2004

Highend2004/parte 11: Revox A Stereofone




Revox



Quando uma marca suíça com o prestígio da Revox começa a fabricar (e a exibir num show highend!!) colunas para montar na casa-de-banho (com lavatório e tudo!...) um audiófilo só pode temer o pior. Significa isso que a empresa está a ser dirigida por burocratas higienizados?
Fica a recordação do mítico gravador de fita e a exibição de algum equipamento AV doméstico com design modernista e... prateado. Felizmente, em Portugal, a Revox está em boas mãos: Francisco Monteiro, da Luz e Som.


Rolf Kelch
Este é o giradiscos Rolf Kelch Reference. Nunca tinha ouvido falar (estarei a ficar desacutalizado?). Para mim é uma cópia do Thorens Reference ou viceversa. Tem agora um novo modelo Baby Blue (controlo de ressonâncias por meio de câmaras cheias de granulado), que me pareceu ideal para ouvir...blues.


Runco
Os novos DLP da Runco 3000 e 5000 projectam vídeo em ecrãs de...cinema, com notável qualidade.


S


Sigma

Uma estranha coluna, dita omnidireccional, que é um misto de Sonus Faber e Usher. Acabamentos sumptuosos, só podia ser italiana. Impedância 6 ohms. Resposta: 25Hz-40kHz.


Siltech
É uma pena a Imacústica não estar a apostar nesta marca de cabos. Está sempre em cima do acontecimento.
Lançou os mui práticos Diamond Five and Six. Como o nome indica, são cabos múltiplos para aplicações AV; o Abyss (este nome paga direitos!), especificamente desenhado para levar o sinal de graves do processador para o subwoofer e o SCART Video Classic. Em preparação, tem o primeiro cabo homologado HDMI do mundo. Segundo Edwin: «Nós criamos e construímos os nossos próprios cabos; a concorrência (e referiu a Monster!) compra-os em gigantescas bobinas na China, alguns até já vêm com o logotipo e tudo...»


SIM2

O único rival da Runco digno desse nome no show. O espaço aberto meio exposição/meio demonstração não favoreceu as imagens projectadas pelos Domino devido à luz ambiente. O fabuloso HT500 estava em exposição estática.


Simon Yorke

Um giradiscos desconhecido, pelo menos para mim. The name rings a bell, but...Fica a foto para a colecção. Nota: recebi muitos emails de leitores estranhando o facto de eu «desconhecer» este giradiscos. Parece que é a referência do Michael Fremer. Acontece que o Fremer não é a minha referência...


Sonus Faber

Nada de novo, nem seria de esperar, depois da operação Stradivari. Cesare estava presente, feliz pelo sucesso das Stradivari na Alemanha: «Quando assisti ao teste comparativo as Stradivari ficaram em segundo...», disse todo contente. «Ai, sim. Olha que comigo ficaram em primeiro...», informei-o. Cesare nem queria acreditar, considerando que as Alexandria e a Grande Utopia custam €140 000 o par!...



Sony

Deixemo-nos de tretas: o Blu-Ray já não é um formato do futuro, é oformato do presente. Devia ser adoptado sem discussão por todos os fabricantes. A qualidade da imagem é de perder o fôlego. E eu nem quero pensar na qualidade do som, quando os engenheiros puderem dispor de 27GB para s estenderem à vontade sem qualquer tipo de compressão, «lossless» ou outra qualquer...
Entretanto, o SACD foi demonstrado perante famílas inteiras numa sala com qualidade e dignidade. As colunas utilizadas na demonstração são também objectos estranhos para mim, mas a electrónica da Emmm Labs e da Sony tomaram bem conta do recado com o «Also Spracht Zaratrusta» em «full surround»...


Stereofone

Tal como as Bosendorfer, eis mais um fabricante de pianos, a Steingraeber and Söhne, a entrar na indústria de colunas de som. Estavam em exposição semi-estática sem condições de audição. Não me pronuncio.