2004

Correio Dos Leitores: Jvh Para Os Amigos (parte 1)




Tanta «visita» tem naturalmente de ter algum «feedback» em termos de emails. Durante muito tempo guardei-os para mim. Recentemente decidi partilhar (ver «O Carteiro toca sempre duas vezes») com os leitores alguns dos elogios e críticas ao meu trabalho que vão chegando diariamente, seleccionando e editando alguns dos emails mais interessantes. Foram editados os nomes completos e os endereços para garantir a privacidade e segurança dos leitores, e ainda as saudações e os cumprimentos de despedida por razões de espaço. Os títulos são da responsabilidade de Hificlube.



Nota: A maior parte dos emails vinham acompanhados de pedidos de opiniões, sugestões e até resoluções, que foram respondidos em devido tempo (se falhei algum peço perdão), mas que me abstenho também de reproduzir, uma vez que não se trata de um «consultório» mas apenas de uma conversa de amigos.


SÁBIAS CRÓNICAS



Sou um jovem universitário de 22 anos, e desde cedo me lembro de ter apetência
ou sensibilidade para a música. Não no sentido de tocar algum instrumento,
coisa que desde cedo os meus pais me incentivaram, embora sem resultados
relevantes. A minha verdadeira paixão sobre a música era e é tão só a sua
audição e o prazer que esta proporciona, principalmente quando a sua
reprodução é feita por equipamento de qualidade.



Em primeiro lugar, não posso deixar de enaltecer a sua inestimável
contribuição para a divulgação, no nosso país, do panorama audiófilo
mundial. É com prazer que eu, e muitos outros interessados pelo mundo da
alta-fidelidade, tentamos evoluir através dos ensinamentos e opiniões que
reflecte nas suas sábias crónicas.



É também graças a si que podemos acompanhar os certames de equipamentos de
alta-fidelidade, que se realizam por esse mundo fora, e dos quais nos traz as
últimas novidades.



Por tudo isto, o meu bem haja.


Nuno F. Amaro



O DOM



Os meus agradecimentos pelo excelente artigo sobre Hovland, afinal a
técnica também poderá ser apresentada de uma forma +/- literária. Parabéns pelo Dom.



Joaquim



SOBRE VÁLVULAS VS TRANSÍSTORES



Nem imagina como me identifiquei com o que escreveu no artigo de hoje.E faz
cá uma sintese técnica das 2 tecnologias!...
As válvulas soam tão bem com música acústica, mas dão uma trabalheira, tal
como o LP. É a bias que tem de ser regulada, é a válvula do canal direito que
está a pifar, etc.
Tenho um ampli baseado em EL84 na garagem e não tenho coragem de gastar 500
euros em válvulas novas...



Será um poder obscuro do marketing que nos leva a adoptar o transistor,
mesmo achando que ele não soa melhor, tal como o LP? Grunf!



FMagalhães



Sou professor, equitador, audiófilo e seu leitor/ admirador há muitos anos e pai de três filhos (que analisam um sistema em breves instantes, exclamando gosto, não gosto, ou ficando a apreciar (embora nestas idades seja por pouco tempo). Rio-me imenso com as suas metáforas, comparações e críticas audiófilas e respeito imenso o seu trabalho.



JCharola


«CÊ» É QUASE DA FAMÍLIA


Hoje lembrei-me de dar dois dedos de prosa com 'çê'.


Desculpe este tratamento mais informal, mas aqui em casa, 'çê' é quase da família. Já o acompanho nos seus escritos desde 1989, quando adquiri a audio nº1. Lembro-me numa das revistas ver a sua biografia e foto, se não me engano. Reparei que curiosamente estudou também Letras ou andou lá na Clássica, como eu.


Mas aquilo que me tocou desde sempre foram os seus textos. Sem querer dar graxa, tenho a dizer-lhe que, sendo eu hoje um simples 'profe' de português, me inspiro nas suas crónicas, no estilo de escrita, no humor tão carecido por este Portugal de lés a lés....


Cheguei a levar uma das suas crónicas para uma aula para exemplificar como se podia informar, dando uma tacada em alguma coisa que estava mal (não me lembro ao certo o quê), ironizar e pintar tudo isto com uma paleta humorística à mistura.


Colecionei, encadernei e tenho guarado as crónicas que saíam no DN, na revista, nos suplementos etc e tal. Digamos que gostava de criar um estilo tão acutilante de escrita, simples, directa, limpa. Um dia....


Já me tinha lembrado de lhe escrever, por várias vezes, para lhe dar os parabéns por alguns artigos em que o trato humorístico e a ironia andavam de mãos dadas!


Por isto tudo, parabéns, e votos de que continue a escrever!


Eu desde muito novo que gosto de música. Andei numa filarmónica. Fui educando o ouvido e apreciando outras músicas. Com a chegada da AUDIO comecei a ler essa e outras revistas. Assinei durante uma dezena de anos. Desisti depois porque não gostei da filosofia que a mesma seguiu. Vou comprando de tempos a tempos.


Jorge Almeida



FIRST CLASS WRITING



I was very impressed by your report on the new Sonus Faber
Stradivari. Your recognition of the apparent diffuse 'bubble' of
live sources as opposed to the pin point Stereophile ideal was
most telling. I attend over 50 concerts a year ranging from solo
harpsichord to full symphony, and this has been my consistent
observation. My general impression was of first class writing,
amicably entertaining while weaving in the pertinent facts.




Lawrence de Martin



MELHOR DO MUNDO



Estou a viajar no site e tenho de dizer que é
para mim o melhor site do mundo sobre alta fidelidade,desde as reportagens aos
artigos e as fotos em geral e tambem a maneira como está exposto.

Só tenho a
apontar que é pena não estar escrito tambem em inglês para os 'craques'lá
fora saberem o que é bom.


RCalado