2003

Emails 9



Os Deuses devem estar loucos


Leio numa revista os últimos lançamentos da poderosa multinacional 'Universal', e chega-se à brilhante conclusão:


- 'Stan Getz e João Gilberto', 'Ella Fitzgerald e Louis Armstrong', 'A Love Supreme' (JohnColtrane) e 'Folk Singer' (Muddy Waters) são SACD puros em estéreo.


- 'Ultimate Collection' (Quincy Jones) é SACD híbrido estéreo.


- 'When I Look In Your Eyes' (Diana krall) e 'All I Got' (Al Jarreau) são SACD puros multicanal e estéreo.


- 'Ask a Woman Who Knows (Natalie Cole) e 'The Look of Love' (Diana Krall) são SACD híbridos multicanal e estéreo.



Os Deuses devem estar loucos. A par da quase generalizada pobreza das reedições e da proliferação de formatos (CD, SACD, DVDA, DVDV etc.) e suas ramificações (híbrido, puro, estéreo, multicanal) ainda tenho que aturar um crítico a dizer que, num teste a um amplificador, se esqueceu de ligar um dos cabos de colunas e, como os terminais estavam em contacto, quando o ligou lá se foi o fusível à vida e o quadro abaixo. E um Director a elogiar imenso a qualidade do som do 'violão' do Stephane Grapelli, que toda a gente sabe que sempre tocou violino e 'violon' é a palavra francesa para este instrumento. Acho que basta ter um pouco de bom senso e não ser surdo, ou ter um mínimo de conhecimentos para não se dizer tamanho disparate. Mais um bocadinho e o bom do Grapelli tocava aquele instrumento do pauzinho. De facto, há rapaziada que não ouve música, ouve sons. Desgraçados de nós, melómanos, que pretendemos simplesmente ter uma aparelhagem melhor para nos deliciarmos com os nossos objectos de desejo, e estamos sujeitos não só a confusões s e regras das multinacionais do ramo, como a críticos desta estirpe. Pode não acreditar, mas sinto-me enganado e maltratado. Continue o seu trabalho. Sempre.


Miguel Melo



Miguel não aguenta mais


Desisto. Que o homem ponha o Grapelli a tocar violão,
paciência. Pode ter um grande ouvido para ouvir sons
mas em música é um zero à esquerda. Que em toda a sua
imodéstia trate os grandes nomes do mundo do audio por
tu, tal como 'falei com o Jeff...', que se lixe. Agora
que me traduza 'Brave New World' por 'Bravo Novo
Mundo' é demais. Meu querido Aldous Huxley que deve
estar às voltas na campa. Imagino o filme cósmico que
devem ser as conversas com o Jeff. Foi a última vez
que comprei a revista 'AUDIO'.


Miguel Melo



Nota: para ler mais correio de leitores insira «emails» no campo de pesquisa