2008

Martin Logan Clx 25 Em Munique



David Allen e as CLX no Highend 2007, Munique. Desta vez o convite formal dizia: this time I will let you take as many pictures as you like...


Este olhos que a terra há-de comer viram-nas todas nuas tal como vieram ao mundo (benza-as Deus, eram feiotas!), mas só me foi permitido fotografá-las com a burka. Uma questão de pudor? Desta vez prometeram-nos carta branca para ouvir e fotografar a deusa negra do som em nu frontal e sem véu.


Quem viu a minha foto (que correu mundo) e leu a minha descrição (traduzida em línguas mil pelo Google) ficou com uma ideia muito aproximada do produto final. De facto, as últimas informações revelam que as CLX 25 mantêm o duplo painel: curvilíneo para os médios e agudos (XStat), tal como o das Summit; e plano mas de duplo diafragma ( a la Audiostatic) para os graves (Dual Force ESL) de 57 polegadas com estabilizador de fase.


A moldura pode ser em madeira clara ou escura e em alumínio natural ou anodizado a negro (EcoSound), sendo que foi esta última versão que me foi apresentada no Highend 2007.


Se tudo correr bem, no dia 25 de Abril, os leitores do Hificlube assistirão aqui a mais uma revolução audiófila e poderão ver e ouvir pela primeira vez as Martin Logan CLX 25. Ainda dizem que não há coincidências...



MARTIN LOGAN CLX - DESCRIÇÃO:


Logo que entrei no MOC, corri escada acima para ver/ouvir as CLX. Mais de uma década depois, Gayle Sanders resolvia finalmente dar vida à sucessora da única full range da marca, a velha CLS. Mas tem sido um parto difícil. Procurei-as em Las Vegas - e nada. Em NY, soube que também não tinham marcado presença. Gayle (que entretanto vendeu a Martin Logan para se dedicar à família) tinha prometido exibi-las em Munique. E cumpriu - com limitações: exibição estática e proibição absoluta de fotografar. Já sabem como eu fico fulo quando me proíbem de partilhar com os leitores aquilo que vejo, mas apesar de tentar eles conseguiram resistir a tanto charme. Não sei se alguém teve mais sorte, mas eu pelo menos vi-as e toquei-lhes, como quem toca numa relíquia sagrada. E como não há machado que corte a raiz ao pensamento, aqui vai uma descrição o mais rigorosa possível, com a ressalva de que a peça exibida não é do produto final e pode vir a sofrer alterações.


A moldura robusta em alumínio negro é mais estreita mas um pouco mais alta do que das CLS. O painel electrostático está dividido em duas partes iguais: um painel para médio-agudos curvilíneo, semelhante ao das Vantage, apenas mais longo a toda a altura da coluna, montado do lado esquerdo; e um painel do mesmo comprimento mas plano (!!) para os graves, do lado direito, o que dá às CLX um aspecto estranho de coisa por acabar. Quase que arrisco dizer que não será esta de facto a solução final, quanto mais não seja porque é feia. Do lado do painel de graves, a CLX tem uma espécie de embaladeira, semelhante à utilizada por alguns modelos das Audiostatic holandesas, mais larga em baixo que em cima, para permitir ao painel estender a sua resposta até aos 40Hz sem cancelamento de fase.


MARTIN LOGAN CLX _ DESCRIPTION:


As soon as I arrived at the MOC, I quickly ran upstairs to see/hear the CLX. More than a decade later, Gayle Sanders finally decided to give birth to the heir of the only full range of the brand, the old CLS. But it has been a difficult birth. I looked for them in Las Vegas--and nothing. In NY, I heard they weren't there. Gayle (who in the meantime sold Martin Logan to spend more time with his family) had promised to show them in Munich. And he delivered--although with some restrictions: They weren't hooked up and absolutely no photography was permitted. You know how angry I get when I am not allowed to share what I see with you, but however much I tried, they resisted my charms. I don't know if anyone else got lucky, but at least I saw and touched them, as someone who touches a sacred relic. And since there is no sword able to root out thought, here's a description, as detailed as possible, with the usual disclaimer that the unit on display might not be the final product and thus might undergo some changes.

The solid black aluminum frame is narrower and slightly taller than the CLS. The stat panel is divided in two equal parts: A curved panel for mids and highs, similar to the one on the Vantages, but along the full height of the speaker, set on the left side; and a straight flat panel (!!) for the bass, on the right side, giving the CLX an overall appearance of an unfinished design. I strongly feel this is not the final product, mainly because it was ugly. On the bass panel side, the CLX has a sort of cradle, similar to that on some of the dutch Audiostatic models, to allow the panel to go all the way down to 40 Hz without phase cancellation.