2002

Nova Iorque : Amplificadores



Anthony Michaelson não descansa. Produz novos modelos por gosto como quem faz um filho e, nos intervalos, toca clarinete num Quinteto de Brahms para a Stereophile. O homem tem um feitio demasiado «british» para o meu gosto, mas lá que sabe ouvir (e tocar) sabe. Depois do CD Pre 24 e do A3 24 DAC já testado no DNA, temos o amp int. e o CD 308; amp. Int. A3.2 e respectivo leitor-CD. E ainda: o prévio e dualmono amp A3.2CR. Tão bons como os melhores do mundo a qualquer preço, reza o folheto de promoção. O Tony não faz a coisa por menos...


Nos antípodas, o amp. int. Plinius 8200 passou à condição MkII. Com a tecnologia da referência SA-102. Ouvi algures um amp. suiço de nome DarTZeel (este suiços!), que me soou revolucionariamente limpo, e um monstro da Gamut, um amplificador Viking, que saca 500W de um único transístor! Nem um nem outro se vendem em Portugal: porquê? Não menos ousado, o prévio Naim NAC552 assumia-se sem modéstia como, e cito: «a alvorada de uma nova era musical». Se é assim, tenho de ouvir isto. Estás a ler isto, ó Rui?
Na SimAudio a novidade era o...Nova, um leitor-CD por metade do preço do Moon Eclipse e quatro quintos da qualidade do som. Uma boa nova.


Cello, a antiga marca de Mark Levinson, foi à viola - literalmente. Agora chama-se Viola Audio Laboratories. Com Tom Colangelo aos comandos, continua a produzir amplificadores de preço estratosférico, como o Bravo Double de 35.000 dólares. Com as colunas Allegro e o «sub» Basso (18.000 cada!) tocou bem. O leitor-CD Shandling CDT-100 com válvulas 6N3 na saída e BB 24/96/HDCD é tão bonito que merece ser visto mais do que ouvido. Igualmente atraentes são os monoblocos a válvulas Thor TPA-60 com chassis redondo. E a BAT continua a lançar modelos novos também a válvulas: prévios balanceados VK-31SE e Vk-51SE. E para deixar as editoras preocupadas com a pirataria à beira de um ataque de nervos: Yamaha CDR-HD1000, um gravador-CD com disco rígido de 20GB que grava a 10X do CD e a 8X para CD-ROM. Pode registar até 30CD no disco rígido. E os piratas somos nós...