2005

Ces 2005: Válvulas - Highlights - Parte 1



Antes de entrar na descrição alfabética, por razões práticas de acesso e consulta, permitam-me fazer comos nos noticiários da SIC-Notícias e apresentar os «Destaques». Tenho tanto papel à minha frente que me apeteceu fechar os olhos e pensar: assim de memória o que é que me salta aos olhos (e aos ouvidos) no campo das vávulas sem ter de consultar as minhas notas? PrimaLuna, Shanling e Von Gaylord. O primeiro por razões económicas (é um dos amplificadores a válvulas de qualidade mais baratos do mercado); o segundo pela beleza única do novo leitor-CD; o terceiro porque,... bom porque fiquei a olhar para aquilo de boca aberta. Vamos por partes:



PRIMA LUNA

O Prologue Three não é um amplificador mas um prévio dual mono, «no global feedback» com potenciómetro Alps Blue Velvet.

Prologue Two em versão artilhada, apenas $250 mais cara que a versão normal, com válvulas KT88 da British Genalex e condensadores Solen. As Genalex conferem «punch» e doçura tornando o «Two» num «One» com... tomates.



SHANLING

O CD-T300 é uma peça absolutamente maravilhosa. Um pouco kitsch, é certo, ao gosto oriental, com «banho» de prata e luz azul, assente sobre três pilares, com uma tampa tipo panela de pressão, com base exterior para a colocar (que acende também!) enquanto se carrega o disco. Curiosamente, ou talvez não, não é leitor-SACD. O que me assusta mas não me surpreende, porque este ano ouvi mais LP como fonte que SACD, que parece estar a passar de moda.

O CD-T300, de que serão fabricados apenas 300 exemplares, custa cerca de $6 500 e utiliza o famoso transporte Philips CDM-4; oito conversores Burr-Brown PCM1704K; 12 Burr Brown OPA627 para a conversão I/V e 4 válvulas russas EH6922 no andar de saída.

Soa como parece: exquisit. Que em inglês não significa esquisito mas requintado...



VON GAYLORD

Qual não é o meu espanto quando, na sala da Von Gaylord, está não um alemão (que de facto criou o produto) como o nome indica mas um engenheiro oriental de nome Ray Leung.

O que tem alguma lógica porque o amplificador a válvulas monobloco a tríodos Von Gaylord 200WPC (custa cerca de $50 000 e o par em demonstração já estava vendido!) parece uma chinesice mas não é.

Qual a única forma de «sacar» 200W de um amplificador a tríodos? Arrefecendo as válvulas com um dielétrico líquido (vejam foto em close-up)! Isso mesmo: e vê-se o calor das válvulas a subir pelo líquido. Uma visão estranha e repousante para um som sublime com um par de monitores também da Von Gaylord «The Legend MkII».

O único inconveniente? As válvulas só podem ser mudadas na fábrica. Mas garantiu-me Ray Leung, com esta técnica de arrefecimento duram pelo menos 20 anos!

Com sorte tantos quantos terei de vida. Agora só falta arranjar as 50 000 biscas...sigh...



EINSTEIN

The Final Cut Mk60 OTL. Einstein, himself, não faria melhor. Com colunas Acapella Violin soou divino.