2006

Ii Forum Hifi Event: A Reportagem - Parte 3



Sem qualquer fio condutor, sem preconceitos, juízos feitos ou ideias preconcebidas, olho para as fotos que tirei no Fórum Hifi, e escrevo comentários a propósito (ou a despropósito, depende dos pontos de vista) do muito que ouvi e vi no pouco tempo disponível (duas horas de uma tarde de Sábado), como quem mostra aos amigos o álbum de uma viagem maravilhosa, mas demasiado breve para poder abarcar toda a realidade cultural. E sabemos como, muitas vezes, os turistas focam o acessório e esquecem o essencial, ficando com ideias erradas sobre os países que visitam. Mas eu gosto de arriscar. Da aventura de uma boa polémica. E estou sempre aberto a que, numa visita guiada, me provem o contrário do que escrevi.


AJASOM
Sala da Ajasom com as Vivid B1 em primeiro plano
O reencontro com o Reimyo CDP777
Wilson Benesch Circle


Por falar em cartazes, o novo logótipo da Ajasom é lindo. Já repararam que forma um coração? No meu coração audiófilo continua o Reimyo CDP777 (ver Artigos Relacionados). Mas as Vivid B1 não são, hélas, as Vivid K1. Nem mesmo com o “Círculo” virtuoso da Wilson Benesch e da elegante bailarina Helicon Lyra dançando em pontas de diamante...



Nota: quando entrei o som estava demasiado baixo, quase como música de fundo, e as Vivid precisam de um pouco mais de energia para “desabrocharem” - como as flores…



DELAUDIO
Sala da Delaudio com as Monitor Audio GS60 em primeiro plano
Advance Acoustics MP Station (iPod dock), MCD 203, MAP 103


Delfim Yanez levou para o Hotel Villa Rica o mesmo sistema que tinha sido demonstrado na Delaudio, quando da minha recente visita. (ver Artigos Relacionados). Já escrevi tudo o que tinha a escrever, e creio que ficou também demonstrado no II Forum Hifi Event. Com uma sala maior, as Monitor Audio Gold Signature puderam respirar melhor, deixando-se guiar pelo braço forte e seguro dos Advance Acoustic MAP407. Havia mais ar para movimentar ali. Mas eu preferi o intimismo e o impacte da proximidade. À chacun son goût…



INFIDELIDADES
Sala da Infidelidades com as JM Lab Electra 1027 Be e os Yba Design
Yba Design YA 201, YC 201


O nome pretende ser irónico mas pode ser mal entendido. Em especial quando o som estava demasiado brilhante quando eu entrei. Como se o tweeter invertido da Focal estivesse 3 dB acima do desejável. Houve quem achasse o som doce, pelo que admito que talvez fosse do disco. Não tenho a veleidade de ouvir melhor que os outros. A única diferença que me separa do comum mortal está na enorme base de dados guardada no meu cérebro ao longo de vinte anos. Aliás, terei estado na sala apenas uns minutos, e seria injusto fazer julgamentos definitivos. Vou ter oportunidade de tirar isso a limpo, quando testar os Yba Design, que o Hificlube revelou ao mundo em primeira mão (ver CES 2006 em Artigos Relacionados).

Excelente o cartaz promocional da Yba: “On ècoute aussi avec les yeux”. Embora haja uma certa ambiguidade no aforismo…



Quanto às JM Lab Electra 1027, nunca as ouvi tocar assim. Seria dos cabos Harmonic Technology? Parece que o som estava muito bom, no Domingo, mas eu só posso escrever sobre aquilo que ouvi ainda que en passant entre duas fotos rápidas. Não é por acaso que Ken Kessler se recusa a dar opinião sobre “sons” em hifishows. Para não ter de engolir sapos depois. Contudo, eu não me importo de engolir sapos desde que sejam saborosos...



10 COMPONENTES, UM SISTEMA
Audio Physics: nobreza nórdica metida em apertos plebeus
Poucos mas bons...


Será possível construir um sistema coerente a partir de peças soltas e “restos de colecção”? Vladimiro e Caetano tentaram provar que sim. E quase que conseguiram. Mais tempo houvesse, e lá chegariam. Ou talvez acabassem por chegar à conclusão que as Audio Physics são de outro campeonato e não gostam de misturas. Andavam para ali uns graves perdidos…
Vladimiro e Marcos Caetano: o prazer de realizar o sonho, pelo sonho...

Fica o esforço, a simpatia, o Lp dos Pink Floyd e o logótipo da HDMC, que, creio, é do Francesco Zappa. Muito bem Francisco, muito bem mesmo…


Parabéns, uma vez mais, pela iniciativa.
Nota: fui imformado que que o logo não é de 'Frank Zappa' mas antes uma criação colectiva da HDMC, Ltd.. Fica a correcção.