2003

Emails 7



Super/Hyper/tweeters

Sou uma 'fan' da página 'sons' do DNA e nunca perco um artigo. Devo dizer que apesar de ser uma leitora de várias revistas inglesas e americanas de hi-fi, é com o DNA que mais tenho aprendido, sobretudo sobre as novas tecnologias, como o SACD e DVD-A. Este facto tem-me permitido não me precipitar quando faço as minhas aquisições de hi-fi. No entanto, há sempre dúvidas, e é por isso que lhe escrevo. Espero, sinceramente, que me possa ajudar, ficar-lhe-ia imensamente agradecida.

Neste momento pretendo adquirir um pacote de colunas (5) especificamente para audições de SACD/DVD-A. Recentemente li que, porque a resposta de frequência do DSD (SACD) atinge quase 5 vezes a do CD normal (100 kHz), para tirar todo o proveito deste formato seria conveniente adquirir colunas com frequência de resposta estendida, isto é, com 'hypertweeters' capazes de chegar aos 55KHz, como as novas KEF XQ one, ou 70 kHz como as SONY SS-LA500ED. O mesmo acontece com o DVD-A.

O problema é que este tipo de coluna não abunda no mercado. De facto, só a KEF e a Tannoy produzem colunas monitoras com super tweeters, minimamente decentes para ouvir música.. Uma das coisas que aprendi com as minhas leituras é que as colunas são o elemento mais importante da construção de um sistema de hi-fi. Nesse sentido, tenho passado os últimos meses a testar vários marcas, vários modelos, dentro da minha própria sala, contando com a boa vontade de vários representantes e vendedores. Agora, que finalmente encontrei o que procurava, começam a surgir colunas com os tais hypertweeters, que, por serem em número muito limitado, não permitem qualquer selecção/escolha.

A minha pergunta é a seguinte:


Vale a pena comprar colunas só porque têm estes tweeters especiais, mesmo não tendo por onde escolher, e mesmo sabendo que as que existem actualmente no mercado de monitoras, perdem, no que é mais importante, para outras da mesma gama de preços?

Vi alguns testes à KEF XQ one onde eram referidos os seus vários defeitos: gama média, perda de 'compostura' a elevados volumes, pouca dinâmica. Num dos testes esta coluna perdia para a ATC SCM12 (62Hz - 20kHz +/-3dB).

Ou devo optar por uma coluna capaz de uma melhor performance mesmo que só alcance os 20KHz, porque aquela que é capaz de uma melhor performance musical é sempre a melhor escolha, independentemente de ouvirmos SACD/DVD-A ou CD?

Conseguirei assim tirar partido da superior 'qualidade musical' do SACD/DVD-A?

É evidente que posso esperar que mais modelos com super tweeters apareçam no mercado, mas, qualquer dia, acontece como ao outro que, de tanto esperar, pelas novas tecnologias, morreu sem nunca comprar nada...

Nota: As colunas que referi encontram-se na gama de preços que me interessae são todas monitoras (de suporte), porque o meu espaço assim o exige, mesmo que isso signifique uma perda de graves (nunca fui grande apreciadora de graves).

Este e-mail é enorme, não é? Espero que não se importe. Preciso do conselho de um especialista e em Portugal não há melhor que José Victor Henriques.


Saudações audiofilas,


Marisa


Hificlube responde:


Por qualquer motivo que me escapa (afinal as mulheres até ouvem melhor que os homens!...), o hifi parece ser uma paixão maioritariamente masculina. Tenho publicado alguns artigos sobre o assunto, quase sempre num registo bem-humorado. Mas a questão que me coloca é séria e, por isso, debrucemo-nos sobre ela sem mais delongas:


Tenho sobre os supertweeters a mesma opinião que tenho sobre os subwoofers - passo bem sem eles. Desde que, claro, as colunas tenham uma resposta de qualidade dentro da banda áudio. Mas tanto uns como outros, quando bem afinados e integrados no sistema, conferem uma certa magia à audição de música. Admito isso. A audição recente das Avantgarde com seis módulos HornBass deixou-me de rastos... (ver Reportagem do Kempinski).


Pergunta-me se o supertweeter faz falta para ouvir SACD e DVD-Audio, e eu digo-lhe que não. A maior parte dos SACD não tem «nada» acima dos 20kHz. Um teste recentemente realizado à versão SACD de 'Money', do álbum 'Dark Side of The Moon', detectou uma muito ligeira diferença entre SACD e CD: acima dos 20kHz só lá estavam 'sombras' dos pratos da bateria - nada mais!


Mas é um facto que os 'super' os 'hyper'(isto soa-me a grande superfície comercial...) «arejam» o som ao reproduzir harmónicos superiores que, de outro modo, se perderiam. Mais importante ainda: melhoram a resposta em fase das colunas, logo também a gama média e os graves soam mais 'compostos'.


Contudo, o supertweeter não serve de nada se o seu amplificador (ou prévio, ou até o leitor-SACD, veja lá!) tiver uma banda limitada - e muitos têm-na para evitar oscilações e outras confusões. Se tudo se conjugar para que os 'superagudos' sejam reproduzidos, pode ainda acontecer que, junto com eles, venha apenas distorção, incluindo distorção térmica, ou, mais provável ainda, os produtos espúrios do 'noiseshaping' necessário para tornar tragável a conversão unibit. Para chegar ao Céu, temos primeiro que passar pelo Purgatório...


Não deixe que o 'supertweeter' lhe tire o sono, leitora Marisa. Mas, já agora, aproveite para ouvir as novas Tannoy Sensys (ver reportagem CES 2003, Parte I, pág. 6, em versão pdf). Pode ser que sejam (tenham) a resposta adequada às suas necessidades...


As ATC são concebidas como monitores de estúdio: muito precisas mas pouco musicais. Compare-as com umas Sonus Faber Concerto e percebe logo o que eu quero dizer...

Saudações audiófilas


JVH