2005

Jm Lab Profile 908: A Joana D'arc Da Focal



A JM Lab, de Jacques Mahul, o Derrida do áudio francês, é a marca-montra da tecnologia Focal, e a linha de colunas Utopia o seu ex-libris. Até pelo nome, para já não falar no preço e no tamanho, as Grande Utopia Be, o topo de gama, não passam de um desejo utópico para a maioria das pessoas. A JM Lab tem vindo assim a apresentar modelos mais económicos, como as Cobalt S e Chorus S. As novas Profile, nas versões Classic, Style e Signature, são as terceiras na hierarquia Focal, logo depois das Electra, e utilizam muita da tecnologia desenvolvida para as Utopia. Na minha opinião, são também as que melhor conciliam a tecnologia de ponta e o design moderno, numa clara ruptura estética com o passado, que, contudo, não renega a filosofia JM Lab: uma marca que, ao longo dos anos, ganhou uma imagem de esoterismo elitista.



TECNOLOGIA DE PONTA
O novo tweeter de alumínio/magnésio da Focal concebido para a linha Profile


As Profile utilizam o famoso “tweeter” de cúpula invertida, em alumínio com banho de magnésio, da linha Chorus S, mas com circuito de “Neodyme”, desenvolvido a partir da superlativa cúpula de berílio das Utopia Be. O “Neodyme” é o material magnético mais poderoso que se conhece. Tem a desvantagem de desmagnetizar a altas temperaturas. Mas, ao subir a impedância da bobina para 6 ohms, a Focal conseguiu o milagre de aumentar a sensibilidade e potência sem aumento de temperatura, ao ponto de poder prescindir do habitual arrefecimento por ferrofluido, que tende a sobreamortecer o comportamento dinâmico dos “tweeters”, afectando também o detalhe e a resolução. A cúpula invertida (côncava), além de favorecer a dispersão, permite o apoio da bobina no centro, e não na periferia, repartindo deste modo a força motriz uniformemente sobre toda a superfície. A bobina pode assim ser mais pequena, logo diminui também a massa em movimento, aumentando a velocidade de resposta aos transitórios.


Os altifalantes de médios e graves utilizam um cone W (Verre+Verre), moldado a partir de uma “sanduíche” de espuma ultraleve desenvolvida para aplicações aeronáuticas entre duas películas de fibra de vidro. Segundo a Focal, este material tem sobre o papel e a polpa de celulose a vantagem da ausência de colorações; sobre as membranas sintéticas de polipropileno a vantagem da rigidez; e sobre o “Kevlar” a dispensa da utilização de resinas que afectam a neutralidade acústica.
As caixas de forma “ovóide” são construídas com seis folhas de MDF de 3mm, coladas com resina expoxídica para impedir a transmissão de vibrações, e moldadas por pressão hidráulica sobre um esqueleto semelhante ao de um barco. A ausência de paredes paralelas elimina as ondas estacionárias. O painel frontal é inclinado para garantir a fase geométrica, alinhando no interior o “tweeter” e o “médio-grave”. A caixa é do tipo “reflex”, com portal circular frontal.
Profile 908 c/ grelha


As Profile são das poucas colunas às quais fica bem a “burka”. Um generoso e sensual “decote” mostra sem pudor o “tweeter” (pode assim “respirar” mesmo com a grelha colocada) e, bem assim, toda a base metálica de apoio, também ela de forma oval. Terá sido o “ovo de Colombo” a inspiração das Profile? É que tudo parece tão engenhosamente simples...



ALLONS ENFANTS DE LA PATRIE
Profile 908 c/stands


As 908, o modelo mais pequeno da linha Profile, foram colocadas sobre suportes adequados, sendo atacadas, numa primeira fase, por um amplificador Vincent SV-236. Como se portaram bem, ganharam o direito a serem “acasaladas” com amplificadores Krell. Nesta última configuração, a primeira frase que me ocorreu foi “à grande e à francesa”. Cheguei a ter vontade de me levantar e cantar a Marselhesa.
As 908 têm alma guerreira e uma personalidade forte, com energia e dinâmica muito superiores ao que seria de esperar de um monitor relativamente compacto (230 x 390 x 275 mm para 8,5 Kg de peso). O “tweeter” é algo extrovertido e gosta de “dar nas vistas”. Só o facto de o som resultante ser, ao mesmo tempo, tão rico de informação quanto isento de ressonâncias, distorção ou outros artefactos parasitas, é que me impede de sugerir aqui um “corte” de 1dB. “Bate-me que eu gosto”, cheguei a pensar a meio da audição.
Bornes simples de baixa resistência


De facto, o carácter geral soou-me, de início, para o “levantadinho” (“up-tilted”): seco, limpo, preciso, informativo, rápido (a definição no espaço dos sons de percussão é notável), com minuciosa destrinça tímbrica, agudos luminosos, ricos e cinzelados, mas também revelando algum “recuo” aparente dos registos médios (fruto da passagem de testemunho aos 2 600Hz?). Com o tempo a fera amansou,“ le jour de gloire est arrivé”, e logo o médio-grave se libertou, Liberté, Liberté chérie, e passou a dominar o campo de batalha da audição, deixando ao “tweeter” “la trace de leur vertus” mas apenas na sua zona de influência: a resposta até aos 30kHz faz-se “sentir” com agrado em particular na audição de SACD - e não só no agudo: o médio-grave ganha recorte e articulação e a ambiência nos registos ao vivo é digna de se ouvir! É, contudo, com o som bem alto que as Profile 908 mostram todo o seu potencial: os níveis sonoros são impressionantes, vindos de um corpo tão pequeno. Sob pressão, o equilíbrio tonal ganha finalmente a desejada coesão: “tweeter” e “médio-grave”, acolitado pelo portal “reflex” abaixo dos 43Hz, cerram fileiras e vão à luta de tal forma unidos, “Aux armes citoyens”, que cheguei a ter a ilusão de estar perante uma coluna de banda larga. Apesar da inevitável ausência de grave profundo imposta pelas leis da física, os registos médio-graves têm baixos instintos que cheguem. Quem gosta de “chafurdar” na lama da última oitava pode sempre optar pelos modelos-de-chão 918 e 928. Gostos não se discutem. Arrisco-me, no entanto, a afirmar que dois pares de 908, acolitados pela “central” CC908 e o «Sub» SW908, são quanto basta para formar um sólido sistema de colunas para AV, “Français en guerriers magnanimes”, que, se não atinge a excelência da linha Utopia, também não o vai levar à falência...


Aqui não há bruxaria: há técnica e ciência aplicada ao áudio. Deixe-as “queimar” lentamente - mas não na fogueira como Joana D'Arc - e elas tornam-se tão “santas” e virtuosas que as vai adorar no altar da música.



JM Lab Profile 90: 1 650 euros/par


Distribuidor: TOPAUDIO, Aveiro, 234 480 301 . topaudio@mail.telepac.pt