2011

Ces 2011_let The Games Begin_parte 2: Audiopax, Boulder, Crystal, Constellation, Dartzeel, Estelon, Hansen, King Sound, Kr, Msb, Nuforce, Pass, Pathos, Reflection, Resolution, Venture

Ces 2011_let The Games Begin_parte 2: Audiopax, Boulder, Crystal, Constellation, Dartzeel, Estelon, Hansen, King Sound, Kr, Msb, Nuforce, Pass, Pathos, Reflection, Resolution, Venture
Nota: HD videos serão inseridos logo que editados





AUDIOPAX
 
 










Som brasileiro. Com muita qualidade. Válvulas que soam como válvulas. Uniquely Real, diz o slogan. Declaram ter um sistema exclusivo de acoplamento do amplificador com a coluna que designam por Timbre Lock. Eu deliro com estas tiradas semânticas. Mais afirmam que conseguem emular qualquer tipo de válvula, pelo que conseguiram criara a Ideal Audio Triode. Abstenho-me de comentar por desconhecimento e pudor. Só posso dizer que funciona. Bem.





BOULDER

  



Exibiu um par de monoblocos de 180 000 dólares! Lindos, uma autêntica peça de arte moderna esculpida num bloco de alumínio. Porquê tão caros?, perguntei com a ingenuidade dos néscios. Os nossos distribuidores asiáticos disseram-nos que os nossos amplificadores topo de gama não eram suficientemente caros para os audiófilos chineses...


Pesam 200 quilos cada um. Têm uma estranha forma irregular. E 1 500 W em Classe A com 120 transístores no andar de saída! Os deuses do áudio estão loucos... Quando os acender, arrisca-se a que apaguem as luzes todas da vizinhança. Será que a electricidade é barata na China?...
 



CRYSTAL
 

 





As Arabesque Mini não têm a beleza transparente das Arabesque-mãe. A forma irregular para combater as ondas estacionárias sem necessidade de “enchimento” mantêm-se. A qualidade do som provavelmente também.










Vi-as de frente e de trás. E lá bonitas, bonitas, não são...
 



CONSTELLATION
 





Uma nova constelação na galáxia do áudio planetário. Construção sublime em blocos escavados de alumínio puro. Os preços também são capazes de “escavar” o mais profundo dos bolsos: os amplificadores Hércules deviam ser coisa para custar cá 200 000 euros o par, embora prometam 250W de Classe A pura a Mosfet single-ended!  






Todas as outras peças apresentadas da nova linha Performance, ainda sob a forma de “mock-ups”, me deixaram a salivar. O sistema de suspensão do leitor-CD parecia saído de um filme da NASA!...

O leitor CD/DAC/USB (24/384) Constellation Cygnus, por exemplo, eu adorava ter um...


Pelo interesse que uma determinada pessoa demonstrou por este material, eu acho que ainda vão ouvir falar disto por cá. Talvez a nova marca mais promissora do ano em Las Vegas.
 
 

DARTZEEL
 
 














Tal como a Magnepan a DarTZeel joga na primeira divisão do highend mas apresentou-se no Flamingo. Estava de novo em parceria com a Playback Designs e a Evolution Acoustics (já vos mostrei isso no videoshow 'The Show'). Mas como as colunas eram as Micro One, que, no fundo, não passam de satélites para um sistema AV, o som não tinha a imagem macro dos anos anteriores, passe a aparente contradição. Era apenas bom, mas não superlativo. No highend há um limite para a redução do tamanho das colunas, a partir do qual o resto do equipamento complementar sofre. E nem a DarTZeel nem a Playback Designs mereciam uma tal redução do ar em movimento na sala. Fica-me a memória de um dos melhores sons de 2010, na mesma sala, com as mesmas marcas. E outras colunas...




ESTELON






 


 


Vêm da Estónia. Vi-as em várias salas, o que prova que se querem impor no mercado americano. Foram as colunas escolhidas por Lew Johnson para demonstrar os seus amplificadores. Numa sala onde normalmente a apresentação é estática, isto quer dizer qualquer coisa, não?...




HANSEN
 

 

 

Duas peças de luxo que ninguém distribui (ainda) em Portugal: Hansen e Tenor. E se tocam bem juntas! Também é verdade que os tempos não correm de feição para investimentos destes em produtos cujo nome, só por si, não vende, como Wilson Audio, Krell, Mark Levinson, etc.


Não é fácil pegar num produto, por muito bom que seja, e começar o trabalho de promoção do zero. Até porque, com excepção do Hificlube, já ninguém escreve sobre highend, em Portugal, e a penetração de revistas como a Stereophile e a TAS é ao nível do nicho de mercado.




KING SOUND 





 
 


 



 

Há muito tempo que vos ando a dizer que isto é som electrostático de qualidade. E

os preços até nem são exagerados. As Prince II são inexcedíveis com música de câmara e pequenos ensembles de jazz. E a decoração estava linda de morrer.
 
 

 







KR
 
 
 
 

Eu acho que o J.Martins distribui ainda as válvulas KR em Portugal. Mas nunca ninguém pegou nos Kronzilla. Talvez por serem tão feios. Mas tocam que se fartam. O som é poderoso, grande e fresco,  como os camarões de Moçambique, e sabe a válvulas-tigre!...
 


MSB
 
 


USB a 384kHz 32 bits! O filtro digital tem uma precisão de 80 bits! Onde é que isto vai parar? E soa bem? Soa, sim senhor...


NUFORCE


 


A Nuforce apresentou os novos Reference 18 com Cross Matrix Array na placa de circuito que suporta os condensadores (whatever that means...). Ameaçam debitar 1300W sobre 2 ómios! E o agudo é mais natural, neutro e bem texturado. Se eu já gostei dos 9SE...
 
 

PASS LABS
 
 

 
 

Na Pass disseram-me exactamente o mesmo que na Boulder. Precisávamos de ter amplificadores money-no-object para vender na China. Nelson Pass fez-nos a vontade. São monoblocos de Classe A com o circuito Super Symetry e novos FETs de especificação militar. Não são novidade para os leitores do Hificlube. Se for à reportagem das CES 2010, já lá estão. E também não estavam a tocar. Mas garantiram-me que estes já funcionam, ao contrário do ano passado. Serão muito provavelmente os Nelson Pass Signature or Statement, quando resolverem dar-lhes um nome.
 



PATHOS









Pathos Remix Double-Inpol. Amplificador integrado com 10W de magia pura. Ligue-o a umas colunas de corneta e maravilhe-se com os resultados...






REFLECTION
 
  

 
 


Utiliza uma unidade exclusiva de médio-agudo do tipo planar dipolar. O resto já é mais convencional, embora a carga do altifalante de graves seja uma linha-de-transmissão. Acho que estava a tocar bem, senão não as teria fotografado. Há salas onde entro mudo e saio calado. Para não ter que dizer asneiras...





RESOLUTION AUDIO 


 




 

 

 

Nunca tinha ouvido falar. O design é extremamente elegante. O DAC e o leitor-CD são únicos em termos estéticos, com a superfície irregular e ao mesmo tempo macia. Belissimos acabamentos. Uma autêntica jóia audiófila.
 
 
VENTURE
 
 

 
 

XTreme loudspeakers. Em tudo: no tamanho, no peso, no número de altifalantes, suficiente para equipar um bom PA e, last but not least, no preço de 200 000 dólares. Leu bem: duzentos mil! Dava para comprar um apartamento de férias jeitoso, junto ao mar.









Por este preço, eu queria ter a Eva Cassidy, se não ao colo, pelo menos ali à mão de semear. Mas faltava-lhe o corpo, e um pouco de alma. E isto com 'Fields of Gold', o tipo de faixa audiófila que até vendia um par de sapatos sem atacadores a um tipo com perna de pau...
 
 
 
IR PARA PARTE 3/GO TO PART THREE
 


  IR PARA/GO TO  PARTE 1 
  

IR PARA/GO TO: ÁUDIO DO ARCO DA VELHA


Ces 2011 let The Games Begin parte 2: Audiopax, Boulder, Crystal, Constellation, Dartzeel, Estelon, Hansen, King Sound, Kr, Msb, Nuforce, Pass, Pathos, Reflection, Resolution, Venture