2003

Parede Sonora



Vinte anos depois, pensei que já nada me poderia surpreender no mundo do hifi. Há pessoas que compram o equipamento de som à medida da sala ou de acordo com a cor dos cortinados, e soube até de um japonês que, primeiro comprou a colunas, depois mandou fazer uma sala à volta delas. Os mais exigentes como eu vão ao ponto de tratar acusticamente a sala para obter melhores resultados. Agora ir a uma loja de hifi e trazer de lá uma... parede, é obra! Esta é pelo menos a proposta da Sensorial Design, uma empresa italiana que garante, e cito; «controlo completo delle basse frequenze».


Segundo a Sensorial, a parede Sonora (uma contradição, pois em áudio pretende-se que as paredes sejam tudo menos sonoras) é a primeira completamente equipada para garantir uma resposta a todos os problemas do ambiente acústico.


A parede é construída de madeira natural (a mesma de que se fabricam os violinos, informam) e funciona como um instrumento. Aqui tremo. Mas eles continuam: os instrumentos de caixa devem muito do seu som ao tamanho e forma da caixa acústica. Ora uma sala não é mais que uma caixa de ressonância, logo uma parede de madeira especialmente concebida favorece a qualidade acústica da música aí reproduzida. Atenção, isto são eles que dizem, não sou eu, embora admita que parte das minhas paredes também estão forradas com módulos de madeira para controlo dos reflexos.


E continuam: quanto mais pequena é a sala mais precisa de tratatamento. Só assim é possível controlar certas ondas estacionárias e ressonâncias que distorcem a música. Todos os elementos que compõem a parede Sonora foram desenhados segundo princípios de correcta absorção acústica. As linhas curvas, os tons quentes e o brilho suave são apenas mais uma contribuição para harmonizar acústica e visualmente o ambiente, estimular os sentidos e viver as emoções na companhia dos amigos.
Como é fácil de observar pela foto, Sonora funciona também como móvel para instalar o equipamento hifi e vídeo.


É mais uma ideia interessante da fértil indústria do móvel italiana. Numa feira de móveis talvez não vendessem a ideia mas associando-a a conceitos caros aos audiófilos e convidando fabricantes de equipamento de renome, como a KR Enterprises (veja-se o amplificador a válvulas Kronzilla ao centro), as vantagens de uma tal empreitada tornam-se mais óbvias e lógicas. É assim como sentar uma mulher bonita em cima do capot de um carro de luxo...