção.


Tratou-se de um teste cego: a experiência começa em inversão de fase e depois passa a fase absoluta (a 2ª tentativa é a mais audível). Depois Yves faz um truque e faz dupla comutação, malandrice!...