2012

Ultimate Audio Elite Entra Na Era Do Grifo



Ao contrário de outras marcas famosas, que se dedicam só a amplificação ou são especialistas apenas em colunas, a Gryphon produz a cadeia integral do áudio: das fontes às colunas, incluindo todo o tipo de cabos de ligação. HIFICLUBE já tinha publicado esta notícia, mas não há nada como ir lá ver/ouvir para depois contar aos leitores.  


 


HIFICLUBE publica ainda em primeira mão fotos das novas Evolution Acoustics Micro, num dos auditórios da loja de Benfica, com sumptuosos acabamentos de requinte oriental, e um preço justo para a qualidade de som demonstrada.



Apesar do tamanho, o “voicing” é típico da marca: som encorpado e rico de harmónicos na grande gama média, lá onde vive a grande maioria dos sons que nos interessam ouvir.


 


Sistema Gryphon integral: fonte Mikado, amplificador integrado Diablo, colunas Atlantis  


A aposta forte na Gryphon está patente na profusão de adereços com o logotipo da marca na loja de Benfica. O decalque a ouro nas portas de vidro da entrada é o primeiro sinal que estamos a entrar no território do grifo.


 


O grifo é um animal mitológico, com corpo de leão e cabeça e asas de águia, que pretende transmitir simultaneamente a ideia de força e graciosidade, que Rasmussen e a sua equipa técnica tentam incutir na performance de todos os produtos áudio.


   


Flemming E. Rasmussen  


Eu e Flemming Rasmussen, que conheço há muitos anos, temos algo em comum: ambos partimos da Arte para a Técnica, inicialmente com espírito lúdico, de puro hobby, exercendo embora uma profissão diversa, e acabámos por nos dedicar ao áudio a tempo inteiro, sempre com o objectivo de encontrar, na análise do som reproduzido por meios electrónicos, respostas racionais para explicar emoções artísticas, que continuam afinal a ser a verdadeira – e única -razão de ser da audiofilia, numa tentativa, quantas vezes vã, de associar causa e efeito.


   


Em última análise, hoje como ontem, estamos mais preocupados com o efeito de prazer auditivo do que a causa que lhe está na origem.


 


Nesta reportagem, os leitores têm assim a oportunidade única de me acompanhar na visita para conhecer as novidades (que não são só da Gryphon...); e assistir às audições 'ao vivo', quase como se lá tivessem estado comigo, tanto de sistemas mistos (Emm, Gryphon, Rockport), no auditório principal, como do sistema Gryphon integral (leitor-CD Mikado, amplificador integrado Diablo e colunas Atlantis), instalado na área comum de exposição, que puderam apreciar também em VideoHD (captação de som live).


       



A Gryphon dá grande importância à ambiência e ao palco sonoro, e isso foi evidente em algumas das audições que fiz no auditório principal, com os “colossais” amplificadores Collosseum, no modo de polarização máxima em Classe A (ficam bem quentinhos...), alimentando as colunas Rockport Avior.


   

Experimentá-lo é melhor que julgá-lo, mas julgue-o (com base nos videos) quem não pode experimentá-lo...   Fica ainda nesta reportagem o testemunho pungente de sacrifício humano em prol dos elevados valores do highend. Este é um documento secreto a que nem a Wikileaks teve acesso, de que a vida de audiófilo, especialmente quando é exercida como profissão, não é só ouvir boa música. Há muito trabalho envolvido. Para ouvir o piano, é preciso, hélas, carregá-lo também, como prova o video da azáfama quotidiana, na loja da Ultimate Audio Elite, no qual Jorge Gaspar e Rui Calado protagonizam ao vivo e a cores a:



Nobre arte de montar caixotes em toda a sala...


   


HIFICLUBE  agradece a Miguel Carvalho a simpatia pessoal e o profissionalismo com que, durante cerca de duas horas, demonstrou os diversos equipamentos highend  ao “paciente” JVH, logo ele que é médico, pelo que JVH não poderia estar em melhor companhia. É que, sendo a audiofilia por muitos considerada uma doença incurável, nada melhor para estabilizar o “doente” que tomar medicação desta todos os dias.



Só é pena não ser comparticipada pelo Serviço Nacional da Música...