2007

Highend 2007 - Munique - Parte 8: The Invisible Magneplanar System



Sistema 'Invisible Magneplanar' instalado numa suite do Hotel Renaissance, Munique


O “Sistema Invísivel” é o resultado da evolução estética e técnica das MC/MG1: colunas de painel de parede c/ subwoofer também de painel (!) que são autênticos camaleões, confundindo-se com o ambiente doméstico. Nota: já tinha sido apresentado, em Las Vegas, no The Show 2006, mas ainda é novidade na Europa.
Sistema Magnepan audiófilo de topo, no M.O.C., de Munique: colunas Magneplanar 20.1, amplificação Jeff Rowland.


Depois do “boom” dos anos 80 e 90, as colunas de painel perderam muito do seu apelo, à medida que as mulheres ganhavam voz activa no acto de compra de um sistema de som. Ninguém põe em dúvida que a ausência de caixa, a integridade e coesão do “corpus sonoro” e, sobretudo, a forma única como recriam o palco sonoro e os seus intervenientes são extremamente cativantes para qualquer ouvinte, seja ele audiófilo ou não.


O problema é, pois, de “presença física”, ou melhor, de “imposição física”, e não me refiro aqui à “presença virtual” dos músicos, que chega a ser assustadora de realismo, mas ao facto de, como é o caso das Magneplanar, se assemelharem mais a portas que a colunas de som...
Magnepan: sistema AV apresentado na CES 2007


Consciente de que as donas de casa são hoje cada vez mais “donas da casa”, e com a moda dos sistemas AV a tornar praticamente impossível a opção doméstica por 5 x colunas de painel, a Magnepan tem vindo a desenvolver soluções de compromisso, como as MG-MC1, que são colunas de parede.


Sem contudo ter grande sucesso, quer junto deles, por considerarem que não têm suficiente dignidade audiófila, quer junto delas, porque, apesar de pouco intrusivas, ainda não se “enquadram” bem nas diferentes tendências decorativas. Acresce que necessitam de “subwoofers” convencionais para reproduzirem as oitavas inferiores do espectro - e sabe-se como é difícil integrar altifalantes de cone com painéis para já não falar na síndrome doméstica do “caixote negro”.


O SISTEMA INVISÍVEL
Wendell Diller: o sistema invisível soa bem em qualquer ponto da sala...


Quando Wendell Diller, Marketing Manager da Magnepan, me foi apresentado, em Munique, por um amigo comum, e me convidou para ir ao Hotel Renaissance “ver” o novo sistema invisível da Magneplanar, insistindo que era crucial a presença da minha esposa, eu calculei logo que teria de ser algo de muito... feminino. Acontece que ambos gostámos do que vimos e ouvimos.

Eu não sabia de todo que a Magnepan tinha finalmente concebido um “subwoofer” activo dedicado, que utiliza a mesma tecnologia de transdução dos painéis, resolvendo de uma penada a dupla questão da “integração”: estética e acústica, tendo ambos os aspectos sido desenvolvidos até ao mais ínfimo pormenor.

A alegada “invisibilidade” é assim mais “camaleónica”, estilo “trompe l'oeil”, que real. Os painéis de parede são encomendados com ou sem moldura, que pode ser simples ou uma réplica exacta das molduras dos quadros que decoram a sala de estar. A réplica é também extensiva aos tecidos das grelhas: nas cores e padrões das paredes, quadros, ou até com fotos de artistas, músicos famosos ou membros da família. Na brochura promocional, a Magnepan decidiu-se por Marilyn Monroe. Mas pode mudar para o Brad Pitt...
A mesa de vidro c/ candeeiro é o subwoofer. De notar, o painel afastado da parede e pronto a funcionar.


Tratando-se de dipolos, os painéis têm de ser ligeiramente afastados das paredes (de um dos lados apenas) para uma boa reprodução sonora, o que pode ser feito manualmente ou, na versão motorizada, por controlo remoto (ver vídeo, clicando no ícone amarelo no topo da página: peço desculpa, mas o vídeo está na...horizontal!...).


O homem da casa também não foi esquecido. Se ele considerar que a tecnologia quasi-ribbon das MG-MC1 não é suficientemente audiófila, pode encomendar painéis com quaisquer dos “drivers” adaptados dos modelos de topo da marca, incluindo o ribbon original das 3.6 ou até das 20.1!


Quanto ao “subwoofer” é, como seria de esperar, fino e elegante, pouco intrusivo (lembra uma mini-Quad ELS63). O modelo que me foi apresentado estava disfarçado de mesa estilo nórdico, com estrutura de madeira de faia e tampo de vidro, mas Wendell Diller apressou-se a esclarecer que (for a price, of course), o comprador decide qual o estilo de mobiliário que pretende: basta mandar fotos ou desenhos.

Seguiu-se uma demonstração muito eficaz com vários tipos de música, que soou agradável e muito natural, em especial as vozes, e com outra particularidade notável: independentemente da posição do ouvinte, a imagem estéreo manteve-se sempre estável e coesa. Mesmo sentado junto a um dos painéis, era possível ouvir o contributo do outro painel.


Há mercados ávidos por soluções estéreo/AV deste tipo. Segundo Diller, a directora do hotel onde se realizou o TOP Audio, de Milão, ficou tão encantada com a demonstração que mandou instalar sistemas destes em todas as suites de luxo: os hóspedes agradecem.


A Imacústica é a distribuidora da Magnepan, e estou certo que em breve será possível fazer a apresentação em Portugal do “Sistema Invísível” que vai fazer as delícias dos nossos decoradores e das “donas da casa” fartas de serem confrontadas com os monstros que vivem na sala. Refiro-me ás colunas - não aos maridos...


Nota:


O preço-base indicativo por um par de painéis e “sub” activo será de cerca de 2 000 euros. A partir daí é tanto mais caro quanto mais...eh...invisível...