2010

Ktêma By Franco Serblin

Ktêma By Franco Serblin
Franco Serblin revelou ao mundo o que andou a fazer em segredo durante 3 anos: Ktêma, uma 4-vias (5 unidades), com caixa em triplo arco, num jogo entre o côncavo e o convexo.
 
 






Levinson, Nudell, Serblin, D’Agostino. E tantos outros que caíram na teia que a Bolsa tece. Para crescer aceitaram injecções de dinheiro de quem tem da arte uma visão mercantilista. Depois, cresceram tanto e tão depressa, que o próprio organismo a que deram vida os rejeitou. Quase todos acabam mais cedo ou mais tarde por renascer no mercado pelos próprios meios, apoiando-se no prestígio do nome, na arte e no engenho.

A Sonus Faber, de Franco Serblin, foi a minha primeira grande paixão audiófila. Ainda hoje, tenho um fraco por aquele som característico do mestre. Tanto que mantenho um par de Concertino originais como referência.


Franco saiu da Sonus Faber em circunstâncias que nunca foram explicadas, mas que têm obviamente a ver com diferentes concepções de gestão do tempo – o de Franco, que é Moderato gracioso e o do mercado que é Presto, demasiado presto para quem tem o objectivo da perfeição - “Ktêma eis aei”, algo que é sólido e perene -, e não faz concessões à histeria colectiva da novidade a todo o custo - “Panta rei”,  algo que é caduco e mutável.


Franco saiu com a dignidade possível e, por contrato, impôs-se a si próprio um silêncio de 3 anos. Que quebrou agora com a sua nova obra de arte: Ktêma.



Tucidides definiu Ktêma há 2 000 anos como uma contradição entre termos: algo que é real, mas que ainda não foi concretizado; que é apenas possível num futuro remoto e também um facto indesmentível no presente; que dá significado a tudo o que acontece e, contudo, desafia a compreensão; cuja posse é um bem supremo e está, hélas, fora do alcance; que é o ideal último da vida e uma busca sem esperança.

 
 






Não deixou assim de ser perturbador do meu equilíbrio emocional, quando, a poucos dias de partir para Veneza, para assistir ao lançamento, com pompa e circunstância, da nova flagship da Sonus Faber, Franco, the man himself, revelou ao mundo discretamente, como é seu apanágio, o que considera ser: ...a fusion of the old, enduring experience with the light, free, searching spirit. 

E embora eu tivesse conhecimento de que Franco tinha algo na manga para breve, fiquei à espera do seu convite para um almoço singelo em Vicenza, e admito que fui apanhado de surpresa e ultrapassado pelo feliz acontecimento, quando as Ktêma foram anunciadas em 2010. Não se pode ganhar sempre, diz-se. Mas desta vez não vou deixar escapar a oportunidade.


Os leitores podem ler tudo sobre as Ktêma neste site.
 
Ou, melhor, vá ouvi-las na IMACÚSTICA 
 

Ktêma By Franco Serblin