2011

Highend 2011_munique_30 Anos De Paixão



Transrotor a marca ex-libris do Highend



Tudo começou com 13 amigos, que se juntaram em 1981, em Alzenau-in-Spessart, para partilhar as suas experiências com os seus próprios sistemas de som, a convite de Klaus Renner, um jovem engenheiro e jornalista freelance, cujo objectivo era lançar uma revista de áudio com o sugestivo título “Das Ohr”, que em alemão significa “A Orelha”.


Em 1982, aproveitaram a boleia da feira do áudio e do vídeo, em Düsseldorf, para realizarem, num hotel da cidade, o que foi o embrião do Highend.


 


Franco Serblin numa foto rara: apresentação das Cremona, no Kempinski, em 2002
   


JVH em frente ao Hotel Kempinski, no ano da despedida (2003)


   


Kempinski, Frankfurt: o anúncio oficial da transferência para o M.O.C., de Munique   A aventura continuou depois, durante 21 anos, no famoso hotel Kempinski, em Frankfurt, e passou finalmente para o M.O.C., de Munique, em2004.    



M.O.C., Munique, 2004 (nave central)


Agora, que já vos despertei a curiosidade, podem ler o resto da história e muito mais no pdf em inglês da secção Media (barra à direita, em baixo). Há mais de 20 anos consecutivos que JVH faz a cobertura do melhor e maior certame sobre áudio da Europa, em jornais e revistas. Desde os saudosos tempos do “Hifi among the trees”, no luxo requintado do Kempinski, até à actual versão, um misto de FIL e hifishow clássico.



Capa da última reportagem do Kempinski no DNA (DN 2003)    


Highend 2007: reportagem de JVH no Correio da Manhã


 
No HIFICLUBE, as reportagens do Highend só começaram a ser publicadas a partir de 2002, ano da criação, e acompanharam também a nossa evolução tecnológica, em especial na qualidade gráfica: fotos, vídeos e mudança de formato, já que a escrita manteve sempre o cunho especial e inimitável de JVH.


 


Highend 2010_a arte do analógico



Acoustic Solid, outras das marcas emblemáticas de gira-discos do Highend



Highend 2009, entretenimento ambulante, no feminino






As grandes cornetas (as modernas e as antigas) são um dos pontos fortes do Highend


   


Acontecem coisas no Highend que não acontecem em mais nenhum show do mundo


    Vêem-se coisas no Highend que não se vêem em mais nenhum show do mundo  


Os leitores podem matar saudades, acedendo a algumas reportagens anteriores, clicando nos links respectivos nos Artigos Relacionados (barra à direita em cima: a ordem é, por vezes, arbitrária). E constatar, por exemplo, que o facto de o Highend se realizar agora no M.O.C., um enorme complexo de exposições, não afectou a tradição alemã de bem receber, com concertos, palestras, seminários, testes comparativos, muitos gira-discos, válvulas, palettes de  LPs e, claro, muita cerveja.


No Highend, há palettes de LPs para comprar

Este ano vai haver uma festa para a imprensa com música ao vivo e buffet bávaro, no dia de abertura, para o qual JVH já foi convidado, mas não podemos garantir que vá – JVHnão é muito dado a festas e copos...


O que podemos garantir é que os leitores do HIFICLUBE serão os primeiros a saber das novidades. E vão poder não só vê-las, como ouvi-las a tocar: nos vídeos e fotos que serão publicados, em cima da hora, logo a partir de Munique, para não perder o gás...