2007

Hifishow 2007 _ Parte 6: Ajasom, Audioteam, Delaudio, Delmax, Grupojota, Imacústica, Soundeclipse, Topaudio, Transom E Zen Audio



AJASOM


Aqui tive oportunidade de me sentar como se estivesse em casa e gostei do que ouvi. Era essa, aliás, a filosofia subjacente a esta instalação doméstica composta por: colunas Wilson Benesch Square Two, que podem ser “quadradas” de nome mas não são nada quadradonas no som; Leitor CD e amplificador integrado Unison Research Unico, este na versão Secondo. Um som para ouvir enquanto se vive: jazz, blues...

Na sala ao lado, actuavam os Ayre C5-xe e AX7 com colunas Avalon. Não as minhas amadas Eidolon Diamond, mas algo mais prosaico e acessível: as NP2. Não fiquei o tempo suficiente para me poder pronunciar mas creio que preferi o som next door do duo Unico/Square.


AUDIOTEAM

Tal como o ano passado, uma das salas mais bonitas, com verdadeiro ambiente de sala de estar confortável e hospitaleira. O sistema Rega debitava...eh... música analógica: Bob Dylan e a saudosa Juliette Greco: des grandes chansons, mais oui!


DELAUDIO

As pequenas Monitor Audio GS10, alimentadas por Advance Acoustics MAP305, com fonte Esoteric SA-10, ofereciam um som com o mesmo carácter do grande sistema que actuava cá em baixo, por uma fracção do preço. E não é disso que andamos todos à procura?


DELMAX

Rui e Carla: outro casal simpático, a quem devo um pedido de desculpas, já transmitido pessoalmente, com promessa de que os vou visitar à Rua da Madalena. Quando entrei, o impressionante Prima Dialogue One atacava - é o termo - um par de ProAC 140 com rajadas de solo de bateria. Juro que fiquei duplamente surpreendido: primeiro porque não é o género de música que se ouve habitualmente chez Rui; segundo, o som estava um espanto: ouvia-se a pele a gemer e o ar dentro dos tambores a tentar fugir ao castigo.

Mas como é que um amplicadorzeco de trinta e poucos watts a válvulas EL34 tem uma estaleca destas? Já tenho o Dialogue Two (KT88) comigo e a surpresa mantém-se. Também ao nível da construção. E pode alternar, por meio de controlo remoto(!), o modo de funcionamento de ultralinear para tríodo. Ora na fotografia vê-se o led verde, pelo que a bateria terá sido reproduzida com tríodos!! Dá para acreditar?...


GRUPOJOTA

Há anos que ando a escrever sobre as Waterfall, as colunas com paredes de vidro. Vejam aqui o pdf da reportagem do HighEnd 2003, de Frankfurt, publicada no DN.


Mas as Waterfall não têm telhados de vidro: o som é transparente sem ser de...vidro, if you follow my drift...


IMACÚSTICA

Na porta ao lado, as ProAC D28, que tanto me tinham agradado na CES 2007, tocavam acompanhadas por electrónica Copland. Mas eu já tinha ficado pelo beicinho com o Dialogue, e só pensava em encontrar o Manuel Dias para lhe cravar um para ouvir. Já cá tocam com as Elipsa. O facto de o ARC REF110 estar temporariamente no banco, enquanto oiço o Dialogue Two, diz muito sobre o que penso dele.


SOUNDECLIPSE

Eis uma dupla de jovens simpáticos e dinâmicos, o Paulo e o Rui, que acaba sempre por ser vítima da minha “popularidade”: perco-me nas salas e corredores a conversar com a malta do áudio. Passei por lá para uma primeira visita de cortesia, tocavam então as Usher CP-6311 com amplificação homónima e fonte Audionet. A ideia era voltar para ouvir os Flying Mole. O show acabou e ele não voltou. Felizmente, já tinha ouvido - e bem - o Flying Mole CA-S10 em casa, cujo teste integral podem ler aqui. Espero que quem lá foi tenha gostado e concordado com o que eu escrevi.


TOPAUDIO

A TopAudio decidiu-se tarde e, sendo alérgica aos quartos pequenos (veja-se a ampla sala de demonstração e exibição que ocupou no Sheraton/Highend Show) optou por se exibir em espaço aberto no Villa Rica. A beleza dos seus produtos proporcionou-me algumas das melhores fotos do Hifishow 2007.


Mesmo em espaço aberto, sem condições de demonstração audiófila, era impossível não parar para apreciar as colunas JM Lab, os Hovland e os Chapter Précis, que eu namorei logo ali. Já que iniciei o curso de Classe D, aproveito para tirar o resto das cadeiras que me faltam...

E não é todos os dias que o som ambiente de um cocktail informal está a cargo de um sistema highend composto por JM Lab Alto Utopia e electrónica Hovland.Curiosamente, quis o destino que fosse também num cocktail, este mais privado, que ouvi as Alto pela primeira vez, no Hotel Paris, Las Vegas, no decorrer da CES 2003 (ver pdf do DN aqui)


TRANSOM



As B&W estavam por todo o lado. Já escrevi profusamente sobre as 802 D e as Signature Diamond, faltava referir-me ao som redondo e quente das CM7 com o integrado da Nuforce.

E ao sucesso de público que foi a apresentação da nova série 600 no espaço do bar do Hotel. Elas gostam: são pequenas e mais acessíveis que as 802D que ele queria tanto levar para casa...


ZEN AUDIO

Pode parecer que que algo me desagrada na filosofia Zen, de Miguel Pais, um jovem simpático e hospitaleiro, apenas porque da outra vez não gostei (no Highend, do Porto) e desta vez não fiquei. Mas juro que tinha intenção de voltar. Até porque aquilo que ouvi enquanto fazia as fotos me agradou.

Curiosamente, era o mesmo sistema (corrijam-me se estiver enganado) que eu tinha elogiado no Porto, composto por Leitor-CD Lyngdorf CD-1, amplificador TDA 2200 equipado com o módulo RoomPerfect, e colunas Xavian 270. A decoração era outra mas sempre com o mesmo evidente bom gosto e atenção ao pormenor.

Acabei assim por não ouvir uma das estreias mundiais do Hifishow 2007, as belas Xavian Giulietta, uma falha imperdoável que espero colmatar logo que possível.